Hussein Kamel

Hussein Kamel
Nascimento 21 de outubro de 1954
Reino do Iraque
Morte 23 de fevereiro de 1996 (41 anos)
Iraque Baathista
Sepultamento Iraque
Cidadania Iraque
Cônjuge Raghad Hussein
Ocupação político, militar
Prêmios Grã-Cruz da Ordem do Mérito Civil
Causa da morte homicídio premeditado

Hussein Kamel Hassan al-Majid (em árabe: حسين كامل حسن المجيد) u (1954 ? - 23 de fevereiro de 1996) era genro e primo de segundo grau do presidente iraquiano Saddam Hussein. Ele desertou para a Jordânia e deu assistência a Comissão Especial das Nações Unidas (CENU) e as equipes de fiscalização da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) designados para procurar armas de destruição em massa no Iraque.

BiografiaEditar

Kamel fez rápida carreira no exército e tornou-se ministro para a indústria militar do país. Nessa qualidade, presidiu a Comissão de Industrialização Militar e havia estado no comando dos programas de armas do Iraque em 1987.

Ele casou com a filha de Saddam Hussein, Raghad Hussein, e viveu até 1995 no Iraque. Em 7 de Agosto daquele ano, fugiu para a Jordânia com sua esposa e seu irmão, o coronel Saddam Kamel. Seu irmão também foi acompanhado por sua esposa, Rana Hussein, também uma filha do ditador.

A Jordânia concedeu asilo político aos fugitivos. Kamel iniciou uma cooperação com o diretor da missão de inspeção de armas da ONU, UNSCOM, Rolf Ekeus. Ele também trabalhou com a CIA e o MI6. Kamel repassou muitas informações para os inspetores da ONU.

Kamel confirmou que o Iraque possuía um programa de armas biológicas antes da Segunda Guerra do Golfo. Um pouco mais tarde, Saddam Hussein permitiu, após a pressão dos inspetores da ONU, o acesso às instalações e vários documentos. Kamel insistiu que o Iraque tinha destruído desde a Guerra do Golfo de 1991, todos os estoques de armas de destruição em massa.

Em Fevereiro de 1996, os agentes de Saddam Hussein asseguraram aos irmãos Kamel que eles haviam sido perdoados. Saddam Kamel e Hussein Kamel foram convencidos a voltar junto com suas esposas ao Iraque. Imediatamente após sua chegada, eles foram forçados a se divorciarem de suas esposas e condenados como traidores. Três dias depois, os dois irmãos foram mortos em um tiroteio com as forças de segurança.

Ligações externasEditar