Haroldo Corrêa de Mattos

político brasileiro
Haroldo Corrêa de Mattos
Nascimento 10 de fevereiro de 1923
Morte 15 de junho de 1994 (71 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação político
O Ministro Haroldo Corrêa de Mattos durante seminário internacional, 1982.

Haroldo Corrêa de Mattos (Engenheiro Paulo de Frontin, 10 de fevereiro de 1923 - Rio de Janeiro, 15 de junho de 1994) foi um militar e político brasileiro.

Foi ministro das Comunicações no governo João Figueiredo, de 15 de março de 1979 a 15 de março de 1985.

No período em que foi ministro, houve a mudança de concessões das redes Tupi e Excelsior (que fechou em 1970), para as redes Manchete e TVS, atuais RedeTV! e SBT.

BiografiaEditar

Haroldo Correia de Matos era filho de Bernardino Correia de Matos e de Araci Tofani de Matos.

Estudou no Colégio Militar do Rio de Janeiro e a Escola Militar do Realengo, formando-se engenheiro eletricista em 1951 pela Escola Técnica do Exército, atual Instituto Militar de Engenharia (IME).

Foi diretor da Empresa Brasileira de Telecomunicações (Embratel), de 1965 a 1967. Presidiu a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), de 1969 a 1974, quando a empresa passou por um processo de modernização.

Durante a sua gestão no ministério, em julho de 1980, o governo federal extinguiu a concessão de sete emissoras da Rede Associada (TVs Tupi de São Paulo e do Rio; Itacolomi, de Belo Horizonte; Piratini, de Porto Alegre; Marajoara, de Belém; Rádio Clube, do Recife, e Rádio Ceará, de Fortaleza).

Morreu no Rio de Janeiro no dia 15 de junho de 1994. Era casado com Zaira Correia de Matos, com quem teve dois filhos.[1]

Referências

  1. CPDOC-FGV (2009). «MATOS, Haroldo Correia de». FGV. Consultado em 3 de outubro de 2019 


Precedido por
Euclides Quandt de Oliveira
Ministro das Comunicações do Brasil
1979 — 1985
Sucedido por
Antônio Carlos Magalhães


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.