Hōjō Masako

Hōjō Masako (北条政子 ? , 1156 - 16 de agosto de 1225) foi a filha mais velha de Hōjō Tokimasa com sua esposa Hōjō no Maki , a primeira Shikken (regente), do Shogunato Kamakura . Ela era irmã de Hōjō Yoshitoki , e foi casada com Minamoto no Yoritomo , o primeiro Shōgun do período Kamakura. Ela também foi a mãe de Minamoto no Yoriie e de Minamoto no Sanetomo, o segundo e terceiro Shōguns.

Hōjō Masako
Nascimento 1156
Japão
Morte 6 de agosto de 1225
Japão
Sepultamento Jufuku-ji
Cidadania Japão
Progenitores
Cônjuge Minamoto no Yoritomo
Filho(s) Minamoto no Yoriie, Minamoto no Sanetomo, Ōhime, Sanman
Irmão(s) Hōjō Tokiko, Awa no tsubone, Hōjō Yoshitoki, Hōjō Munetoki, Hōjō Masanori, Hōjō Tokifusa
Ocupação Bicunim,
Religião budismo

Do nascimento ao casamento (1157-1182)Editar

Hōjō Masako nasceu em 1157, filha de Tokimasa , líder do influente clã Hōjō da Província de Izu, e de sua esposa, Maki. Quando Masako nasceu, seus pais eram ainda adolescentes, e ela foi criada por muitas amas e babás. Masako nasceu em um mundo de guerra e conflitos. Em Kyoto , a capital do Japão na época, a Rebelião Hōgen ocorre na primavera de 1156, onde o Imperador Toba e o Imperador Sutoku guerrearam para ver quem seria o próximo imperador. O Clã Hōjō sabiamente optou por ficar fora da rebelião, apesar do clã ser descendente do Clã Taira e, portanto, estava relacionado com a família imperial [1].

Durante a Rebelião Heiji , lutou em 1159, o Clã Taira , sob a direção de Taira no Kiyomori, com o apoio do Imperador Go-Shirakawa derrotou o Clã Minamoto , dirigido por Minamoto no Yoshitomo . Yoshitomo foi executado. Apenas três de seus filhos sobreviveram. Minamoto no Yoshitsune e Minamoto no Noriyori foram forçados ao sacerdócio, enquanto Minamoto no Yoritomo, com 13 anos de idade, foi poupado e enviado para o exílio na Província de Izu, o domínio de Hōjō Tokimasa . Nesta época, Masako era apenas um bebê. E Taira no Kiyomori agora sob estava no controle do Japão [2].

Masako teve um irmão mais velho Hōjō Munetoki , e em 1163 um irmão mais novo, Hōjō Yoshitoki, nasceu. Mais tarde, ela teria ainda outro irmão, Hōjō Tokifusa , e outra irmã, cujo nome se perdeu na história. Masako foi instruída em equitação, caça e pesca e ela comeu com os homens, em vez de com sua mãe, irmã e outras mulheres da família.

Em 1179, Masako conheceu o jovem exilado Yoritomo, e os dois se apaixonaram. Mais tarde nesse ano, Masako e Yoritomo se casaram. Em 1180, eles tiveram sua primeira filha, Ō-Hime.

Neste mesmo ano, o Príncipe Mochihito que era o filho do Imperador Go-Shirakawa estava cada vez mais desiludido, pois temia as manobras dos Taira para entregar o trono ao Imperador Antoku, que era parente dos Taira. Então conclamou o Clã Minamoto para derrubar os Taira. Yoritomo que se considerava o chefe dos Minamoto, respondeu. Ele tinha o apoio total do Clã Hōjō e do Clã Tokimasa. O quartel-general Minamoto era a cidade de Kamakura , a leste de Izu na Província de Sagami [3].

Foi assim que se inicia as Guerras Genpei , a guerra final entre os Minamoto e os Taira. Em 1180, ancião Masako irmão Munetoki foi morto na Batalha de Ishibashiyama e Yoshitoki tornou-se herdeiro do Clã Hōjō . Em 1181, Taira no Kiyomori morre, deixando o Clã nas mãos de Taira no Munemori , seu filho. Em 1182, o irmão de Masako, Yoshitoki casou , e nesse mesmo ano, Masako e Yoritomo tiveram seu primeiro filho, Minamoto no Yoriie , que seria seu herdeiro.

