Hugo Carvana

ator brasileiro

Hugo Carvana de Hollanda (Rio de Janeiro, 4 de junho de 1937 — Rio de Janeiro, 4 de outubro de 2014) foi um ator e diretor de cinema e televisão brasileiro.[1] O ator tornou-se conhecido do grande público interpretando personagens notáveis na televisão, como o jornalista Valdomiro Pena, do seriado Plantão de Polícia, e o empresário Lineu Vasconcelos, da novela Celebridade, embora não escondesse sua paixão pelo cinema.[2]

Hugo Carvana
Nome completo Hugo Carvana de Hollanda
Nascimento 4 de junho de 1937
Rio de Janeiro, RJ
Morte 4 de outubro de 2014 (77 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Ocupação ator
diretor
Período de atividade 1961 a 2014
Principais trabalhos Vai Trabalhar, Vagabundo!
diretor e ator
Se Segura, Malandro!
diretor e ator
Prêmios

CarreiraEditar

Início e consagraçãoEditar

Hugo Carvana trabalhou em mais de cem filmes, desde a época em que começou, participando de algumas produções como figurante, por volta do ano de 1955, nas chanchadas da Atlântida.[3] Passando no inicio da década de 1960 por seu primeiro papel de destaque em Esse Rio que Eu Amo, atuando ao lado de Agildo Ribeiro e Tônia Carrero.[4] Até os sucessos de Bar Esperança e O Homem Nu, como diretor.[5] Em 1962, fez parte do movimento do Cinema Novo. Além disso, atuou também no Teatro de Arena de São Paulo, no Teatro Nacional de Comédia e no Grupo Opinião.[6] Em 1975, Carvana é convidado pelo diretor Daniel Filho, com quem já havia trabalhado em alguns filmes, a participar de sua primeira novela, Cuca Legal.[6]

Em vários filmes interpretou a imagem do malandro carioca, tendo estreado na direção com Vai Trabalhar, Vagabundo!, no ano de 1973, filme no qual também atuou.[6]

Diretor subestimadoEditar

 
Carvana (a direita) em Quando o Carnaval Chegar, em 1972.

O ator também foi um diretor subestimado no cinema nacional devido ao uso abundante de tomadas externas e em locais públicos (trens, ônibus, praças, ruas etc.) de seus filmes, mostrando o trabalhador, o pobre na sua condição mais crua, muitas vezes até atuando diretamente com o público, que aparece como é, sem a necessidade de figurantes, o que nos deixa ter uma ótima noção dos costumes do Rio de Janeiro da década de 1970.[7]

Nos seus filmes iniciais, ele expunha o cotidiano do carioca, abria espaço para uma crítica mais concreta, principalmente em seu segundo filme Se Segura, Malandro!, que foi rodado no governo Geisel.[8] Tal filme, se tornou possível devido ao momento político vivido em 1978, quando a produção foi lançada, um ano antes da anistia.

O humor, hoje, é moda. E se amanhã sair de moda, eu vou continuar fazendo humor. É uma devoção. Só consigo me olhar sob esse viés da alegria, da brincadeira, da ironia. Estou preso a essa bolha da alegria, e de dentro dela não pretendo sair.
— Hugo Carvana, em 2011

Anos seguintesEditar

 
Cacá Diegues dirigiu Hugo em Quando o Carnaval Chegar.

Durante as décadas de 1980 e 1990, apesar de manter-se ativo nas produções de cinema, Hugo teve papéis de destaque na Rede Globo. Interpretou personagens marcantes da teledramaturgia brasileira como Numa Pompílio de Castro na novela Fera Ferida de Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares e como Silva em De Quina pra Lua de Alcides Nogueira com argumentação de Benedito Ruy Barbosa.[9][10]

Em 1997, dirigiu o filme O Homem Nu, com roteiro de Roberto Santos protagonizado por Cláudio Marzo.[11][12] Nos anos seguintes, interpretou Azevedo em Corpo Dourado e Gouveia na minissérie Chiquinha Gonzaga.[13][14] No cinema, interpretou Queiroz em Mauá - O Imperador e o Rei.[15]

