Abrir menu principal
IESA Óleo e Gás
Razão social Internacional de Engenharia S.A.
Empresa de capital fechado
Atividade Construção
Gênero Subsidiária
Fundação 2005 (14 anos)
Sede Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro,  Brasil
Proprietário(s) Grupo Inepar
Pessoas-chave Valdir Lima Carreiro
Otto Garrido Sparenberg
Antecessora(s) IESA Projetos (2003-2005)
Website oficial www.iesa.com.br

IESA Óleo e Gás é uma empresa brasileira de engenharia, construção e montagem, do Grupo Inepar. Foi originada em 2005 de uma divisão de IESA Projetos, e atualmente tem sede no Rio de Janeiro, e filias em SP, RJ e RS.[1] A IESA teve seu nome envolvido no escândalo da Petrobras, investigado pela Operação Lava Jato.

Índice

PetrolãoEditar

 Ver artigo principal: Operação Juízo Final

O esquema de corrupção da Petrobras, que ficou conhecido como Petrolão, teve um dos diretores da IESA (Otto Garrido Sparenberg) preso pela Polícia Federal em 14 de novembro de 2014.[2] Otto Garrido foi preso na sétima fase da operação.[2]

Rompimento com a PetrobrasEditar

Na semana em que rompeu contratos com a Petrobras, o dono do grupo, Inepar, entrou com pedido de recuperação judicial, protocolado na 1º vara de falências e recuperações judiciais da comarca de São Paulo.[3]

Consequências da corrupçãoEditar

De imediato a sede da Iesa Óleo e Gás foi fechada. Há alguns anos, a instalação da fábrica de módulos era um prenúncio de tempos de bonança e pleno emprego. Mas o resultado da corrupção foi a situação de calamidade pública decretada pela prefeitura, com a demissão de mil pessoas, dívidas superiores a R$ 350 mil no comércio local, milhões em financiamentos não quitados e doações suspeitas para campanhas políticas.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Iesa Óleo e Gás SA». Site Oficial. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  2. a b «PF prende diretor da IESA Óleo e Gás em nova fase da Lava Jato». Estadão. 14 de novembro de 2014. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  3. «Grupo dono da Iesa apresenta plano de recuperação judicial». Gazeta do povo. 25 de novembro de 2014. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  4. «Vítimas da corrupção: operação Lava-Jato deixa rastros no RS». Portal Terra. 5 de dezembro de 2014. Consultado em 12 de setembro de 2015 

Ligações externasEditar