A Guerra Genpei e suas conseqüências (1182-1199)Editar

Em 1183, Minamoto no Yoshinaka , rival e primo de Yoritomo , tomou Kyoto , expulsando os Taira (e com eles o Imperador Antoku) para Shikoku. Rapidamente, o Imperador Go-Toba foi empossado pelo Minamoto. No entanto, Minamoto no Yoshitsune e Minamoto no Noriyori , meio-irmãos de Yoritomo perseguiram Yoshinaka e o executaram, tomando Kyoto, em nome de Yoritomo (e de Hōjō).

Em 1185, os Taira foram completamente derrotados na Batalha de Dan no Ura . Munemori foi executado, enquanto o restante dos Taira ou foram executados ou se afogaram, como ocorreu com o jovem Imperador Antoku. Yoritomo era agora o líder indiscutível do Japão. Hōjō Masako acompanhara Yoritomo até a vitória. Ela andava com ele nas campanhas e nunca foi derrotada em batalha [4].

A nova aliança de Yoritomo com a família de sua esposa e sua antipatia de seus irmãos-de-criação, bem como uma luta interna pelo poder praticada pelos três irmãos resultou na detenção e execução de Yoshitsune e Noriyori. Yoritomo até criou novos títulos, como Shugo e Jito , que Hōjō Tokimasa recebeu com a aprovação do Imperador Go-Shirakawa enclausurado em Kyoto. A capital não foi transferida para Kyoto, mas manteve-se em Kamakura, longe da Corte.

Em 1192, Yoritomo foi nomeado Shōgun pelo Imperador Go-Shirakawa , que morreu alguns meses mais tarde. Yoritomo era agora o homem mais poderoso do Japão, e que deu poder a Masako também. O Clã Hōjō compartilhou esse poder. Nesse mesmo ano, Masako e Yoritomo tiveram outro filho, Minamoto no Sanetomo .

Corrupção, morte e discórdia familiar (1199-1205)Editar

Em 1199, Minamoto no Yoritomo morre. Foi sucedido como Shōgun por seu filho, Minamoto no Yoriie . Como Yoriie ainda não tinha 18 anos, Hōjō Tokimasa foi proclamado shikken (Regente) de Yoriie. Masako também tinha uma posição forte pois seu filho era o Shōgun. Desde que seu marido foi morto, ela raspou a cabeça e se tornou uma monja budista, recebendo a tonsura do sacerdote Gyōyū [5]. No entanto, ela não fixou residência em um mosteiro ou num convento, e continuou se envolvendo na política. Ela, seu pai Tokimasa, e seu irmão Yoshitoki criaram um conselho de regentes para Yoriie quando este atingiu 18 anos, mas o Shōgun obstinado odiava a família da mãe e preferiu família de sua esposa, o Clã Hiki , e seu avô, Hiki Yoshikazu [6].

As pressões entre os clãs Minamoto , Hōjō e Hiki desencadearam na derrubada de Yoriie. Em 30 de junho 1203 seus poderes foram formalmente tirados e assumido por um conselho de 13 anciãos encabeçados pelo avô Hōjō Tokimasa [7] e logo depois condenado a prisão domiciliar acusado de uma conspiração contra o Clã Hōjō e assassinado por membros deste clã em 17 de julho 1204 em Shuzenji, uma pequena cidade na Província de Izu junto com os membros do Clã Hiki. Durante os assassinatos e expurgos do Clã Hiki, Minamoto no Ichiman, filho mais velho e herdeiro de Yoriie e neto Masako, também foi executado, pois ele se dizia parte do Clã Hiki.

Em 1203, outro filho Masako com Yoritomo, se tornou Shōgun, Minamoto no Sanetomo o último da linha de Seiwa Genji a governar, pelo menos nominalmente, em Kamakura [8] com Tokimasa como regente. Sanetomo estava mais perto de sua mãe e dos Hōjō que seu irmão mais velho. No entanto, Masako e Yoshitoki, o herdeiro dos Hōjō, estava com raiva de seu pai, especialmente depois que a mãe, Hōjō no Maki, morreu em 1204. Uma das razões foi a morte de Hatakeyama Shigetada, casado com a irmã de Masako, foi injustamente executado em ordens de Tokimasa mesmo depois Yoshitoki, Masako e Tokifusa disseram a Tokimasa que não era culpado das acusações de traição. Hōjō Tokimasa era em 1205 o homem mais poderoso de Kamakura.

