Honda

Empresa Multinacional Japonesa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Honda (desambiguação).

Honda Motor Company, Limited (本田技研工業株式会社 Honda Giken Kōgyō Kabushiki Kaisha?, Instituto Honda de Pesquisa Tecnológica Companhia Limitada) é um dos mais importantes fabricantes de automóveis e motocicletas do mundo. Fundada por Soichiro Honda. Teve sua pronúncia "ronda" consolidada - antes "ondá" - após sua expansão e entrada no Mercado Alemão, determinando assim uma marca universal [2]. Embora seja uma empresa sediada no Japão, a Honda exporta os seus veículos para o mundo inteiro.

Honda Motor Company, Ltd.
A sede da Honda
Nome nativo 本田技研工業株式会社
Nome romanizado Honda Giken Kogyo Kabushiki-gaisha
Empresa de capital aberto
Slogan
  • The Power of Dreams
  • (em português: O Poder dos Sonhos)
Cotação
Atividade Conglomerado
Fundação Hamamatsu, Japão (outubro de 1946 (1946-10), incorporada no dia 24 de setembro de 1948 (1948-09-24))
Fundador(es)
Sede Minato, Metrópole de Tóquio,  Japão
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s)
  • Japan Trustee Services Bank (Confiança) (6,46%)
  • The Master Trust Bank of Japan (Confiança) (4,71%)
  • Mokusurei (3,09%)
  • Meiji Yasuda Life (2,83%)
  • Tokio Marine Nichido (2,35%)
  • (3月年2014 atualmente)
Presidente Takahiro Hachigo
Pessoas-chave
  • Fumihiko Ike
  • (Presidente do conselho de administração)
Empregados 208 399 (2016)[1]
Produtos
Divisões Acura
Subsidiárias
Lucro Baixa ¥344,5 bilhões (2016)[1]
Faturamento Baixa ¥14,60 trilhões (2016)[1]
Website oficial Honda Worldwide: Honda Motor Co., Ltd.
Robô ASIMO.
Logo.

A Honda participou ou participa de diversos campeonatos motorizados como a Formula 1, Indy Car, Moto GP, entre outros, seja como equipe ou fornecendo motores. A empresa possui mais de 167 mil funcionários em todo o mundo. São 507 empresas presentes em todo o planeta, 67 unidades de produção em 13 países e 43 unidades de pesquisas e desenvolvimento em 13 países.

BrasilEditar

Em 26 de outubro de 1971 começa a funcionar a Honda Motor do Brasil Ltda, responsável pela importação e distribuição dos produtos Honda no País. No início apenas motocicletas, dois anos mais tarde também produtos de força. Contudo, os primeiros motores a combustão foram importados pela empresa Irmãos Kai de Belo Horizonte, MG, ainda na década de 1960. A empresa, fundada pelos irmãos Takuhei Kai e Shiro Kai também foi a responsável pela primeira leva de importação das motocicletas Honda no Brasil na década de 1960.

 
Logo utilizado nas motocicletas no Brasil.
 
Moto Honda CG 150 Titan Flex 2009 com injeção mista de combustível.


FábricasEditar

E 1974, a Honda adquiriu um terreno de 1 milhão e 700 mil metros quadrados em Sumaré, no interior do estado de São Paulo, para instalar a fábrica de motocicletas. Um ano depois, o governo vetou a importação de motocicletas, o que forçou a Honda a antecipar seu projeto e construir sua fábrica em Manaus. A grande vantagem desta fábrica é a localização na Zona Franca, permitindo importar componentes do Japão com preço competitivo. Tendo Pelé como garoto-propaganda, começa em setembro de 1976 a produção da Honda CG125, moto urbana de mecânica simples. Em 1977, eram fabricadas 34 mil motocicletas no mercado brasileiro e a Honda já respondia por 79% deste total. Em 1981 foi produzida na fábrica de Manaus a primeira motocicleta a álcool do mundo, uma CG 125.[3] Atualmente, segundo a ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) a Honda produziu no Brasil no ano de 2005 um total de 981 590 motocicletas, o que corresponde a 80,9% da produção brasileira. O índice de nacionalização de uma CG 150 Titan é de 95%.

No ano de 1992 a Honda iniciou a importação de automóveis para o Brasil. Inicialmente com a comercialização dos modelos Accord e Accord Wagon, Civic Sedan, Civic CRX, Prelude e o Civic esportivo hatchback. Com uma boa perspectiva a Honda decide construir uma fábrica de automóveis no terreno que mantinha há mais de 20 anos em Sumaré. Em 3 de junho de 1996 começam as obras da nova fábrica, que foi inaugurada em 6 de outubro de 1997, com capacidade para produzir 15 mil unidades do modelo Civic Sedan por ano. Em 2005, de acordo com a Fenabrave (Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores) foram emplacados 57 039 veículos da marca no Brasil. O plano é continuar expandindo a fábrica de Sumaré até atingir as 100 mil unidades anuais.

A fábrica construída em Itirapina, em São Paulo, irá assumir parte da produção da unidade de Sumaré, que ficará com a fabricação de motores e componentes.[4][5]

 
Fábrica da Honda em Itirapina, São Paulo.

AutomóveisEditar

 Ver artigo principal: Lista de automóveis da Honda

A Honda disponibiliza uma vasta gama de automóveis. Entre estes os modelos Civic, Fit e Jazz na Europa, Prelude, Hr-v, Crx, NSX, Accord, Element, Integra, Beat, CR-V, City e o emblemático S2000 e NSX entre outros. O mais vendido é o Honda Civic pois é um modelo bom para novatos de condução, que são os principais admiradores da marca. Para além disso o Honda é conhecido por ter alta velocidade, sendo assim rival de marcas de alto gabarito. Em 2016 a Honda patenteou uma caixa automática de onze velocidades e com três embreagens.[6]

Honda Civic 2017. 
Honda Fit 2020. 
Honda CR-V 2020. 
Honda Accord 2019. 
Honda NSX. 
Honda CIty 2020. 
Honda S2000. 
Honda NSX 2020. 

AutomobilismoEditar

McLaren MP4-6 com motor Honda. 
Carro da BAR Honda. 
Honda NSX Concept-GT. 

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c «Financial Results: Honda Motor Company». Maio de 2016. Consultado em 15 de junho de 2016 
  2. História sobre o lema.
  3. História Honda
  4. http://www.valor.com.br/empresas/5427069/honda-transfere-producao-de-automoveis-de-sumare-para-itirapina-em-sp
  5. «Honda transfere produção de carros de Sumaré para Itirapina». revistaautoesporte.globo.com. Consultado em 26 de dezembro de 2019 
  6. «Honda cria caixa automática de três embraiagens». SÓ BARROSO® | Usados Sem Surpresas. Stand Nº1 em carros usados. Visite os nossos stands de exposição. Vendemos carros para todo o país em Braga, Porto, Lisboa, Faro. Consultado em 26 de dezembro de 2019 

Ligações externasEditar