Hotel Higino (Teresópolis)

O antigo Hotel Higino localiza-se no bairro do Alto, na cidade de Teresópolis, na região serrana de Estado do Rio de Janeiro. Depois de desativado de suas funções de Hotel e casino, funciona hoje como um condomínio privado, cujos anexos (teatro e salões sociais) servem como sede de convenções e eventos sociais

Fachado do antigo Hotel vista a partir da Avenida Oliveira Botelho

HistoriaEditar

No local do hotel funcionou o antigo Hotel dos Órgãos, inaugurado ainda no final do século XIX, depois rebatizado de Rizzi Palace Hotel, inaugurado no ano de 1924 e posteriormente comprado por Higino Tomas da Silveira, sendo rebatizado de Hotel Higino[1], tendo passado à inúmeros proprietários depois de sua morte. Entretanto este hotel foi destruído por um incêndio em 1930. Foi quando surgiu então o projeto de construi-lo em sua forma atual, o Hotel Casino Higino, luxuoso e grandioso nos moldes do Copacabana Palace e do Palácio Quitandinha em Petrópolis, e todo feito em estilo enxaimel, um estilo arquitetônico que se harmoniza com o clima ameno da cidade. O Hotel contava com suítes de alto padrão, inclusive algumas de categoria presidencial, além de teatro, boite, piscina, salões de festa, complexo esportivo, sauna, bares e jardins.

O projeto se adequava à um conceito de diversão muito em moda entre as classes altas da era Varguista, com um ambiente seleto voltado para o luxo, a sociabilidade e o lazer. O Hotel era considerado caro e elegante, e exigia normas de conduta tal como a obrigatoriedade de toalete dos hospedes antes do jantar[2]. No hotel funcionava um cinema para os hospedes, além de abrigar saraus literários e atividades culturais. Seu baile de carnaval era celebre e atraia figuras da sociedade do Rio de Janeiro nos anos 60 e 70[3]. O Hotel foi desativado na década de 70, tendo sido convertido em condomínio privado, o Edifício Teresópolis. Suas dependências comuns continuam servindo à eventos culturais e encontros sociais.

TombamentoEditar

O prédio é atualmente tombado como Patrimônio Municipal por lei municipal desde 2014, em virtude de seu interesse histórico e cultural e das características urbanísticas e simbólicas do imóvel, que contribuem para a identidade do Bairro do Alto e da Cidade de Teresópolis, funcionando como elemento estruturador [4].

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

ReferênciasEditar

  1. «Portal Terê - História - Cidade em Preto e Branco». www.portaltere.com. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  2. Minha Peregrinação Sobre a Terra: Cartas a José. [S.l.]: Thesaurus Editora. ISBN 9788570623782 
  3. Miranda, Haroldo de Souza (22 de julho de 2015). QUIRICOMBA - Navegando por histórias divertidas. [S.l.]: Editora Baraúna. ISBN 9788543703749 
  4. «DOERJ 06/10/2014 - Pg. 3 - Municipalidades | Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro | Diários Jusbrasil». Jusbrasil. Consultado em 17 de outubro de 2016