Abrir menu principal

Homer is Where the Art Isn't

"Homer is Where the Art Isn't"
630.º episódio da .ª temporada de Os Simpsons
Informação geral
Escrito por Kevin Curran
Produzido por Matt Selman
Al Jean
Transmissão original {{{data original}}}
Convidados

Bill Hader como o Detetive Manacek
Cecily Strong como Megan Matheson

Cronologia
"Frink Gets Testy"

"Homer Is Where the Art Isn't" é o décimo segundo episódio da vigésima nona temporada da série animada Os Simpsons, e o 630.º no total. Foi ao ar nos Estados Unidos pela FOX em 18 de março de de 2018. É o episódio final escrito pelo escritor de longa data Kevin Curran, que morreu em 2016.[1] O episódio é dedicado ao Stephen Hawking, que morreu quatro dias antes da exibição do episódio.[2]

EnredoEditar

Na Casa de Leilões de Gavelby, Homer e o Sr. Burns perdem para a magnata da tecnologia Megan Matheson na licitação da pintura de Joan Miró, The Poetess, com a qual Homer é obcecado, a ponto de tentar roubar a pintura no final do leilão. Quando a pintura chega à sua casa, Megan descobre que foi roubada. O detetive Manacek é chamado para resolver o caso.

Manacek vai para a casa de Megan devido a segurar a pintura pelo dobro do preço que ela pagou de US$ 30 milhões. Ela nega a acusação e envia Manacek para a mansão de Burns. Ele mostra que não pode ficar perdendo uma oferta para uma mulher, mas descarta a acusação também e envia Manacek ao suspeito final, Homer, devido à obsessão que ele mostrou sobre isso. Homer demonstra para ele o quanto ele quer a pintura na usina, mas nega tê-la roubada. À noite, Marge aparece no apartamento Brick Townhomes, de Manacek, para convencê-lo de que Homer é inocente, mas ele diz que só conversariam no jantar. Então Marge o convida para jantar em sua casa com sua família.

Depois do jantar, Homer entra em pânico quando começam a falar, e Bart e Marge explicam como Homer ficou obcecado com a pintura no Museu de Belas Artes de Springfield enquanto acompanhava uma viagem de campo, sonhando com isso à noite. Lisa, em seguida, revela que Homer confidenciou nela sobre a pintura, formando um interesse comum entre eles. Os dois então foram ao museu, apenas para encontrá-lo fechado por falta de fundos e a pintura foi despachada para uma casa de leilões. Os cidadãos protestaram contra o fechamento do museu, enquanto o prefeito Quimby explicou os cortes, incluindo o corte de 1/3 do Departamento de Polícia de Springfield, com Eddie tendo sido demitido, resultando em desistir dos protestos. Homer então decidiu entrar no leilão em uma tentativa de salvar a pintura, onde a cena retorna ao início do episódio, onde os lances ocorreram, e Homer tentou roubá-la.

Após a história, Homer escapa de casa, mas Manacek o encontra no museu, onde ele garante que ele é inocente, porque ele acha ele burro demais para roubar qualquer coisa. Manacek depois reúne todos os suspeitos juntos no museu e revela que Megan e Burns são os ladrões da pintura. Megan trocou os guardas de segurança por gêmeos contratados por ela, para simular o roubo, para que ela pudesse cobrar a apólice de seguro da namorada. No entanto, Burns bateu nela quando ele construiu uma casa de leilões idêntica ao lado do original e roubou-a do cofre.

Depois que Megan e Burns são presos e a pintura é recuperada da mansão de Burns, Manacek revela que o verdadeiro culpado não é outro senão a própria Lisa, já que a pintura não é outra coisa senão sua bolsa de plástico. Lisa explica que ela secretamente trocou a pintura antes do leilão acontecer, então ela não iria para casas de milionários escondidas de pessoas que os amam, como Homer. Como a propriedade da pintura volta para a cidade, ela é devolvida ao Prefeito Quimby, que escolhe preservá-la no estádio de futebol americano Springfield Arena, construída com o dinheiro da venda das artes públicas, onde Homer e Lisa vão alegremente ver a pintura, juntos.

Durante os créditos, há diferentes tomadas de Manacek como se fossem parte de um programa de detetive.

RecepçãoEditar

Dennis Perkins do The A.V. Club deu a este episódio B, afirmando: "Neste ponto de sua série de recordes, The Simpsons tem o direito—até mesmo o incentivo—a brincar com o formato que quiser. Aqui, o estilo tradicional de seriado linear da série é começando com Homer, roupas de luxo e pingue-pongue, preparando milhões de dólares para a pintura abstrata de Joan Miró, The Poetess, sendo superada pelo primeiro Sr. Burns e depois por 'tecnologia bilionária'. Megan Megan Matheson (Cecily Strong), e, enfurecida, sendo arrastada pela segurança gritando 'Não pegue a pintura, eu a amo'—claramente, há um mistério aqui. Tanto quanto aos comos e porquês de Homer J Simpson está envolvido em intrigas de arte de ponta, e de que forma esta reorganização da fórmula dos Simpsons está sendo feita."[3]

"Homer Is Where the Art Isn't" marcou uma classificação de 0,8 com uma quota de 3 e foi assistido por 2,10 milhões de pessoas, tornando-se o segundo maior programa da noite da Fox, atrás de Family Guy.[4]

ReferênciasEditar

  1. Scully, Mike (18 de março de 2018). «The final @TheSimpsons episode by the late Kevin Curran, tonight at 8PM on @FOXTV». Twitter. Consultado em 19 de março de 2018. Cópia arquivada em 19 de março de 2018 
  2. Selman, Matt (18 de março de 2018). «"In Loving Memory of Stephen Hawking"». Twitter. Consultado em 19 de março de 2018. Cópia arquivada em 19 de março de 2018 
  3. Perkins, Dennis (18 de março de 2018). «Bill Hader helps The Simpsons stick it to that Banacek guy, who must work there or something». Avclub.com. Consultado em 19 de março de 2018 
  4. Porter, Rick (20 de março de 2018). «'Bob's Burgers,' 'NCIS: LA' and 'AFV' adjust up, 'Deception' and '60 Minutes' down: Sunday final ratings». TV by the Numbers. Consultado em 20 de março de 2018 

Ligações externasEditar