Abrir menu principal

Ibitinga

município brasileiro no estado de São Paulo
Disambig grey.svg Nota: se procura outros significados de Ibitinga, veja Ibitinga (desambiguação).

Ibitinga é um município do estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 21º45'28" sul e a uma longitude 48º49'44" oeste, estando a uma altitude de 491 metros. Sua população estimada em 2018 era de 59 451 habitantes. Possui uma área de 689,391 km². O município é formado pela sede e pelo distrito de Cambaratiba[6][7].

Município Estância Turística de Ibitinga
"Capital Nacional do Bordado"
"Cidade Ternura"
Bandeira Estância Turística de Ibitinga
Brasão Estância Turística de Ibitinga
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 4 de julho de 1890 (128 anos)
Gentílico ibitinguense
CEP 14940-001 até 14949-999
Prefeito(a) Cristina Maria Kalil Arantes (PSB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização Estância Turística de Ibitinga
Localização Estância Turística de Ibitinga em São Paulo
Estância Turística de Ibitinga está localizado em: Brasil
Estância Turística de Ibitinga
Localização Estância Turística de Ibitinga no Brasil
21° 45' 28" S 48° 49' 44" O21° 45' 28" S 48° 49' 44" O
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária

Araraquara IBGE/2017[1]

Região imediata

Araraquara IBGE/2017[1]

Municípios limítrofes Itápolis, Tabatinga, Nova Europa, Boa Esperança do Sul, Bariri, Itaju, Iacanga, Borborema
Distância até a capital 360 km
Características geográficas
Área 689,391 km² [2]
População 59 451 hab. Censo IBGE/2018[3]
Densidade 86,24 hab./km²
Altitude 491 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,747 alto PNUD/2010 [4]
PIB R$ 623 092,882 mil Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[5]
PIB per capita R$ 11 849,93 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[5]
Página oficial
Câmara http://www.ibitinga.sp.leg.br

O município possui o distrito de Cambaratiba, que é motivo de orgulho para o município, distante 27 km no sentido Iacanga, às margens da Usina Hidrelétrica de Ibitinga.

Índice

Estância turísticaEditar

 Ver artigo principal: Estância turística (São Paulo)

Ibitinga está localizado a 358 quilômetros de São Paulo. É considerada a "Capital Nacional do Bordado", e atrai milhares de visitantes para suas diversas lojas. Muitos vão até a cidade para comprar artigos de cama, mesa e banho. A indústria e o comércio de bordados são os grandes responsáveis pelo desenvolvimento econômico local nos últimos anos.

Ibitinga é um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por lei estadual. Tal status garante, a esses municípios, uma verba maior por parte do estado para a promoção do turismo regional. O município também adquire o direito de agregar, junto ao seu nome, o título de "estância turística", expressão pela qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

A cidade dispõe de uma boa infraestrutura e serviços turísticos, entre eles a Festa do Padroeiro Senhor Bom Jesus, que é realizada anualmente no mês de agosto.

O Corpus Christi em Ibitinga é celebrado de forma diferente. Os fiéis da cidade preparam tapetes feitos de tecidos bordados. Eles são colocados no espaço de 10 quarteirões na região da Igreja Matriz, por onde passa a procissão. O evento é realizado há mais de 35 anos na cidade e em média 50 mil pessoas prestigiam a festa a cada ano. Todos os anos, a população doa produtos, como roupas de cama, mesa e banho, que são bordados pelas bordadeiras da cidade. Além disso, muitos voluntários ajudam na montagem dos tapetes.[8]

Há, também, a encenação ao vivo das "15 Estações da Via Sacra", com coreografia e cenários próprios da época. Os atores seguem fielmente o texto bíblico, para incrementar o turismo na cidade de Ibitinga. A apresentação oficial é realizada na semana da Páscoa, sendo considerado um dos principais espetáculos do gênero.

