Abrir menu principal
Guy Veloso
Nascimento 22 de outubro de 1969 (49 anos)
Belém, PA
 Brasil
Ocupação Fotógrafo
Página oficial
Website

Guy Veloso (Belém, Pará, 1969) é um fotógrafo documental e professor brasileiro.[1]

Índice

BiografiaEditar

Guy Benchimol de Veloso nasceu em 1969 e trabalha em Belém-PA. É formado em Direito (1991) pela Universidade Federal do Pará. Dá workshops e palestras no país e exterior. Possui diversas publicações nacionais e internacionais. Em 2011 foi curador-chefe de Fotografia Contemporânea Brasileira na 29ª Bienal Europalia Arts Festival, em Bruxelas na Bélgica.[2]

 
Florianopolis, Santa Catarina, BraSil. 29ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo/2010.

CarreiraEditar

Guy Veloso é fotógrafo desde 1989. Sua obra faz parte do acervo de várias instituições espalhadas pelo mundo como "Essex Collection of Art from Latin America" pertencente à Universidade de Essex,[3] Centro Português de Fotografia no Porto,[4] Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Museu de Arte Moderna de São Paulo[5] e também o Museu de Arte de São Paulo (Coleção Pireli).[6]

A partir de 1998 começou um projeto de documentação de romeiros no sertão do Nordeste "Entre a Fé e a Febre: Retratos", já em 2012 se interessa e inicia pesquisa acerca de grupos Penitentes do país, no qual mantem trabalho paralelo até hoje, expostos na 29ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo.[7]

TemaEditar

O tema principal de suas fotógrafias é a religiosidade e retratam procissões e cerimônias religiosas das cinco regiões do Brasil e até no exterior, como no caminho de Santiago de Compostela na Espanha [8] e também na Índia[9] em 1994, quando teve a oportunidade de fotografar o líder religioso Sathya Sai Baba e o 14º Dalai Lama.[10]

O projetos “Penitentes: Dos Ritos de Sangue à Fascinação do Fim do Mundo” de 2012, curado por Rosely Nakagawa levou oito anos para ser concluído e conta com fotos de 118 grupos religiosos em todas as cinco regiões do Brasil.[11]

A série fotográfica "Êxtase" misturou imagens de fiéis católicos e umbandistas.[12]

A exposição com 15 fotógrafos paraenses "O Olhar que vem da terra" realizado na Galeria Virgílio, pessoas são retratas em atos insólitos em favor da fé.[13]

CríticasEditar

  • Segundo o curador Rubens Fernandes Júnior: “as imagens de Guy Veloso surpreendem pelo non sense, pelo surreal, pela completa dissonância entre o mundo real e o outro mundo”. Paulo Máttar, artista plástico e curador, segue o mesmo raciocínio: “Interessante um certo desconforto, um certo estranhamento que provocam”. Orlando Maneschy, fotógrafo e pesquisador, completa: “Veloso nos conduz por um país estranho, fascinante e sensual”.O fotógrafo parece ser parte da situação, sem lançar um olhar estrangeiro sobre ela. Cores, contrastes e pontos desfocados evidenciam aspecto imaginário da festa – Jornal O Globo, 23 de setembro de 2012.[14]
  • O Jornal O Estado de S. Paulo, também teceu comentários sobre a obra fotográfica de Guy Veloso, vejam no artigo de Simonetta Persichetti:

Do Brasil, convém ressaltar o paraense Guy Veloso, que apresenta as suas fotografias de fé. Não uma fé dogmática ou sistemática, mas a que transparece em imagens surreais e fascinam pelo desconforto que nos causam. De toda forma, quanto mais se discute o papel da fotografia no mercado da arte, mais ela se afirma e se fixa em sua função documental.[15]

  • Segundo Moacir dos Anjos, curador, “fica transparente esta relação ambígua entre o que é devoção e o que é violência”(Programa Artes Visuais Brasil, SESC TV, 2011). Semelhante entendimento tem o curador Paulo Miyada: “Suas fotografias exploram gestos e feições limítrofes, muito próximas do esgotamento físico, da dor, do delírio e da paixão” (texto da mostra “É preciso confrontar as imagens vagas com os gestos claros”, Oficina Cultural Oswald de Andrade, São Paulo-SP, 2012).
  • “É como se não estivéssemos mais vendo fotografias ‘sobre’ algo mas a coisa em si”, discorre Eder Chiodetto, fotógrafo e curador (livro Geração 00 – A Nova Fotografia Brasileira, SESC Belenzinho, São Paulo-SP, 2011).
  • "Em Veloso o espectador, não importa sua religião, comunga dos momentos de encontro com o sagrado", analisa Paulo Herkenhoff, catálogo 31º Arte Pará/2012.

Mostras e Exposições ColetivasEditar

  • 1989 - Exposição Individual no Teatro da Paz, Belém, Pará
  • 1993 - Galeria IBAC de Fotografia, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
  • 1996 - Casa da Fotografia Fuji de São Paulo, São Paulo
  • 1996 - Museu da República, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
  • 1996 - 1ª Bienal Internacional de Fotografia, Curitiba, Paraná
  • 1996 - Galeria Funarte de Fotografia do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
  • 1999 - 2º Foto Norte, Museu de Arte do Estado, Belém, Pará
  • 1999 - Nikon Photo Contest, Tóquio, Japão
  • 1999 - 5º Mês da Fotografia de Quito, Equador
  • 1999 - Instituto Cultural Brasileiro de Berlim, Alemanha
  • 2000 - Centro Português de Fotografia, Porto, Portugal[4]
  • 2004 - Firstsite Gallery, Colchester, Inglaterra
  • 2005 - Une Certain Amazonie. Bibliothéque Saint John, Saint-Denis,França
  • 2007 - Act of Faith. 13º. Noorderlicht Photofestival, Groningen, Holanda
  • 2008 - Modern Photographic Expression of Brazil, Yokohama, Japão
  • 2010 - Abdijmuseum Ten Duinen, Bélgica
  • 2010 - "Série Penitentes" 29ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo[12]
  • 2011 - "GERAÇÃO 00 – A Nova Fotografia Brasileira", curador Eder Chiodetto no Sesc Belenzinho em São Paulo-SP [16]
  • 2012 - 30º Salão Arte Pará (artista convidado) - Museu de Arte Sacra, Belém-PA
  • 2012 - 31º Salão Arte Pará (artista convidado)[12]

Principais Mostras IndividuaisEditar

  • 2010 - ALQUIMIA: Espaço Cultural Ateliê da Imagem, Rio de Janeiro-RJ
  • 2010 - Pavilhão das Artes – Palácio da Instrução, Cuiabá-MT
  • 2008 - III Bienal Argentina de Fotografia Documental, Tucumán-Argentina
  • 2007 - Galeria do Conselho- Festival Agosto da Fotografia, Salvador-BA
  • 2006 - Leica Gallery, Solms-Alemanha[17]
  • 2006 - Galeria Fidanza, Museu de Arte Sacra de Belém-PA
  • 2006 - II Fotoamerica - Festival Chileno de Fotografia, Santiago-Chile
  • 2005 - Teatro Nacional, Fotoarte Brasília (Festival of Light), Brasília-DF[17]

Referências

  1. «Guy Veloso». Foto em cena. Consultado em 29 de Dezembro de 2013. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2013 
  2. «Fotógrafos Paraenses expõem na Bienal Europalia». Guia Art. Consultado em 15 de Janeiro de 2014 
  3. «Penitentes (2002)». Essex Collection of Art from Latin America. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  4. a b «Kamara Kó Galeria». Artistas Kamara Kó Galeria. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  5. «Acervo do MAM-SP». MAM-SP. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  6. «Guy Veloso». Museu de Arte de São Paulo. Consultado em 2 de Dezembro de 2013 
  7. «Guy Veloso: Dez anos de Penitências». Photo Channel. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  8. VELOSO,Guy "Via Láctea - Pelos Caminhos de Compostela", Ed. Tempo d'Imagens, 2007
  9. «Fotos na Índia» (em inglês). All Travels. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  10. «Índia». Photo Channel. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  11. «Em imagens, o mistério da fé». Diário Contemporâneo. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  12. a b c «Exposição de Guy Veloso desconstrói distâncias entre religiões». G1 Portal de Notícias da Globo. 16 de Outubro de 2012. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  13. «BOL Notícias». BOL Notícias. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  14. «Mostra Documental Imaginário destaca o Realismo Fantástico em imagens contemporâneas». Jornal O Globo. Consultado em 25 de Janeiro de 2014 
  15. «Uma Questão de Imagem». Jornal O Estadão. Consultado em 25 de Janeiro de 2013 
  16. «GERAÇÃO OO: Livro organizado por Eder Chiodetto destaca fotógrafos brasileiros». Portal Photos. 18 de Novembro de 2013. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 
  17. a b «Guy Veloso expõe na Alemanha». Revista MUSEU. 4 de Maio de 2006. Consultado em 30 de Dezembro de 2013 

Ligações ExternasEditar