Homem de Altamura

O Homem de Altamura é um fóssil do gênero Homo descoberto em 1993 em um karst na Caverna de Lamalunga, perto da cidade de Altamura, Itália.

Imagens do fóssil

Notavelmente bem preservado, mas embutido em estalagmites e coberto por uma espessa camada de calcita, o achado foi deixado in loco, a fim de evitar danos. A pesquisa durante os vinte anos seguintes baseou-se principalmente nas observações documentadas no local. Consequentemente, os especialistas permaneceram relutantes em concordar com uma idade conclusiva nem houve consenso sobre as espécies a que pertencia.[1]

Somente depois que um fragmento da escápula direita (omoplata) foi recuperado foi possível produzir uma datação precisa do indivíduo, uma análise e diagnóstico de suas características morfológicas, e uma caracterização paleogenética preliminar. Em um artigo publicado em 2015 no Journal of Human Evolution, foi anunciado que o fóssil era um Neandertal, e a datação do calcita revelou que os ossos têm entre 128.000 e 187.000 anos de idade.[2]

O Homem de Altamura é um dos esqueletos paleolíticos mais completos já descobertos na Europa como "até mesmo os ossos dentro do nariz ainda estão lá" e a partir de 2016 representa a amostra mais antiga do DNA neandertal a ter sido sequenciada com sucesso.[3][4]

Referências

  1. «Calcified remains of Altamura Man yield oldest ever Neanderthal DNA sample». Ancient Origins. 4 de abril de 2015. Consultado em 6 de dezembro de 2020 
  2. Yirka, Bob (3 de abril de 2015). «Altamura Man yields oldest Neanderthal DNA sample». Archaeology & Fossils. Phys Org. Consultado em 6 de dezembro de 2020 
  3. «The Altamura man». Visit Altamuta: Citta del pane and so much more. Visit Altamura. 7 de outubro de 1993. Consultado em 6 de dezembro de 2020 
  4. Meister, Martin. «Neandertaler: Der verkannte Mensch». Neandertaler: Der verkannte Mensch. GEO Epoche. Consultado em 6 de dezembro de 2020