Abrir menu principal

I See a Dark Stranger

filme de 1946 dirigido por Frank Launder
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Cinema.
Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde julho de 2016.
I See a Dark Stranger
Um Estranho na Escuridão[1] (BRA)
 Reino Unido
1946 •  pb •  112 min 
Direção Frank Launder
Produção Sidney Gilliat
Frank Launder
Roteiro Sidney Gilliat
Frank Launder
(argumento & roteiro)
Wolfgang Wilhelm
Liam Redmond
(diálogos adicionais)
Elenco Deborah Kerr
Trevor Howard
Gênero filme de espionagem
filme de guerra
filme de drama
filme de suspense
Música William Alwyn
Distribuição General Film Distributors (Reino Unido)
Eagle-Lion Films (EUA)
Lançamento Reino Unido 4 de julho de 1946 Estados Unidos 3 de abril de 1947
Idioma inglês

I See a Dark Stranger é um filme britânico de de 1946, dos gêneros drama, guerra e suspense, dirigido por Frank Launder.[1]

Índice

ElencoEditar


SinopseEditar

Bridie Quilty é uma irlandesa idealista que cresceu odiando os ingleses por ouvir as histórias de seu pai, um antigo militante do IRA na Revolta de Dublin em 1919. Em 1944, antes do Dia D, quando completa 21 anos e com o pai já falecido, Bridie resolve também entrar para o IRA e vai para Dublin se encontrar com Michael O'Callaghan, antigo militante e ex-companheiro de seu pai. Mas o homem avisa que agora os irlandeses estão em paz com a Inglaterra e não há mais luta. Bridie não se conforma e sua antipatia contra os ingleses, principalmente contra Oliver Cromwell a quem o pai odiava, chama a atenção do espião nazista J. Miller que a conhecera durante a viagem. Bridie acaba aliciada por ele num plano para libertar da cadeia de Devon outro nazista, Oscar Pryce, que escondeu informações cruciais para o destino da guerra na Europa. Além dela, o militar inglês Tenente David Baynes também é envolvido por Miller que desconfiava dele e, percebendo que Bridie por quem se apaixonara corre perigo, tenta ajudá-la.

ProduçãoEditar

Frank Launder e Sidney Gilliat, que foram escritores que trabalharam para Alfred Hitchcock para o filme de 1938 The Lady Vanishes, fundaram a Individual Pictures em 1945, com a intenção de dirigirem os próprios filmes. I See a Dark Stranger foi a primeira das dez fitas lançadas pela companhia.[2]

I See a Dark Stranger foi filmado em várias locações, incluindo Dublin, Dundalk e na região de Wexford na Irlanda, Devon na Inglaterra e a Ilha de Man.[2]

RecepçãoEditar

Foi lançado nos Estados Unidos com o título The Adventuress e teve boas avaliações mas pouco público. Bosley Crowther, crítico do New York Times, disse que o filme era "extremamente sensível e perspicaz ".[2]

PremiaçãoEditar

Deborah Kerr venceu em 1947 o Prêmio do New York Film Critics Circle como "Melhor Atriz" por suas atuações em Black Narcissus e I See a Dark Stranger.[3]

  A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. a b «Um Estranho na Escuridão». Brasil: CinePlayers. Consultado em 23 de outubro de 2018 
  2. a b c Feaster, Felicia "I See a Dark Stranger" (artigo no TCM)
  3. Martin, Douglas. "Deborah Kerr, Actress Known for Genteel Grace and a Sexy Beach Kiss, Dies at 86" New York Times (19 de outubro de 2007)
  Este artigo sobre um filme britânico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.