Gungsong Gungtsen

Gungsong Gungtsen (em tibetano: གུང་རི་གུང་བཙན།, Wylie: gung srong gung btsan), foi o único filho conhecido de Songtsen Gampo (605 ou 617 - 649), o primeiro imperador tibetano.

Gungsong Gungtsen
གུང་རི་གུང་བཙན།
34º Tsanpo de Bod
Reinado 644–649
Antecessor(a) Songtsen Gampo
Sucessor(a) Songtsen Gampo
Esposa A-zha Mang-mo-rje
Descendência Mangsong Mangtsen
Nascimento 605
Morte 649 (44 anos)
Pai Songtsen Gampo

AntecedentesEditar

Conta-se que Songtsen Gampo teve cinco esposas, a princesa nepalesa Bhrikuti[1] e a princesa chinesa Wencheng, ambas budistas devotas, são as mais conhecidas, além delas também se casou com uma das filhas do rei de Zhangzhung e com uma das filhas do rei do de Tangute , bem como uma nobre do clã Ruyong e outra do Clã Mong (ou Mang).[2]

Na primavera de 640 Gar Tongtsen, primeiro ministro e embaixador de Songtsen retornou ao Tibete com a princesa chinesa Wencheng como noiva de seu mestre, depois de uma dura queda de braço com a Corte da Dinastia Tang. A intenção da princesa Wencheng não era se casar com Songtsen, mas com o príncipe herdeiro Gungsong Gungtsen. [3]

VidaEditar

Gungsong Gungtsen foi filho da concubina de Songtsen, Tricham, uma jovem nobre do clã Mong de Tölung, um vale a oeste de Lhasa. [4]

Tradicionalmente afirma-se que Gungsong nasceu em um palácio de nove andares conhecido como "Mansão Celestial Auspiciosa de Draglha", construído por Bhrikuti ao sul de Lhasa. Diz-se que um santuário e uma estupa foram construídos por seu pai em uma montanha rochosa perto de Yerpa, que se assemelhava a uma imagem sentada de Tara. [5]

Alguns relatos dizem que quando Gungsong completou treze anos, seu pai Songtsen se aposentou e Gungsong passou a governou o país por cinco anos. Gungsong se casou com 'A-zha Mang-mo-rje quando tinha treze anos e eles tiveram um filho, Mangsong Mangtsen (r. 650-676 CE). Após estes cinco anos Gungsong teria morrido, então com dezoito anos . Seu pai, Songtsen, assumiu o trono novamente até sua morte em 650. [6] A princesa de Wencheng agora se tornou a rainha de seu sogro, e a posteridade tibetana sempre se lembraria dela principalmente nesse papel. [3]

Os Annais Tibetanos afirmam que Gungsong foi enterrado em Donkhorda, o local das tumbas reais, à esquerda da tumba de seu avô Namri Songtsen (gNam-ri Srong-btsan). [7]

Precedido por
Songtsen Gampo
  34º Tsanpo do Tibete
644 – 649
Sucedido por
Mangsong Mangtsen


Referências

  1. Snellgrove, David (1987). Indo-Tibetan Buddhism: Indian Buddhists and Their Tibetan Successors. Shambhala, Boston: [s.n.] p. 416 
  2. Stein, R. A. (1972). Tibetan Civilization. Londres: Faber & Faber. p. 62. ISBN 0-8047-0806-1 
  3. a b Kapstein, Matthew T. (5 de junho de 2013). The Tibetans (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons, p. 48-49 
  4. Shakabpa, Tsepon Wangchuk Deden (2010). One Hundred Thousand Moons:. An Advanced Political History of Tibet (em inglês). [S.l.]: BRILL, p. 121 
  5. mtshan, bSod nams rgyal; Gyaltsen, Sakapa Sonam (1996). The Clear Mirror: A Traditional Account of Tibet's Golden Age (em inglês). [S.l.]: Snow Lion Publications, p. 188 
  6. Macedo, Emiliano Unzer (2017). História do Tibete. [S.l.]: Amazon Independent, p. 13 
  7. Booz, Elizabeth B. (1994). Tibet (em inglês). [S.l.]: Passport Books, p. 144