Herb Alpert presents Sergio Mendes & Brazil 66

Herb Alpert presents
Sergio Mendes & Brazil 66
Álbum de estúdio de Sergio Mendes & Brazil 66
Lançamento 1966
Gênero(s) Bossa nova, pop
Duração 25:47
Idioma(s) Português, inglês
Formato(s) LP
Gravadora(s) A&M Records
Produção Herb Alpert, Jerry Moss
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Sergio Mendes & Brazil 66
Equinox
(1967)

Herb Alpert presents Sergio Mendes & Brazil 66 é o primeiro álbum do pianista e arranjador brasileiro Sérgio Mendes com o grupo Brazil 66, criado por ele nos Estados Unidos com músicos e cantores brasileiros e norte-americanos.

Depois de andar pelas gravadoras Philips, Atlantic e Capitol com grupos anteriores como o Brazil 65, só com brasileiros, gravando jazz e procurando uma mistura ideal entre a Bossa Nova brasileira e o pop norte-americano sem conseguir grande visibilidade, Mendes assinou um contrato com a A&M Records, então uma gravadora iniciante do trompetista e seu amigo Herb Alpert e gravou o disco que seria seu primeiro grande sucesso nos Estados Unidos.[1]

Com este disco, Sérgio encontrou uma fórmula elegante e sexy de mostrar sua música e seus arranjos, com o auxílio de duas cantoras norte-americanas cantando em português e inglês e uma seção rítmica de músicos de Bossa Nova, tocando músicas contagiantes cuidadosamente escolhidas entre sucessos brasileiros, ingleses e americanos da época, com nova roupagem. O principal sucesso do disco foi Mas Que Nada, de Jorge Ben, com um novo arranjo suingado e a voz de Lani Hall, sua principal cantora, acima da seção rítmica. Day Tripper, dos Beatles, também fez sucesso no ritmo e balanço da Bossa Nova de Mendes e do Brazil 66.[1]

Herb Alpert presents chegou ao posto #7 das paradas pop americanas e ganhou o Disco de Ouro, abrindo o caminho de Sérgio para uma carreira musical de sucesso no país.[2]

FaixasEditar

  1. Mas Que Nada (Jorge Ben)
  2. One Note Samba (Antonio Carlos Jobim / Newton Mendonça)
  3. The Joker (Leslie Bricusse / Anthony Newley)
  4. Going Out of My Head (Teddy Randazzo / Bobby Weinstein)
  5. Tim Dom Dom (João Mello / Clodoaldo Brito)
  6. Day Tripper (John Lennon / Paul McCartney)
  7. Água de Beber (Antonio Carlos Jobim / Vinícius de Moraes / Norman Gimbel)
  8. Slow Hot Wind (Henry Mancini / Norman Gimbel)
  9. O Pato (Jayme Silva / Neuza Teixeira)
  10. Berimbau (Baden Powell / Vinícius de Moraes)

Brazil 66Editar

  • Sérgio Mendes - teclados, vocal, arranjos
  • Lani Hall - vocal
  • Karen Philips - vocal
  • Bob Matthews - Baixo, Vocal
  • José Soares - percussão, Vocal
  • João Palma - bateria

Referências

  1. a b Ginell, Richard. «Sergio Mendes & Brasil '66». All Music. Consultado em 30 de setembro de 2011 
  2. «A Brief Sergio Mendes Biography». thebraziliansound.com. Consultado em 30 de setembro de 2011