Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Henry Jenner
Nascimento 8 de agosto de 1848
Cornualha
Morte 8 de maio de 1934 (85 anos)
Hayle
Sepultamento Lelant
Cidadania Reino Unido
Progenitores Pai:Henry Jenner
Cônjuge Kitty Jenner
Ocupação bibliotecário, tradutor, arqueólogo, tradutor da Bíblia
Prêmios Membro da Sociedade dos Antiquários, Membro da Sociedade dos Antiquários
Empregador Museu Britânico

Henry Jenner (Cornualha, 8 de agosto de 1848Hayle, 8 de maio de 1934) foi um celtólogo britânico, ativista cultura córnico e o principal originador do reavivamento da língua córnica.

BiografiaEditar

Jenner nasceu em St. Columb Major, na Cornualha, em 8 de agosto de 1848, filho de Henry Lascelles Jenner, posteriormente consagrado, mas não entronado, Bispo de Dunedin.[1] Em 1869, tornou-se clérigo na Alta Corte, e, dois anos depois, foi nominado pelo Arcebispo da Cantuária para um posto no Departamento de Manuscritos Antigos no Museu Britânico, seu pai então sendo reitor de Wingham, em Kent. Casou-se com Kitty Lee Rawlings, escritora, em 1877.[1]

Após trabalhar por mais de quarenta anos no Museu Britânico, em 1909 Jenner e sua esposa Kitty retiraram-se para Hayle, cidade natal de Kitty, em janeiro de 1912, foi Henry foi eleito bibliotecário da Biblioteca de Morrab, em Penzance, posto que manteve até 1927.[1][2] Faleceu em 8 de maio de 1934 e está sepultado na Igreja de Santa Uny, em Lelant, perto de Hayle.

Interesse pela língua córnicaEditar

Jenner começou a se interessar pela língua córnica ainda quando criança, vendo seu pai e um convidado conversando sobre a existência de uma antiga língua da Cornualha, ao que o jovem prontamente respondeu que, sendo ele um córnico, deveria esta ser sua língua.[3] Seu interesse em línguas célticas permaneceu ativo conforme encontrava artigos sobre o córnico e o manês. Em 1877 descobriu, enquanto trabalhando no Museu Britânico, 42 linhas de uma peça teatral medieval escrita no século XV.

Em 1903, foi feito bardo da Goursez Vreizh, associação de bardos bretã, tomando o nome de Gwas Myghal ("servo de Miguel"), e, com L.C.R. Duncombe-Jewell, fundou a primeira sociedade de língua córnica, Cowethas Kelto-Kernuak. No ano seguinte, publicou o clássico A Handbook of the Cornish Language, que inaugurou a revitalização da língua córnica, baseando-se na língua do oeste da Cornualha do século XVIII, apesar de seu pupilo Robert Morton Nance posteriormente direcionar a revitalização para o córnico medieval. Em 2010, Michael Everson publicou uma nova edição chamada Henry Jenner's Handbook of the Cornish Language, complementada com o Alfabeto Fonético Internacional e algumas dissertações de Jenner.

Referências

  1. a b c «Obituary: Mr. Henry Jenner (transcription)». London: The Times. 10 de maio de 1934. p. 19; col A. Consultado em 20 de fevereiro de 2018 
  2. Peter W. Thomas, Jenner, Henry (1848–1934), Oxford Dictionary of National Biography.
  3. Nance, Robert (1958). «Old Cornwall». Old Cornwall. 5 (9). p. 368 

BibliografiaEditar

  • Jenner, Henry (1904), A handbook of the Cornish language (em inglês), Londres: Nutt, consultado em 19 de fevereiro de 2018 
  • Jenner, Henry (2010) [1904], Michael Everson, ed., Henry Jenner's Handbook of the Cornish Language, ISBN 978-1-904808-37-4, Cathair na Mart: Evertype