Em 2003, dirigiu o filme de comédia Apolônio Brasil, o Campeão da Alegria, protagonizado por Marco Nanini.[16] No mesmo ano, esteve no elenco da novela Celebridade de Gilberto Braga, onde interpretou um dos principais personagens de sua carreira, Lineu Vasconcelos.[17][18]

No ano de 2008, atuou novamente como diretor ao dirigir o longa de comédia Casa da Mãe Joana.[19] Nesse perído teve carreira intensa, participando em várias produções televisivas, como Paraíso Tropical, Casos e Acasos e JK.[20][21][22] Em 2009, entrou para o elenco de Malhação, onde interpretou o inspetor Ubiracy Cansado.[23]

Em 2011, dirigiu o longa Não se Preocupe, nada Vai Dar Certo! estrelado por Tarcísio Meira.[24] O filme foi indicado como Melhor trilha sonora no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2012.[25] No mesmo ano, interpretou o personagem Seu Silveira, na novela Insensato Coração.[26]

No ano de 2012, fez sua última participação na televisão na minissérie O Brado Retumbante interpretando Mourão.[27]

Em 2013, dirigiu seu último filme, Casa da Mãe Joana 2.[28] O filme foi visto por 142.072 pessoas nos cinemas.[29] No mesmo ano, participou do filme Giovanni Improtta como Cantagallo, de seu amigo pessoal José Wilker.[30][31] A última interpretação de Hugo, que possuí mais de cem filmes em sua trajetória, foi no filme Rio, Eu Te Amo como Manoel, um torcedor fanático do Fluminense Football Club.[32][33]

Vida pessoalEditar

Hugo Carvana nasceu na zona norte do Rio de Janeiro, mais especificamente em Lins de Vasconcelos, filho de uma costureira e de um comandante da Marinha Mercante.[5] Era casado com a jornalista Martha Alencar, e pai de Pedro, Maria Clara, Júlio e Rita, já adultos.[34][35]

Assim como no filme Rio, Eu Te Amo, Hugo foi um torcedor fanático do Fluminense Football Club.[36][37]

MorteEditar

No dia 4 de outubro de 2014, faleceu, aos 77 anos, em decorrente de um câncer de pulmão[38][39][40] descoberto em 1996. Seu corpo foi cremado.[2][41][42][43][44]

CronologiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem
1975 Cuca Legal Celso Maranhão (Jacaré)
Gabriela Argileu Palmeira
1979 Plantão de Polícia Valdomiro Pena
1982 Quem Ama Não Mata Fonseca
1984 Corpo a Corpo Alfredo Fraga Dantas
1985 De Quina pra Lua Silva
1986 Roda de Fogo Paulo Costa
1990 Gente Fina Guilherme Azevedo Paiva
1991 O Dono do Mundo Lucas
1992 As Noivas de Copacabana delegado Adroaldo de Lima
De Corpo e Alma Agenor Pinheiro
1993 Agosto Luiz Magalhães
Fera Ferida Numa Pompílio de Castro
1995 Engraçadinha: Seus Amores e Seus Pecados irmão Fidélis
Cara e Coroa Aníbal Santoro
1998 Corpo Dourado Azevedo
1997 A Indomada psiquiatra
1999 Chiquinha Gonzaga Gouveia
O Belo e as Feras barman
Andando nas Nuvens Wagner Maciera
2001 Um Anjo Caiu do Céu Sargento Garcia
Porto dos Milagres Dr. Gouveia
2002 Desejos de Mulher Atílio Miranda
2003 Celebridade Lineu Vasconcelos
2004 Como uma Onda Sinésio Paiva
2006 JK Sampaio
2007 Paraíso Tropical Belisário Cavalcanti
2008 Casos e Acasos Álvaro
Malhação Paulo Lopret
Guerra e Paz Moreira
Três Irmãs Dr. Andrade
2009 Malhação Inspetor Ubiracy Cansado
2010 Na Forma da Lei Jorginho Monteverde
2011 Insensato Coração Olegário Silveira (Seu Silveira)
2012 O Brado Retumbante Jorge Mourão

