Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde maio de 2013). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Harém (desambiguação).
Hamam : Les Bains du harem. Pintura ocidental orientalista de Jean-Léon Gérôme (século XIX).

Harém é, na cultura árabe, a parte da casa proibida a homens de fora. Em outras culturas, porém, o termo significa o conjunto de mulheres de um matrimônio poligâmico. O harém tradicionalmente ficava aos cuidados de eunucos do sexo masculino, ou seja, um homem castrado pela mulher mais velha do sultão justamente para não se envolver com as mulheres de seu patrão. Em contrapartida, alguns ou muitos eunucos desfrutavam de fama, dinheiro e poder.

Nem mesmo os irmãos do sultão tinham acesso ao harém. Os irmãos do sultão moravam em um aposento isolado, com vista para o harém, mas sem acesso às mulheres do sultão.

Os reis persas possuíam harém e eunucos já no século VII a.C.. Ainda há haréns em países muçulmanos, bem como eunucos, mas ambos são relativamente raros. A poligamia, que geralmente é a condição necessária para ter-se um harém, requer posses, porque o marido tem de prover às necessidades de todas as esposas, filhos e agregados, bem como manter numerosa criadagem. Na realidade ter múltiplas concubinas era um meio para exibir riqueza e poder e fora da nobreza haréns foram mantidos por funcionários de alto escalão do governo destes países e comerciantes ricos.

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre sexo ou sexualidade é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.