Himachal Pradexe

estado da Índia

Himachal Pradexe[1][2][3] (Himachal Pradesh) é um estado da Índia. Situado no Himalaia Ocidental, é um dos treze estados montanhosos e é caracterizado por uma paisagem extrema com vários picos e extensos sistemas fluviais. Himachal Pradexe é o estado mais setentrional da Índia e compartilha fronteiras com os territórios da união de Jamu e Caxemira e Ladaque ao norte, e os estados de Panjabe a oeste, Haryana a sudoeste, Utaracanda a sudeste e uma fronteira muito estreita com Utar Pradexe ao sul. O estado também compartilha uma fronteira internacional a leste com a Região Autônoma do Tibete, na China. Himachal Pradexe também é conhecido como Dev Bhoomi ou Dev Bhumi, que significa "Terra dos Deuses" e Veer Bhoomi que significa "Terra dos Bravos".[4][5]

Índia Himachal Pradexe 
  Estado  
Localização
País Índia
Distritos 12
Cidade mais importante Ximelá
História
Fundação 25 de janeiro de 1971
Administração
Capital Shimla
31° 06′ 40″ N, 77° 09′ 14″ E
Governador Shiv Pratap Shukla
Ministro-chefe Sukhvinder Singh Sukhu
Poder legislativo Unicameral (68 assentos)
Características geográficas
Área total 55,780 km²
População total (março/2001) 6,077,248 hab.
Densidade 0,1 hab./km²
 • Língua(s) hindi e pahari
Outras informações
Cód. ISO 3166-2 IN-HP
Sítio www.himachal.nic.in

A região predominantemente montanhosa que compreende o atual Himachal Pradexe tem sido habitada desde os tempos pré-históricos, tendo testemunhado várias ondas de migrações humanas de outras áreas.  Ao longo de sua história, a região foi governada principalmente por reinos locais, alguns dos quais aceitaram a suserania de impérios maiores. Antes da independência da Índia dos britânicos, Himachal compreendia as regiões montanhosas da província de Punjab, na Índia Britânica. Após a independência, muitos dos territórios montanhosos foram organizados como a província do Comissário Chefe de Himachal Pradexe, que mais tarde se tornou um Território da União. Em 1966, áreas montanhosas do estado vizinho de Punjab foram fundidas em Himachal e finalmente foi concedido o status de estado completo em 1971.[6]

Himachal Pradexe está espalhado por vales com muitos rios perenes fluindo através deles. A agricultura, a horticultura, a energia hidrelétrica e o turismo são importantes componentes da economia do estado. O estado montanhoso é quase universalmente eletrificado, com 99,5% dos lares tendo eletricidade em 2016. O estado foi declarado o segundo estado livre de defecação a céu aberto da Índia em 2016.  De acordo com uma pesquisa do CMS-India Corruption Study em 2017, Himachal Pradexe é o estado menos corrupto da Índia.[7][8][9]

Himachal Pradexe é dividido em 12 distritos.

Vila próxima ao Templo Trilokinath

História

editar

Início da história

editar

Tribos como os Koli, Hali, Dagi, Dhaugri, Dasa, Khasa, Kanaura e Kirata habitavam a região desde a era pré-histórica. O sopé do estado moderno de Himachal Pradexe foi habitado por pessoas da civilização do vale do Indo, que floresceu entre 2250 e 1750 a.C.  Acredita-se que os Kols e Mundas sejam os habitantes originais das colinas do atual Himachal Pradxe, seguidos pelos Bhotas e Kiratas.[10][11]

Durante o período védico, existiram várias pequenas repúblicas conhecidas como Janapada que mais tarde foram conquistadas pelo Império Gupta. Após um breve período de supremacia pelo rei Harshavardhana, a região foi dividida em vários poderes locais liderados por chefes, incluindo alguns principados de Rajput. Estes reinos gozavam de um grande grau de independência e foram invadidos pelo sultanato de Deli várias vezes.  Mahmud Ghaznavi conquistou Kangra no início do século 11. Timur e Sikander Lodi também marcharam pelas colinas mais baixas do estado, capturaram vários fortes e travaram muitas batalhas.  Vários estados montanhosos reconheceram a suserania mogol e prestaram tributos regulares aos mogóis.[12][10]

O Reino de Gorkha conquistou muitos reinos e chegou ao poder no Nepal em 1768.  Eles consolidaram seu poder militar e começaram a expandir seu território.  Gradualmente, o Reino do Nepal anexou Sirmour e Shimla. Sob a liderança de Amar Singh Thapa, o exército nepalês cercou Kangra. Eles conseguiram derrotar Sansar Chand Katoch, o governante de Kangra, em 1806 com a ajuda de muitos chefes provinciais. No entanto, o exército nepalês não conseguiu capturar o forte de Kangra, que ficou sob o comando do marajá Ranjeet Singh em 1809. Após a derrota, expandiram-se para o sul do estado. No entanto, Raja Ram Singh, Raja do Estado de Siba, capturou o forte de Siba dos remanescentes de Lahore Darbar em Samvat 1846, durante a Primeira Guerra Anglo-Sikh.[10]