O Museu Duilio Galli é outro lugar para se visitar na cidade. Neste local, é possível observar cerca de 128 obras, como: pinturas a óleo, gravuras, desenhos, serigrafias e esculturas acadêmicas, impressionistas e primitivas (essas obras são dos artistas: Tarsila do Amaral, Alfredo Volpi, Vinicius Pradella e Aldemir Martins).[9]

Ibitinga está localizada no centro geográfico do estado de São Paulo: o Vale do Médio Tietê.

Os recursos naturais são abundantes, com área de rara beleza, sendo banhada pelos rios Tietê, Jacaré-Pepira, Jacaré-Guaçu, São Lourenço, São João e Ribeirão dos Porcos. Assim, o município se destaca também em seu sistema fluvial.

O Rio Tietê conserva suas águas despoluídas e abriga a Usina Hidrelétrica de Ibitinga, que, através do canal da eclusa, integra a importante Hidrovia Tietê-Paraná. O Gasoduto Bolívia-Brasil também passa por aqui. O rio Jacaré-Pepira detém o título de rio mais limpo e preservado do Estado. Nele, está localizado o Pantaninho – reserva pantanosa com similaridade ímpar, tanto na fauna quanto na flora, ao Pantanal Mato-grossense.

Outras atrações de Ibitinga são: a prática dos voos panorâmicos de trike sobre o Pantanal Paulista, Eclusa e Encontro das Águas, e o passeio aéreo no Aeroclube de Ibitinga. Recomenda-se o passeio às Eclusas de Barra Bonita e Ibitinga. Neste local, o turista irá se encantar com as águas calmas e limpas do Rio Tietê, em um maravilhoso cruzeiro pelas regiões.

EtimologiaEditar

A origem do nome "Ibitinga" é tupi antiga, significando "terra branca", através da composição dos termos yby ("terra"), ting ("branco") e a (sufixo).[10]

HistóriaEditar

Até a chegada da cultura do café no oeste da província de São Paulo no século XIX, a região era ocupada pelos caingangues.[11]

Em 1842, aconteceu, em Minas Gerais, a Revolução Liberal, que veio a ser controlada pelas forças do Império do Brasil. Os fatos forçaram muitas famílias mineiras a procurarem novas terras. Esta é uma das teorias para explicar a migração para o interior paulista; outros historiadores acreditam que a decadência da mineração do ouro seja o motivo.

Foi no final desse ano que as famílias mineiras Landim e de Pedro Alves de Oliveira (Velho Amaro) chegaram à região de "Campos de Araraquara", de onde "os Amaro" partiram para o norte e fundaram a cidade de Boa Vista das Pedras, mais tarde conhecida como Itápolis.

"Os Landim" rumaram para o sul e se estabeleceram na cachoeira de Wamicanga, povoado que foi quase dizimado pela febre palustre e por ataques indígenas. Partiram então em direção ao nordeste até chegarem na confluência dos córregos Saltinho e São Joaquim, terra que foi dividida entre o clã, para que fosse melhor cultivada.

A Miguel Landim, coube a região entre o Córrego São Joaquim e o Córrego Água Quente, onde foi formado o povoado da "Capela da Água Quente" (ou "Vila do Senhor Bom Jesus de Ibitinga"), sendo que o ano provável da fundação é 1860.[12]

No dia 3 de outubro de 1870, Miguel Landim e sua esposa Ana Custódio de Jesus doaram, à Mitra Diocesana, o patrimônio onde se formou a Vila de Ibitinga.

Em 1885, por Lei provincial de número 105, Ibitinga foi elevada à categoria de distrito de paz e, em 4 de julho de 1890, por força da Lei de número 66, assinada pelo então governador Prudente de Moraes Barros, teve a sua emancipação político-administrativa.

Em 1987, o município tornou-se área de proteção ambiental.

Em 1992, de acordo com a Lei nº 8.199, o município foi elevado ao título de estância turística.

Em 2019, Ibitinga foi a primeira cidade da microrregião a alterar seu Código de Endereçamento Postal geral 14940-000 para os de logradouros recebendo as faixas de 14940-001 até 14949-999. Essa nova codificação facilita a localização de endereços, beneficiando moradores e empresas que prestam serviços na cidade.[13]

Isso é privilégio para cidades com mais de 50 000 residentes em sua área urbana, mostrando que Ibitinga está crescendo a passos largos, e que é a maior e a mais dominante cidade entre as inúmeras da microrregião.

