HMS Engadine (1911)

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre HMS Engadine lançado em 1911. Para o navio de mesmo nome lançado em 1941, veja HMS Engadine (1941).
SS Engadine
HMS Engadine
Engadine em anchor, 1915, com um hidroavião da Short Brothers
Carreira   Bandeira da marinha que serviu Reino Unido
Operador South East and Chatham Railway de Dumbarton, Escócia
Fabricante William Denny and Brothers
Lançamento Lançado com o nome de SS Engadine em 23 de setembro de 1911 (108 anos)
Fatalidade Emprestado para a  Marinha Real Britânica em 11 de agosto de 1914.
Carreira Naval Ensign of the United Kingdom.svg Reino Unido
Nome HMS Engadine
Operador Marinha do Reino Unido
Aquisição 11 de agosto de 1914
Comprado em fevereiro de 1915
Comissionamento 1 de setembro de 1914
Estado Vendido de volta aos operadores originais em dezembro de 1919
Carreira Civil Ensign of the United Kingdom.svg Reino Unido
Nome SS Engadine
Operador South East and Chatham Railway / Southern Railway
Aquisição dezembro de 1919
Fatalidade Vendido em 1932
Carreira Flag of the United States (1912-1959).svg Estados Unidos
Nome SS Corregidor
Operador Fernandez Hermanos, Inc.
Aquisição 1933
Fatalidade Afundado por mina em dezembro de 1941
Características gerais
Tipo de navio Navio-tênder porta-hidroaviões
Arqueação 1,676 TAB
Deslocamento 2 590 t (5 710 000 lb)
Comprimento 98,5 m (323 ft)
Boca 12,5 m (41,0 ft)
Calado 4,2 m (13,8 ft)
Propulsão 6 x caldeiras de tubo d'água, 3 x turbinas a vapor e 3 x eixos
- 13 800 hp (10 300 kW)
Velocidade 21,5 kn (39,9 km/h) ou 24,7 mph
Autonomia 1 250 m.n. (2 320 km) à 15 kn (27,8 km/h) ou 17 mph
Armamento 4 x canhões de 12 quintais QF 12-pounder 12 cwt de calibre 7,62 cm (3,00 in)
2 x canhões antiaéreos QF 3-pounder Vickers de calibre 47 mm (1,85 in)
Aeronaves 4 x Hidroaviões
Tripulação 197

O HMS Engadine foi um navio-tênder porta-hidroaviões que serviu na Marinha Real do Reino Unido durante a Primeira Guerra Mundial. Convertido de um navio a vapor de ligação rápida que fazia a travessia do Canal da Mancha com a denominação SS Engadine, ele foi inicialmente equipado com hangares temporários para três hidroaviões para reconhecimento aéreo e missões de bombardeamento no Mar do Norte. O navio participou do Ataque aéreo a Cuxhaven no final de 1914 e, após essa batalha, ele foi submetido a um processo de atualização mais profunda em 1915 que aumentou a sua capacidade para quatro aeronaves. O Engadine foi então transferido para a Esquadra de Cruzadores de Batalha no fim de 1915 e participou da Batalha da Jutlândia em 1916, onde uma de suas aeronaves fez o primeiro voo de reconhecimento de uma aeronave mais pesada que o ar em uma batalha naval. O navio foi transferido para o Mediterrâneo em 1918.

Foi vendido novamente para o comprador original em 1919 e reassumiu a sua função pré-guerra. O Engadine foi vendido em 1933 para uma companhia filipina e foi renomeado como SS Corregidor. Foi afundado com pesada baixa de vidas por uma mina naval[nota 1] em dezembro de 1941, durante a invasão das Filipinas no início da Guerra do Pacífico.

DescriçãoEditar

O Engadine tinha comprimento total de 98,5 metros (323 pés), boca de 12,5 metros (41,0 pés) e um calado com 4,2 metros (13,8 pés).[2] Ele tinha um deslocamento de carga profunda de 2 590 toneladas (5 710 000 libras)[2] e tinha tonelagem bruta de registro de 1,676 TAB. As três turbinas a vapor de condução direta moviam um eixo de tração com uma hélice. Possuía seis caldeiras que supriam as turbinas e devolviam a potência máxima de 13 800 horses power (10 300 quilowatts),[3] suficiente para o navio atingir a velocidade designada de 21,5 nós (39,9 quilômetros por hora) ou 24,7 milhas por hora.[4] O Engadine carregava 400 toneladas (882 000 libras) de carvão,[3] suficiente para dar a ele um alcance de 1 250 milhas náuticas (2 320 quilômetros) a uma velocidade constante de 15 nós (27,8 quilômetros por hora) ou 17 milhas por hora.[5]

Ver tambémEditar

Notas

  1. A mina foi lançada pelo submarino japonês I-124[1]

Referências

  1. Rohwer, p. 258
  2. a b Friedman, p. 364
  3. a b Layman 1989, p. 38
  4. Friedman, p. 30
  5. Hobbs, p. 22

BibliografiaEditar

  • Rohwer, Jürgen (1999). Axis Submarine Successes of World War Two: German, Italian, and Japanese Submarine Successes, 1939 – 1945. Annapolis, Maryland: Naval Institute Press. ISBN 1-55750-029-0.
  • Friedman, Norman (1988). British Carrier Aviation: The Evolution of the Ships and Their Aircraft. Annapolis, Maryland: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-054-8.
  • Hobbs, David (2013). British Aircraft Carriers: Design, Development and Service Histories. Barnsley, UK: Seaforth Publishing. ISBN 978-1-84832-138-0.
  • Layman, R. D. (1989). Before the Aircraft Carrier: The Development of Aviation Vessels 1859–1922. Annapolis, Maryland: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-210-9.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.