CinemaEditar

Como diretorEditar

Ano Título
1973 Vai Trabalhar, Vagabundo!
1978 Se Segura, Malandro!
1982 Bar Esperança
1991 Vai Trabalhar, Vagabundo II: a Volta
1997 O Homem Nu
2003 Apolônio Brasil, o Campeão da Alegria
2008 Casa da Mãe Joana
2011 Não se Preocupe, nada Vai Dar Certo!
2013 Casa da Mãe Joana 2

Como atorEditar

Ano Título Personagem
1954 Trabalhou Bem, Genival
1956 Contrabando
1957 Tudo É Música
1961 Esse Rio que Eu Amo
1962 Os Cafajestes Fotógrafo
1963 Os Fuzis José
1964 Crime de Amor Gilcério
1965 O Desafio Jornalista
A Falecida Homem no Bar
1966 A Grande Cidade Pereba
1967 Terra em Transe Álvaro
O Engano Marido
1968 O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro Mattos
O Homem que Comprou o Mundo Cabo Jorge[45]
A Vida Provisória Pedro
Antes, o Verão o Homem
Como Vai, Vai Bem? Amigo de Sérgio
Jardim de Guerra
O Bravo Guerreiro Operário
Um Homem e Sua Jaula Tino
1969 Macunaíma Homem com pato
O Anjo Nasceu Santamaria
Os Herdeiros Maia
Pedro Diabo Ama Rosa Meia-Noite Delegado
Tempo de Violência Homem I
1970 O Leão de Sete Cabeças Português
O Capitão Bandeira contra o Dr. Moura Brasil Dr. Gestaile
Pindorama Governador
1971 O Rei dos Milagres
Procura-se uma Virgem
1972 Quando o Carnaval Chegar Lourival
Amor, Carnaval e Sonhos Malandro
Câncer
1973 Tati, a Garota Capitão Peixoto
Toda Nudez Será Castigada Comissário
Vai Trabalhar, Vagabundo Secundino Meireles
1974 Ipanema, Adeus Carlos
1975 A Nudez de Alessandra
1976 A Queda José
Gordos e Magros
Marília e Marina (não creditado)
1977 Anchieta, José do Brasil
Tenda dos Milagres Fausto Pena
Mar de Rosas Carlos
Se Segura, Malandro! Paulo Otávio [46]
1982 Bar Esperança Zeca
1983 Águia na Cabeça Turco
1984 Bete Balanço Tony
1985 Avaeté - Semente da Vingança Ramiro
1987 Leila Diniz Clyde
1990 Boca de Ouro Caveirinha
1991 Assim na Tela como no Céu
Vai Trabalhar, Vagabundo II: a Volta Dino
1997 O Homem Nu Motorista de Táxi
1999 Mauá - O Imperador e o Rei Queiroz
2001 A Breve Estória de Cândido Sampaio Sem teto[47]
2002 Sonhos Tropicais Macedo
2003 Apolônio Brasil, o Campeão da Alegria O Beggar
Deus É Brasileiro Quincas Batalha
2005 Mais Uma Vez Amor Dr. Alvarez
2006 Achados e Perdidos Juiz
O Maior Amor do Mundo Salvador
2008 Casa da Mãe Joana Salomão
2009 Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos Taxista
2010 5x Favela - Agora por Nós Mesmos Dos Santos
2011 Não se Preocupe, nada Vai Dar Certo! Zimba
2013 Giovanni Improtta Cantagallo
2014 Rio, Eu Te Amo Manoel

PrêmiosEditar

  • Kikito de Ouro de melhor ator, no Festival de Gramado, por Vai trabalhar vagabundo 2 - a volta (1991).
  • Troféu Candango de melhor Ator no Festival de Brasília, por Vai trabalhar vagabundo 2 - a volta (1991).
  • Kikito de Ouro de melhor roteiro, no Festival de Gramado, por Bar Esperança (1983).
  • Kikito de Ouro de melhor filme, no Festival de Gramado, por Vai trabalhar vagabundo (1973).

Referências

  1. «Hugo Carvana – Memória». Memória Globo. Consultado em 23 de julho de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. a b Isto É Gente. «O uísque me salvou Entrevista a Luís Edmundo Araújo». Consultado em 30 de março de 2012 
  3. «Morre no Rio o ator e cineasta Hugo Carvana». Agência Brasil. 4 de outubro de 2014. Consultado em 23 de julho de 2020 
  4. Esse Rio que Eu Amo (1962) (em inglês), consultado em 23 de julho de 2020 
  5. a b Guia da Semana. «Biografia Hugo Carvana». Consultado em 29 de março de 2012 
  6. a b c Meu Cinema Brasileiro. «Personalidades: Hugo Carvana». Consultado em 29 de março de 2012 
  7. Augusto Cesar Pimentel do Monte Lima e Marco Antonio Serafim de Carvalho. «Hugo Carvana, ator e cineasta: a malandragem carioca no cinema brasileiro, nos governos de Emílio Garrastazu Médici e Ernesto Geisel.» (PDF). Consultado em 29 de março de 2012 
  8. Cardenuto, Reinaldo. «A malandragem no país da ditadura: humor, deboche e política no cinema realizado por Hugo Carvana». Antíteses (UEL). Consultado em 23 de julho de 2020 
  9. «Personagens – De Quina pra Lua – Memória». Memória Globo. Consultado em 23 de julho de 2020 
  10. «Personagens – Fera Ferida – Memória». Consultado em 23 de julho de 2020 
  11. «O Homem Nu (1997) – RioFilme». Consultado em 23 de julho de 2020 
  12. «Corujão: Claudio Marzo é 'O Homem Nu', nesta segunda-feira, dia 18». Rede Globo. 14 de janeiro de 2016. Consultado em 23 de julho de 2020 
  13. «Personagens – Corpo Dourado – Memória». Memória Globo. Consultado em 23 de julho de 2020 
  14. «Chiquinha Gonzaga – Memória». Consultado em 23 de julho de 2020 
  15. Mauá - O Imperador e o Rei (1999) (em inglês), consultado em 23 de julho de 2020 
  16. AdoroCinema, Apolônio Brasil - O Campeão da Alegria, consultado em 23 de julho de 2020 
  17. Miguel, Barbieri Jr. (26 de fevereiro de 2017). «Os altos e baixos da carreira de Hugo Carvana, que morreu aos 77 anos | Blog do Miguel». VEJA SÃO PAULO (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2020 
  18. «Personagens – Celebridade – Memória». Consultado em 23 de julho de 2020 
  19. AdoroCinema, Casa da Mãe Joana, consultado em 23 de julho de 2020 
  20. «Paraíso Tropical > Personagens - TUDO SOBRE O PERSONAGEM - Belisário Cavalcanti». Paraíso Tropical. Consultado em 23 de julho de 2020 
  21. Bode.io. «Casos e Acasos 2008». Globo Imprensa. Consultado em 23 de julho de 2020 
  22. Xavier, Nilson (5 de outubro de 2014). «Nilson Xavier - Relembre os trabalhos de Hugo Carvana na televisão». UOL. Consultado em 23 de julho de 2020 
  23. «Hugo Carvana entra para o elenco de 'Malhação'». Terra. 27/09/2009. Consultado em 23 de julho de 2020 
  24. G1 (4 de agosto de 2011). «Tarcísio Meira vive picareta em 'Não se preocupe, nada vai dar certo'». Pop & Arte. Consultado em 23 de julho de 2020 
  25. RJ, Do G1 (15 de outubro de 2012). «Veja os vencedores do 11º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro». Cinema. Consultado em 23 de julho de 2020 
  26. «Insensato Coração novela das nove da Rede Globo». Insensato Coração. Consultado em 23 de julho de 2020 