Masako ouviu rumores de que Tokimasa estava planejando executar Sanetomo e substituí-lo por um de seus aliados, então junto com Yoshitoki ameaçaram Tokimasa a se demitir e entrar no sacerdócio ou eles iriam se rebelar. Hōjō Tokimasa abdicou em 1205, e foi enviado para um mosteiro em Kamakura, onde ele raspou a cabeça e se tornou um monge, morrendo em 1215.

Os últimos anos (1205-1225)Editar

 
Tumba de Hōjō Masako em Jufuku-ji, Kamakura.

Em 1205, com Sanetomo ainda Shōgun, e Tokimasadeposto , Hōjō no Yoshitokia assumia a posição de Shikken, e Masako assumia como negociadora da Corte. Em 1218, ela foi enviada por Yoshitoki para pedir ao Imperador Go-Toba se o Shōgun Sanetomo poderia adotar um de seus filhos, em especial o Príncipe Nagahito como herdeiro. Go-Toba recusou.

Em 1219, aconteceu uma tragédia. Sanetomo foi executado por seu sobrinho, o filho mais novo de Minamoto no Yoriie, que mais tarde foi capturado por tropas Hojo e executado. Em 1219, a linha dos Minamoto foi extinta. Neste momento se discute quem seria o próximo Shogun e Masako e Yoshitoki decidiram por Kujō Yoritsune, conhecido como Fujiwara no Yoritsune, que não era um adulto, mas um bebê, e também não era um Hōjō nem um Minamoto, mas era membro do Clã Kujō , que era parte do Clã Fujiwara. A avó de Yoritsune foi sobrinha do primeiro Shōgun, Yoritomo.

Em 1221, o Imperador Go-Toba se rebelou contra os Hōjō, tentando restaurar o poder para as mãos do Imperador. Yoshitoki e seu filho mais velho e herdeiro, Hōjō Yasutoki , atacaram Kyoto, e conseguiu recuperar a cidade e exilar o Imperador Go-Toba. Este fato ficou conhecido como Guerra Jōkyū de 1221.

Em 1224, Yoshitoki morreu de uma doença súbita. Ele foi sucedido por seu filho mais velho e herdeiro, Hōjō Yasutoki , sobrinho de Masako. O poderoso Clã Miura , liderada por Miura Yoshimura , tentou derrubar o governo Hōjō de Yasutoki, Masako, e Yoritsune, e se tornar o novo Shikken, mas Masako procurou os outros clãs para negociar. Os Miura acabaram perdendo, e Hōjō Yasutoki tornou-se o novo regente.

Masako Hōjō morreu em 1225 com 69 anos de idade. Devido ao seu verdadeiro exemplo monástico, era conhecida como a Senhora-Shogun , ou a Monja-Shogun [5].

Referências

  1. Brown, Delmer M. and Ichirō Ishida, eds. (1979). Gukanshō: The Future and the Past. Berkeley: University of California Press. ISBN 9780520034600
  2. Keene, Donald. (1999). Seeds in the Heart: Japanese Literature from Earliest Times to the Late Sixteenth Century. New York: Columbia University Press. ISBN 9780231114417
  3. Sansom, George (1958). 'A History of Japan to 1334'. Stanford, California: Stanford University Press. ISBN 9780804705233
  4. Jones, David E. (1997). Women Warriors: a History. Garden City, New York: Brassey's pp. 37 - 38
  5. a b Hojo Masako The Samurai Archives (em inglês)
  6. Michinori Kamiya (2006). Fukaku Aruku. Kamakura Shiseki Sansaku (em japonês). Vol. 1 & 2. Tōkyō: Kamakurashunjūshashuppanjigyōbu. pp. 44–45. ISBN 9784774003405. OCLC 169992721 
  7. Motohisa Yasuda (1990). Kamakura, Muromachi. jinmei jiten (em japonês). Tōkyō: Shin Jinbutsu Ōraisha. pp. 592–593. OCLC 24654085 
  8. LOUIS FREDERIC (2008). O Japão. Dicionário e Civilização. Rio de Janeiro: Globo Livros. p. 443. ISBN 9788525046161