Abrir menu principal

Hugo Pimentel

ator argentino
Hugo Pimentel
Nascimento 25 de janeiro de 1919
San Fernando
Morte 1 de junho de 1984 (65 anos)
Caracas
Cidadania Argentina, Espanha
Ocupação ator de teatro, ator de cinema
Causa da morte câncer de pulmão

Hugo Pimentel (San Fernando, província de Buenos Aires, Argentina; 25 de janeiro de 1919 - Caracas, Venezuela;1 de junho de 1984) foi um ator argentino, estabelecido em Espanha.

CarreiraEditar

Hugo Pimentel foi uma brilhante figura da cena nacional, cómico, imitador, parodista, ventrílocuo e actor de raça que acompanhou com o papel de galã a figuras da época dourada do cinema argentino da talha de Susana Campos, Golde Flami, Susana Canais, Norma Giménez, Nuri Montsé e Lidia Denis, entre muitas outras. Filmou uns 25 filmes na Argentina.[1]

Fez parte da Cruzada do Bom Humor e trabalhou junto aos primeiros actores cómicos Pepe Arias e Pepe Marrone, entre outros. Em 1951 fez vários varietés em Rosario, Santa Fé. Também integrou diversos tríos cómicos nos que contam Os três mosquiteros e Bertoldo, Bertolino e Cacaseno.[2]

Fez rádio, teatro e televisão. Fez a novela Nós dois junto com Nélida Bilbao.[3] Trabalhou em vários radioteatros e radionovelas de numerosas emissoras. Na década do '40 e '50 participou no Teatro Palmolive do Ar, no episódio Revivendo a emoção do tango, junto com Queca Ferreiro, Meneca Norton, Américo Deita Machado, Ricardo Passano, entre outros. Em 1943 actuou por Rádio O Mundo no radioteatro O alma em flor de Carlos Schaefer Galo, junto com Rosa Rosen, Santiago Arrieta, Mangacha Gutiérrez, Martín Zabalúa e Hilda Bernard.[4]

Também recitou poesias baixo a "Companhia Juvenil de Arte", num radioteatro titulado Revivendo a emoção dos mais belos poemas, junto com Delia Garcés, Alita Román, Pablo Lagarde, Queca Ferreiro, Mario Lugones, Pepe Ferreiro, Inés Edmonson e Elda Christie.[5] Trabalhou em 1951 na obra cómica de três atos, Crispín, de Insausti e Malfatti, estreada no Teatro Politeama Argentino. Aqui fez parte da "Companhia Argentina de Comédias Pepe Arias", junto com Beatriz Taibo, Hilda Rei, Ricardo Duggan, Ramón Garay e Ricardo Duggan.

Contínua sua carreira em Argentina até em 1956, ano em que se instala definitivamente em Espanha.

Desde 1964 até 1969 trabalhou fazendo uma dupla com Rafael Buono.

Hugo Pimentel faleceu aos 65 anos num hospital em Caracas, Venezuela, vítima de um cancro de pulmão.

Referências

  1. De la Fuga a la Fuga: Diccionario de Films Policiales. [S.l.: s.n.] 124 páginas 
  2. Historia del teatro argentino en las provincias, Volume 2. [S.l.: s.n.] 473 páginas. ISBN 978-950-556-507-8 
  3. La magia de la televisión argentina: 1951-1960, cierta historia documentada. [S.l.: s.n.] 79 páginas 
  4. http://rosarosen.blogspot.com.ar/2005/11/radioteatro-1942-el-conde-de.html
  5. Carlos Hugo Christensen: Historia de una Pasión Cinematográfica. [S.l.: s.n.] 173 páginas 

Ligações externasEditar