  27. Xavier, Nilson. «O Brado Retumbante». Teledramaturgia. Consultado em 23 de julho de 2020 
  28. Rio, Lívia TorresDo G1 (28 de agosto de 2013). «Aos 75, Carvana lança 'Casa da mãe Joana 2': 'Adoro um trambiqueiro'». Cinema. Consultado em 23 de julho de 2020 
  29. AdoroCinema, Bilheterias de filme Casa da Mãe Joana 2, consultado em 23 de julho de 2020 
  30. G1, Do; Paulo, em São (4 de outubro de 2014). «Veja a repercussão da morte do cineasta e ator Hugo Carvana». Pop & Arte. Consultado em 23 de julho de 2020 
  31. Giovanni Improtta (2013) (em inglês), consultado em 23 de julho de 2020 
  32. «Nona etapa do longa 'Rio, eu te amo' traz Fernanda Montenegro e Regina Casé como mendigas». O Globo. 23 de novembro de 2013. Consultado em 23 de julho de 2020 
  33. Milani, Robledo. «In Memoriam :: Hugo Carvana (1937-2014)». Consultado em 23 de julho de 2020 
  34. Farias, Carolina (5 de outubro de 2014). «Mulher de Hugo Carvana revela planos de novo filme: "Era o que o mantinha vivo"». Quem. Consultado em 23 de julho de 2020 
  35. «Na produção do longa do marido Hugo Carvana, a jornalista Martha Alencar circula em Fortaleza acompanhada do diretor de arte do filme, Marcos Flaksman». Portal IN - Pompeu Vasconcelos - Balada IN. 9 de janeiro de 2010. Consultado em 23 de julho de 2020 
  36. «Torcedor ferrenho do Fluminense, morre cineasta Hugo Carvana». ND. 4 de outubro de 2014. Consultado em 23 de julho de 2020 
  37. «Com mulher e filhos, Hugo Carvana é velado no Rio de Janeiro». Terra. 5 de outubro de 2014. Consultado em 23 de julho de 2020 
  38. G1 RJ (4 de outubro de 2014). «Hugo Carvana morre aos 77 anos». G1. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  39. «Ator e diretor Hugo Carvana morre aos 77 anos no Rio de Janeiro». Folha de S. Paulo. Ilustrada. 4 de outubro de 2014. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  40. UOL SP (4 de outubro de 2014). «Morre, aos 77 anos, o ator e diretor Hugo Carvana». UOL Cinema. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  41. Corpo do ator e diretor Hugo Carvana vai ser cremado hoje à tarde. Carvana morreu no sábado e foi velado ontem TV Brasil / EBC
  42. Corpo de Hugo Carvana é velado no Rio de Janeiro; cremação acontecerá amanhã. Carvana morreu na tarde deste sábado (4), aos 77 anos, vítima de um câncer de pulmão Correio 24 Horas
  43. Corpo de Hugo Carvana é cremado no Rio - Familiares e amigos se reuniram nesta segunda-feira (6) para a cerimônia de cremação Revista M de Mulher
  44. Corpo de Hugo Carvana será cremado nesta segunda Revista Em Resumo
  45. «O Homem que Comprou o Mundo». Cinemateca Brasileira. Consultado em 28 de fevereiro de 2018 
  46. Cinemateca Brasileira - Se segura, malandro
  47. «A Breve Estória de Cândido Sampaio». Porta Curtas. Consultado em 26 de fevereiro de 2018 

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Hugo Carvana

Precedido por
Chiquinho Brandão
por Beijo 2348/72
Troféu Candango de Melhor Ator
por Vai Trabalhar, Vagabundo II

1991
Sucedido por
José Mayer
por Perfume de Gardênia