Gustaf Gründgens

Gustaf Gründgens (Düsseldorf, 22 de dezembro de 1899Manila, 7 de outubro de 1963) foi um dos actores alemães mais conhecidos do século XX. O seu papel mais conhecido foi como Mephistopheles em Fausto, filme que dirigiu baseado na obra de Goethe.

Gustaf Gründgens
Nascimento Gustav Heinrich Arnold Gründgens
22 de dezembro de 1899
Düsseldorf
Morte 7 de outubro de 1963 (63 anos)
Manila
Sepultamento Cemitério de Ohlsdorf
Cidadania Império Alemão, República de Weimar, Alemanha Nazista, Alemanha
Cônjuge Erika Mann, Marianne Hoppe
Filho(s) Peter Gorski
Irmão(s) Marita Gründgens
Ocupação diretor de cinema, ator de teatro, ator/atriz de cinema, produtor cinematográfico, intendente
Prêmios
  • Grã-cruz do Mérito com Estrela da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha (1953)
  • Deutscher Filmpreis (1961)
  • Satyr buttons (1938)
  • Staatsschauspieler (1934)
Causa da morte hemorragia interna, overdose

Gründgens esteve também envolvido num dos escândalos literários mais famosos do século XX, como sujeito de um livro de Klaus Mann, filho de Thomas Mann, que escreveu um romance chamado Mephisto, o qual é relato quase aberto da vida de Gründgens. O livro retrata-o como o principal personagem, tendo ligações nebulosas com altos oficiais do regime nazi. Seguiu-se um processo judiciário, no qual se discutiu a fronteira entre difamação e liberdade de ficção. A relação entre eles era ainda mais complicada porque Gründgens foi casado com Erika Mann, irmã de Klaus, e os três trabalharam no teatro juntos, e ambos os homens eram homossexuais (um tema evitado no romance).

Sepultado no Cemitério de Ohlsdorf.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.