Heriberto (filho de Guilherme de Gellone)

Heriberto
Nascimento Desconhecido
Morte Desconhecido
Progenitores Pai:Guilherme I de Tolosa
Irmão(s) Bernardo de Septimania, Teodorico III de Autun, Gaucelmo de Rossilhão
Ocupação aristocrata
Título conde

Heriberto (v. 780/5 † ap. 843) é um conde carolíngio do século IX da família de Guilhelmidas, filho de Guilherme de Gellone e de sua primeira esposa Cunegonda.

BiografiaEditar

Ele aparece pela primeira vez  a 14 de Dezembro de 804 numa carta de fundação da abadia de Saint-Guilhem-le-Deserto por seu pai Guilherme de Gellone, na companhia de seus irmãos Bernardo, Guitcaire, Gaucelme e seus tios Teudouino, Teodorico e Adalelmo. As suas primeiras lutas parecem ter lugar em Espanha contra os Sarracenos, e a Vita Hludowici Imperatoris menciona que a cidade de Tortosa lhe é atribuída a ele depois de sua decisão em 809. Em 812, Luís, o Piedoso , rei da Aquitânia e herdeiro do império o faz missusErro de citação: Elemento de fecho </ref> em falta para o elemento <ref>. É ainda possível que Ema da Baviera, a irmã de Judite, tenha casado em primeiras núpcias com Teodorico († 826), filho de Guilherme de Gellone[1]. A ruptura ocorre no mês de agosto de 829, quando Luís, o Piedoso decide em assembleia de Worms constituir um reino em favor de seu filho Carlos, nascido de Judite. Luís enfrenta o descontentamento apresentado por seu filho mais velho Lotário exilando-o em Itália, assim como o primeiro conselheiro deste último, Vala de Corbie[2].

Mas Vala não desarma e faz correr o boato de uma união adúltera entre Judite e Bernardo, irmão de Heriberto, e acusa Bernardo de se aproveitar da fraqueza do imperador por governar em seu lugar. Aproveitando-se de uma expedição de Luís, o Piedoso na Bretanha, os seus filhos Pepino e Luís organizam a revolta, fazem voltar Lotário da Itália e tomam o poder. Bernardo de Septimania foge para Barcelona, Judite é presa num convento e Heriberto é cego[3] e exilado com seu primo Eudes, conde de Orleães[4]

Referências

  1. Jean-Noël Mathieu, « Recherche sur les origines de deux princesses du IXe siècle : la reine Guille de Bourgogne et l'impératrice Engelberge », dans Onomastique et Parenté dans l'Occident médiéval, Oxford, Linacre College, Unit for Prosopographical Research, coll. 
  2. Riché 1983, p. 154.
  3. Riché 1983, p. 155-6.
  4. http://fmg.ac/Projects/MedLands/FRANKISH%20NOBILITY.htm#Guillaumedied812815B  Em falta ou vazio |título= (ajuda)Falta o |titulo= (Ajuda)