Eles entraram em conflito direto com os britânicos ao longo do cinturão de tarai, após o que os britânicos os expulsaram das províncias do Satluj.  Os britânicos gradualmente emergiram como a potência primordial na região. Na revolta de 1857, ou primeira guerra de independência indiana, decorrente de várias queixas contra os britânicos, o povo dos estados montanhosos não era tão ativo politicamente quanto os de outras partes do país.  Eles e seus governantes, exceto Bushahr, permaneceram mais ou menos inativos.  Alguns, incluindo os governantes de Chamba, Bilaspur, Bhagal e Dhami, prestaram ajuda ao governo britânico durante a revolta.[10]

Os territórios britânicos ficaram sob a Coroa Britânica após a proclamação da Rainha Vitória em 1858. Os estados de Chamba, Mandi e Bilaspur fizeram bons progressos em muitos campos durante o domínio britânico.  Durante a Primeira Guerra Mundial, praticamente todos os governantes dos estados montanhosos permaneceram leais e contribuíram para o esforço de guerra britânico, tanto na forma de homens quanto de materiais. Entre eles estavam os estados de Kangra, Jaswan, Datarpur, Guler, Rajgarh, Nurpur, Chamba, Suket, Mandi e Bilaspur.[10]

Partição e pós-independência

editar

Após a independência, a Província do Comissário Chefe de Himachal Pradexe foi organizada em 15 de abril de 1948 como resultado da integração de 30 pequenos estados principescos (incluindo príncipes feudais e zaildars) nos promontórios do Himalaia ocidental. Estes eram conhecidos como os Estados de Simla Hills e quatro estados montanhosos do sul do Panjabe sob a Ordem Himachal Pradexe (Administração), 1948 sob as Seções 3 e 4 da Lei de Jurisdição Extra-Provincial, 1947 (mais tarde renomeada como Lei de Jurisdição Estrangeira, 1947 vide A.O. de 1950). O Estado de Bilaspur foi fundido em Himachal Pradexe em 1 de julho de 1954 pelo Himachal Pradexe and Bilaspur (New State) Act, de 1954.[10]

Himachal tornou-se um estado Parte 'C' em 26 de janeiro de 1950, quando a Constituição da Índia entrou em vigor e o vice-governador foi nomeado. A Assembleia Legislativa foi eleita em 1952. Himachal Pradexe tornou-se um território da união em 1 de novembro de 1956.  Algumas áreas do Estado de Punjab, a saber, Simla, Kangra, Kullu e Lahul e Spiti Distritos, Lohara, Amb e Una Kanungo círculos, algumas áreas do círculo Santokhgarh Kanungo e alguma outra área especificada de Una Tehsil do Distrito de Hoshiarpur, bem como Kandaghat e Nalagarh Tehsils do antigo Estado PEPSU, além de algumas partes do círculo de Dhar Kalan Kanungo do Distrito de Pathankot - foram fundidas com Himachal Pradexe em 1 de novembro de 1966 com a promulgação pelo Parlamento da Lei de Reorganização do Punjab, de 1966.  Em 18 de dezembro de 1970, a Lei do Estado de Himachal Pradexe foi aprovada pelo Parlamento, e o novo estado surgiu em 25 de janeiro de 1971. Himachal tornou-se o 18º estado da União Indiana com o Dr. Yashwant Singh Parmar como seu primeiro-ministro-chefe.[10]

Referências

  1. Lello Universal. Lello & Irmão. Porto, 1992
  2. Correia, Paulo (Primavera de 2019). «Duxambé, Chechénia e os estados Xã e Chim» (PDF). Sítio web da Direcção-Geral da Tradução da Comissão Europeia no portal da União Europeia. A Folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (n.º 59): 5-14. ISSN 1830-7809. Consultado em 8 de julho de 2019 
  3. Paulo, Correia (Verão de 2020). «Toponímia da Índia — breve análise» (PDF). Bruxelas: a folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias. p. 4. ISSN 1830-7809. Consultado em 8 de outubro de 2020 
  4. «Anurag Thakur pays tribute at Shaheed Sthal in Bilaspur, says Himachal Pradesh also known as 'Veerbhoomi'». ANI. 2021. Cópia arquivada em 2021 
  5. «Himachal Pradesh known as 'Dev Bhoomi' or 'Land of Gods and Goddess'». Sankrit Magazine. 2014. Cópia arquivada em 2021 
  6. «Prehistory and Protohistory». Official Website of Panchayati Raj Department, Government of Himachal Pradesh. Consultado em 29 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2018 
  7. «HP least corrupt state: CMS-India study». The Times of India. 30 de abril de 2017. Consultado em 7 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2018 
  8. «Corruption on decline in India; Karnataka ranked most corrupt, Himachal Pradesh least: Survey». Zee News. 28 de março de 2017. Consultado em 7 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 8 de fevereiro de 2018 
  9. Ashwani Sharma (28 de outubro de 2016). «Himachal becomes India's second 'Open Defecation Free' state, to get Rs 9,000 cr funding from World Bank». The Indian Express. Shimla. Consultado em 29 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 29 de dezembro de 2018 
  10. a b c d e f g «History of Himachal Pradesh». National informatics center, Himachal Pradesh. Consultado em 31 de março de 2008. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2006 
  11. Bhatt, SC; Bhargava, Gopal (2006). Land and People of Indian States and Union Territories Vol. X. [S.l.]: Kalpaz publications. p. 2. ISBN 81-7835-366-0 
  12. Verma 1995, pp. 28–35, Historical Perspective.

Fontes

editar

Fontes adicionais

editar

Ligações externas

editar
  Este artigo sobre Geografia da Índia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.