GeografiaEditar

ClimaEditar

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a temperatura mínima registrada em Ibitinga foi de 1,5 ºC, ocorrida no dia 28 de junho de 2011, enquanto que a máxima foi de 38,6 ºC, observada em 8 de dezembro de 2012. O maior acumulado de chuva registrado na cidade em 24 horas foi de 204,0 mm, no dia 9 de janeiro de 1988. O menor índice de umidade relativa do ar foi de 9%, em 28 de outubro de 2014,[14] o menor do Brasil naquele dia.[15]

HidrografiaEditar

TransporteEditar

  • Aeroporto asfaltado

RodoviasEditar

AdministraçãoEditar

  • Prefeito: Cristina Maria Kalil Arantes (PSB) - 2017/2020
  • Vice-prefeito: Frauzo Ruiz Sanches (PV) - 2017/2020
  • Presidente da câmara: Antônio Esmael Alves de Mira (PTB)
  • Vice-Presidente: Carlos Alberto Dias Marques (PSB)
  • 1º Secretário: Marco Antônio da Fonseca (PTB)
  • 2º Secretário: José Aparecido da Rocha (PSB)

EconomiaEditar

Ibitinga é considerada a Capital Nacional do Bordado, produto base de toda a economia do município. Sua indústria é quase que totalmente voltada a essa área da indústria têxtil. O turismo comercial é uma das principais fontes de renda de Ibitinga, juntamente com as exportações do seu principal produto e a agropecuária, onde se destacam as culturas de laranja e cana-de-açúcar.

EsportesEditar

Ibitinga tem vários destaques no esporte, como o Esporte Clube Rio Branco, que foi campeão paulista da série A3 de 1970, e o time de futsal da cidade, que foi campeão da Copa TV Modelo de Futsal (atual TV TEM Bauru) em 2001 e da Copa Record de Futsal Masculino Série Prata de 2011 organizada pela TV Record Paulista. Individualmente, Ibitinga tem, como destaques: os irmãos futebolistas Inácio Piá e Joelson José Inácio, atualmente no futebol italiano; Léia Silva, uma das líberos da seleção brasileira de voleibol feminino, que disputou as Olimpíadas do Rio 2016; e o alpinista Rodrigo Raineri, conhecido como o único brasileiro a escalar três vezes, com sucesso, a mesma face do monte Everest, e a temível Face Sul do Monte Aconcágua, uma das mais difíceis do mundo.

Igreja CatólicaEditar

O município pertence à Diocese de São Carlos.

Ibitinguenses IlustresEditar

Cézar Mutante - lutador de MMA

Léia Silva - jogadora de vôlei

Rodrigo Raineri - alpinista

Inácio Piá - jogador de futebol

Joelson José Inácio - jogador de futebol

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 24 de abril de 2018 
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de número cinco (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2018». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 29 de agosto de 2018. Consultado em 13 de outubro de 2018 
  4. http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/ibitinga_sp
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  7. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  8. https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/ibitinga-realiza-tradicional-procissao-de-corpus-christi-com-tapetes-bordados.ghtml |acessodata=9 de janeiro de 2019
  9. https://www.guiadoturismobrasil.com/cidade/SP/84/ibitinga
  10. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo. São Paulo. Global. 2013. p. 566.
  11. BUENO, E. Brasil: uma história. 2ª edição. São Paulo. Ática. 2003. p. 282.
  12. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo. São Paulo. Global. 2013. p. 566.
  13. https://www.portalternurafm.com.br/noticias/ibitinga/correios-implantara-cep-por-logradouro-em-ibitinga-sp-a-partir-de-hoje-04/47579
  14. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). «Dados Meteorológicos - São Paulo». Consultado em 21 de dezembro de 2012 
  15. Terra (29 de outubro de 2014). «Com 9% de umidade, cidade paulista é a mais seca do Brasil». Consultado em 29 de outubro de 2014 

Ligações externasEditar