Abrir menu principal

Hermenegildo Augusto de Faria Blanc

Hermenegildo Augusto de Faria Blanc
Retrato de Hermenegildo Augusto de Faria Blanc (Diário Illustrado, 17 de Janeiro de 1882.[1]]]
Nascimento 23 de setembro de 1809
Santa Maria da Feira
Morte 14 de janeiro de 1882 (72 anos)
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade de Coimbra
Prêmios Comendador da Ordem de Cristo

Hermenegildo Augusto de Faria Blanc ComC (Vila da Feira, 23 de Setembro de 1809 - Madalena, Lisboa, 14 de Janeiro de 1882) bacharel formado em 1842 em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, fidalgo da Casa Real, do Conselho d' El-Rei D. Luís I de Portugal, comendador da Real Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo, ajudante do Procurador Geral da Coroa e Fazenda e antes delegado do Procurador Régio na 2.ª Vara da Comarca de Lisboa. Deputado da Nação nas Legislaturas de 1860-61, de 1861-64 e 1865-68.

Foi criado Visconde de Camarate em sua vida, por decreto de D. Luís I de 25 de Maio de 1870, confirmado por carta do mesmo monarca de 31 de Maio do mesmo ano.

FamíliaEditar

Quarto filho de cinco irmãos de José Bernardo Henriques de Faria, Desembargador da Casa da Suplicação, e de D. Emília Rosa Virgínia de Moura Telles Blanc, neto paterno de Pedro António de Faria e de Ana Joaquina de Valadares e Faria, materno de Cláudio Ivo Blanc Brandão e Mariana Francisca Fortunata de Moura Telles Blanc.

Casou na Igreja de São Domingos (Santa Justa - Lisboa) em 30 de Novembro de 1843 com D. Maria da Purificação de Lima Vivas (São Salvador (Lisboa), 1825 - Santa Catarina (Lisboa), 23 de Março de 1862), filha de Bento José Vivas e Rosa de Lima Frizone Vivas, de quem teve quatro filhos:

  • Emília Rosa de Faria Blanc (Santa Justa (Lisboa), 30 de Outubro de 1845 - ?);
  • Emília Virgínia de Moura Telles de Faria Blanc (6 de Fevereiro de 1847 - ?);
  • João Augusto de Faria Blanc (Benfica (Lisboa), 20 de Julho de 1848 - Alcântara (Lisboa), 10 de Outubro de 1913) casou com Maria Amália Botelho de Gouveia, com geração;
  • Hermenegildo Augusto de Faria Blanc Jr. (Madalena (Lisboa), 22 de Outubro de 1853 - Alcântara (Lisboa), 10 de Novembro de 1911) casou com Georgina Anselma Botelho de Gouveia, com geração.

Casou em segundas núpcias na Igreja Paroquial de Santa Isabel (Lisboa) a 9 de Julho de 1863 com D. Leopoldina Augusta de Almeida Pimentel de Moura Coutinho (São Sebastião (Ponta Delgada), 8 de Agosto de 1836 - Lapa (Lisboa), 3 de Dezembro de 1908), filha de José Joaquim de Almeida de Moura Coutinho (1801-1861), político português e uma das figuras mais proeminentes da Maçonaria Portuguesa durante o período cabralista e de D. Mariana Cândida da Costa Freire de Almeida Pimentel Moura Coutinho, de quem teve três filhos:

Teve também uma filha, antes de se casar, com mulher incógnita. Faleceu aos 72 anos na Rua da Madalena, número 171, segundo andar, da freguesia da Madalena de Lisboa. Está sepultado no Cemitério dos Prazeres.

BibliografiaEditar

  • Memórias Genealógicas de Lisboa, Luis Amaral, online, 1990, Cap – Faria Blanc
  • Resenha das Famílias Titulares e Grandes de Portugal, Albano da Silveira Pinto, Fernando Santos e Rodrigo Faria de Castro, 2ª Edição, Braga, 1991, Tomo I-pg.342
  • Nobreza de Portugal e Brasil - 3 vols, Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2ª Edição, Lisboa, 1989, vol.2, pg.468

ReferênciasEditar

  1. «Diário Illustrado - 17 de Janeiro de 1882» (PDF). Biblioteca Nacional Digital (Biblioteca Nacional de Portugal). 17 de Janeiro de 1882. Consultado em 10 de Janeiro de 2018