Abrir menu principal
Horácio de Sá Viana Rebelo
Horácio José de Sá Viana Rebelo.
Nome nativo Horácio José de Sá Viana Rebelo
Nascimento 12 de novembro de 1910
Lisboa
Morte 28 de janeiro de 1995 (84 anos)
Lisboa
Sepultamento Lisboa
Cidadania Portugal
Ocupação acadêmico, engenheiro, dirigente esportivo
Prêmios Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo, Grande-Oficial da Ordem Militar de Cristo, Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis, Grande-Oficial da Ordem Militar de Avis, Comendador da Ordem Militar de Avis, Oficial da Ordem Militar de Avis
Religião Catolicismo

Horácio José de Sá Viana Rebelo GOCGCCOAComAGOAGCAMOSD (Lisboa, 22 de Novembro de 1910 - Lisboa, 25 de Janeiro de 1995) foi um militar, político, administrador colonial português e dirigente desportivo.

BiografiaEditar

Era filho de Domingos Augusto Rebelo e de sua mulher Maria da Conceição de Sá Viana. Teve como irmãos Fernando de Sá Viana Rebelo e Augusto de Sá Viana Rebelo. Casou-se em 1934 com Maria da Soledade Bebiano Correia de Carvalho, neta materna do 1.º Visconde de Castanheira de Pera. Teve como filhos Maria Helena Bebiano de Sá Viana pelo casamento de Almeida Coutinho, Pedro Bebiano de Sá Viana Rebelo e Rui Bebiano de Sá Viana Rebelo.

Em 1934 concluiu o Curso de Engenharia na Escola Militar. Posteriormente, de 1943 a 1946, fez o Curso do Estado-Maior, e em 1959 o Curso de Altos Comandos, tendo ascendido à categoria de General do Exército Português em 1964, passando à Reserva em 1973 e à Reforma em 1980.

Exerceu o cargo de Alto Comissário e de governador-geral da Província de Angola entre 1957 e 15 de Janeiro de 1960, tendo sido antecedido por Manuel de Gusmão Mascarenhas Gaivão e sucedido por Álvaro Rodrigues da Silva Tavares.[1][2][3]

Foi presidente do Sporting Clube de Portugal de 10 de Maio de 1963 a 28 de Maio de 1964. O mandato deveria terminar a 28 de Abril de 1964 mas foi prolongado até 28 de Maio para conquistar a única competição europeia da história do clube: a Taça das Taças.

A Rua Horácio Rebelo, em Castanheira de Pera, Castanheira de Pera, recebeu o seu nome.

Percurso MilitarEditar

Ao longo da sua carreira exerceu inúmeros e importantes cargos Militares e Civis, dos quais se destacam:

Colaborou em diversas revistas Militares e publicou trabalhos sobre Geografia militar.

Condecorações[4]Editar

Ao longo da sua carreira obteve diversos louvores e foi agraciado com dezasseis condecorações nacionais e estrangeiras, das quais se destacam:

Obra publicadaEditar

Em 1961 escreveu e publicou o livro Angola na África deste Tempo.

Intervenções ParlamentaresEditar

Enquanto Deputado da Nação pelo Círculo Eleitoral de Leiria à Assembleia Nacional:

IV Legislatura (1945-1949)

  • 1.ª Sessão Legislativa (1945-1946): Fala sobre a proposta de lei de autorização de receitas e despesas para 1946. Refere-se ao movimento de 7 de Fevereiro, fazendo considerações de ordem política e social.
  • 2.ª Sessão Legislativa (1946-1947): Não regista intervenções.
  • 3.ª Sessão Legislativa (1947-1948): Não regista intervenções.
  • 4.ª Sessão Legislativa (1948-1949): Discute a proposta do lei que introduz alterações na lei do recrutamento e serviço militar. Esclarece que a Comissão de Defesa Nacional concorda com os primeiros quatro artigos da proposta de lei que faz algumas alterações à lei do recrutamento e serviço militar e explica a proposta de substituição da mesma Comissão do corpo do artigo 5.º da referida proposta de lei, justificando ainda e explicando, em nome da Comissão diversos artigos da mesma proposta de lei.

V Legislatura (1949-1953)

  • 1.ª Sessão Legislativa (1949-1950): Refere-se ao embarque para os nossos portos da Índia e Macau do «Folar do expedicionário», iniciativa feliz da Mocidade Portuguesa e da Cruz Vermelha, e fala de noticias tendenciosas de jornais publicadas no estrangeiro. Discute

as Contas Gerais do Estado e as da Junta do Crédito Público, ambas de 1948.

  • 2.ª Sessão Legislativa (1950-1951): Mandato suspenso por integrar o Governo.
  • 3.ª Sessão Legislativa (1951-1952): Mandato suspenso por integrar o Governo.
  • 4.ª Sessão Legislativa (1952-1953): Mandato suspenso por integrar o Governo.

VI Legislatura (1953-1957)

  • Não toma posse, por incompatibilidade com as funções desempenhadas.

Referências

  1. Rulers.org - Angola
  2. worldstatesmen.org - Angola
  3. African States and Rulers, John Stewart, McFarland
  4. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Horácio José de Sá Viana Rebelo". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 3 de abril de 2015 

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar