HMS Nelson (28)

O HMS Nelson foi um navio couraçado operado pela Marinha Real Britânica e a primeira embarcação da Classe Nelson, seguido pelo HMS Rodney. Sua construção começou em dezembro de 1922 nos estaleiros da Armstrong Whitworth e foi lançado ao mar em setembro de 1925, sendo comissionado na frota britânica em agosto de 1927.[1][2] Era armado com uma bateria principal composta por nove canhões de 406 milímetros montados em três torres de artilharia triplas, possuía deslocamento de mais de 38 mil toneladas[3] e conseguia alcançar uma velocidade máxima de 23 nós.[4]

HMS Nelson
The Royal Navy during the Second World War A29859.jpg
Carreira  Reino Unido
Operador Marinha Real Britânica
Fabricante Armstrong Whitworth
Custo £7 504 055
Homônimo O Visconde Nelson
Batimento de quilha 28 de dezembro de 1922
Lançamento 3 de setembro de 1925
Comissionamento 15 de agosto de 1927
Descomissionamento fevereiro de 1948
Indicativo visual 28
Número do casco 991
Estado Desmontado
Características gerais
Tipo de navio Couraçado
Classe Nelson
Deslocamento 38 390 t
Maquinário 2 turbinas a vapor
8 caldeiras
Comprimento 216,4 m
Boca 32,3 m
Calado 9,2 m
Propulsão 2 hélices
- 45 000 cv (33 100 kW)
Velocidade 23 nós (43 km/h)
Autonomia 7 000 milhas náuticas a 16 nós
(13 000 km a 30 km/h)
Armamento 9 canhões de 406 mm
12 canhões de 152 mm
6 canhões antiaéreos de 120 mm
8 canhões antiaéreos de 40 mm
2 tubos de torpedo de 622 mm
Blindagem Cinturão: 330 a 356 mm
Convés: 108 a 159 mm
Barbetas: 305 a 381 mm
Torres de artilharia: 229 a 406 mm
Torre de comando: 152 a 356 mm
Anteparas: 102 a 305 mm
Tripulação 1 314 a 1 361

O Nelson passou seu serviço em tempos de paz junto com a Frota do Atlântico e com a Frota Doméstica, também participando das celebrações do Jubileu de Prata do rei Jorge V em 1935 e da coroação do rei Jorge VI em 1937.[5] A Segunda Guerra Mundial começou em 1939 e o navio procurou os couraçados alemães da Classe Scharnhorst no Oceano Atlântico, porém bateu em uma mina naval no final do ano. O Nelson retornou para o serviço em meados de 1940 e patrulhou novamente o Atlântico e escoltou vários comboios até ser transferido para o Mar Mediterrâneo.[6]

O couraçado escoltou comboios para Malta em 1941 até ser torpedeado,[7][8] porém retornou para o serviço e deu apoio para a Operação Tocha em 1942 e para as operações Husky e Avalanche em 1943. O Nelson também proporcionou suporte durante os desembarques da Normandia em 1944, mas bateu em uma mina e ficou fora de ação pelo restante do ano.[1] Foi transferido para a Frota do Oriente em 1945 e voltou para casa depois da rendição do Japão. Tornou-se um navio de treinamento em 1946 e foi colocado na reserva em 1947, sendo desmontado dois anos depois.[9]

Referências

  1. a b Burt 2012, p. 381
  2. Parkes 1990, p. 654
  3. Burt 2012, pp. 345, 348
  4. Raven & Roberts 1976, pp. 114, 125
  5. Burt 2012, pp. 349, 357–358, 381–382
  6. Rohwer 2005, pp. 1, 3, 5, 7, 9–10, 40, 48, 56, 73–74, 77
  7. Rohwer 2005, p. 89
  8. Burt 2012, pp. 374–376, 381
  9. Burt 2012, pp. 377–382

BibliografiaEditar

  • Burt, R. A. (2012). British Battleships, 1919–1939 2ª ed. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-1-59114-052-8 
  • Parkes, Oscar (1990) [1957]. British Battleships. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 1-55750-075-4 
  • Raven, Alan; Roberts, John (1976). British Battleships of World War Two: The Development and Technical History of the Royal Navy's Battleship and Battlecruisers from 1911 to 1946. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-817-4 
  • Rohwer, Jürgen (2005). Chronology of the War at Sea, 1939–1945: The Naval History of World War Two 3ª ed. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 1-59114-119-2 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.