Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O segundo rapto de Psiquê
Óleo sobre tela de William-Adolphe Bouguereau, 1895

Hedonê (em grego Ἡδονή) na mitologia grega, é a daemon ou deusa do prazer. Filha de Eros e Psiquê, nasceu no Olímpo após Hermes ter ajudado a sua mãe a voltar do tártaro com a beleza de Perséfone. O seu nascimento foi o estopim para que a sua mãe fosse imortalizada como deusa. É classificada como uma das daemones gregas pois mexe diretamente com a ligação corpo-espírito dos seres humanos. Dotada de luxúria e persuasão é representada como uma mulher com asas de borboleta. Hedonê nunca se casou ou teve filhos, mas admirava e conhecia a história dos pais, uma história bastante bonita e amorosa, conhecida por muitas pessoas.

É referida na filosofia epicurista pois como um daemon, é fruto da união da paixão com a alma. Mediante uma analogia, desenvolveu-se o termo hedonismo (culto ao prazer); sendo Hedonê que é literalmente "prazer" em grego arcaico. Sua correspondente da mitologia romana é "Volúpia"' (em latim Voluptas)[1][2] Seu oposto é algea, as daemones da dor e espíritos femininos que trazem tristezas e lágrimas aos homens.

Referências

  1. «The Greek Goddesses» (em inglês). paleothea.com. Consultado em 7 de agosto de 2011 
  2. Este artigo contém texto do Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology (em domínio público), de William Smith (1870).
  Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.