Abrir menu principal

HMS Cormorant foi um dos Cormorant pertencente à Marinha Real Britânica (em inglês Royal Navy). Categoria cruzador de batalha.

Lançado ao mar em 1842 o Cormorant era uma embarcação a vapor, construído em madeira e movido por rodas de pás, uma em cada bordo, e velame tradicional.

O peso da embarcação era de aproximadamente 1.400 toneladas e seu armamento era composto por seis peças de artilharia.

A Royal Navy desmantelou esta "edição" do Cormorant no ano de 1853.

HistóriaEditar

O Cormorant, juntamente com o HMS Rifleman, foram os dois navios da Royal Navy que atuaram mais próximos da costa brasileira, em meados do século XIX, no serviço de patrulha e repressão ao tráfico negreiro, obedecendo à lei Bill Aberdeen.

No final de 1849 o Lord Palmerston, comandando o Foreign Office, ordenou que a lei Bill Aberdeen fosse aplicada com rigor na costa brasileiro e ao receber suas novas instruções, o comandante do HMS Cormorant, o capitão Hubert Schumberg, iniciou a patrulha da costa sulamericana a partir do Rio da Prata, base dos navios ingleses.

Em 8 de janeiro de 1850 o Cormorant aprisiona e incendiou o brigue-barca brasileiro Santa Cruz nas proximidades da Ilha de Alcatrazes, litoral paulista.

Em 1º de julho de 1850 o Cormorant entrou em batalha com a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres de Paranaguá no fato histórico conhecido como Incidente de Paranaguá. Neste incidente o Cormorant foi avariado, mas mesmo assim o capitão Schumberg incendiou os brigues Donna Ana e Sereia e confiscou a galera Campeadora que foi levada para Serra Leoa, na Africa.

Ligações externasEditar

ReferênciasEditar

MARTINS, Romário. Histórias do Paraná. Curitiba: Travessa dos Editores, 1995, 471 p.

  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.