Hooge (Bélgica)

vila em "Bellewaerde Ridge", cerca de 4 quilômetros a leste de Ypres, na província flamenga de West-Vlaanderen, na Bélgica

Hooge é uma pequena vila em "Bellewaerde Ridge", cerca de 4 quilômetros a leste de Ypres, na província flamenga de West-Vlaanderen, na Bélgica. Hooge e os locais próximos de Bellewaerde e Zillebeke foram fundidos em Ypres em 1976. A economia de Hooge é dominada pelo turismo e pela agricultura. Os turistas são atraídos pelos campos de batalha da Primeira Guerra Mundial e também por Bellewaerde, o parque temático em funcionamento mais antigo da Bélgica.

Vista panorâmica de Hooge com o
cemitério militar claramente visível

HistóricoEditar

Primeira Guerra MundialEditar

 
Mapa mostrando a localização de Hooge a leste de Ypres, bem como a linha de frente do "Saliente de Ypres" em junho de 1916

Na Primeira Guerra Mundial, a vila pertencia a um dos setores mais orientais do "Saliente de Ypres", o que a tornou o local de intensos e contínuos combates entre as forças alemãs e aliadas. A partir de 1914, a linha de frente do "Saliente de Ypres" passou pela área de Hooge e houve combates quase constantes naquela área nos três anos seguintes, durante os quais a vila e o "Château de Hooge" (veja abaixo) foram totalmente destruídos.[1] Mesmo durante tempos de relativa quietude nesta parte da Frente Ocidental, a taxa média de baixas para as forças britânicas e da Commonwealth era de cerca de 300 por dia.[1]

Durante a Primeira Batalha de Ypres (19 de outubro - 22 de novembro de 1914), quando os Aliados capturaram a cidade de Ypres dos alemães, o "Château de Hooge" foi usado pela 1ª e 2ª Divisões como quartéis-generais conjuntos.[2] No final da batalha em novembro de 1914, os alemães foram rechaçados, mas a linha de frente do "Saliente de Ypres" agora contornava Hooge.[3]

Durante a Segunda Batalha de Ypres (22 de abril - 25 de maio de 1915), Hooge foi novamente o local de intensos combates, incluindo a Batalha de Bellewaarde que foi travada naquela área de 24 a 25 de maio de 1915. No final de julho, os alemães novamente assumiram o controle da área.[4] Em 30 de julho de 1915, Hooge foi o local do primeiro uso de lança-chamas ("fogo líquido" como era referido na época), empregados pelos alemães contra as posições britânicas.[5] Hooge foi retomado pelos britânicos em 9 de agosto de 1915,[6] reclamado pelos alemães em 16 de junho de 1916 (para desenvolvimentos estratégicos nesta área durante junho de 1916, ver Batalha de Mont Sorrel) e retomado pelos britânicos em 31 de julho de 1917.[4] Os alemães retomaram Hooge em abril de 1918 como parte da "Ofensiva da Primavera", mas foram expulsos da área pelos britânicos em 28 de setembro de 1918.[6]

Referências

  1. a b «Hooge». World War One Battlefields. Consultado em 10 de março de 2021 
  2. Michael and Eamon Duffy (22 de agosto de 2009). «The Western Front Today - Hooge Crater». firstworldwar.com. Consultado em 10 de março de 2021 
  3. Simon. «Hooge - The British Arrive». webmatters.net. Consultado em 10 de março de 2021 
  4. a b Paul Reed. «HOOGE CRATER CEMETERY». battlefields1418.50megs.com. Consultado em 10 de março de 2021 
  5. «The Menin Road – The Craters at Hooge». thebignote.com. 14 de fevereiro de 2013. Consultado em 10 de março de 2021 
  6. a b «R.E. GRAVE, RAILWAY WOOD». Commonwealth War Graves Commission. Consultado em 10 de março de 2021 
  Este artigo sobre Geografia da Bélgica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.