Abrir menu principal
Ibrahim Abi-Ackel
Ministro da Justiça do Brasil
Período 9 de janeiro de 1980
até 15 de março de 1985
Presidente João Figueiredo
Antecessor Golbery do Couto e Silva
Sucessor Fernando Lyra
Vereador de Manhuaçu
Período 1955-1959
Deputado estadual por Minas Gerais
Período 1963-1975
Deputado federal por Minas Gerais
Período 19 de março de 1975
até 9 de janeiro de 1980
Período 3 de janeiro de 1989
até 31 de janeiro de 2007
Dados pessoais
Nascimento 2 de março de 1927 (92 anos)
Manhumirim, Minas Gerais
Progenitores Mãe: Maria Bracks Abi-Ackel
Pai: Melhim Abi-Ackel
Cônjuge Jacéa Cahú Abi-Ackel
Filhos Paulo Abi-Ackel
Partido PSD, ARENA, PDS, PP
Profissão Advogado e professor
linkWP:PPO#Brasil

Ibrahim Abi-Ackel GCC (Manhumirim, 2 de março de 1927) é um político brasileiro.

BiografiaEditar

Foi ministro da justiça entre 1980 e 1985, durante o governo de João Figueiredo.

Iniciou sua vida pública em 1955, como vereador na cidade de Manhuaçu, estado de Minas Gerais. Cursou a Faculdade Nacional de Direito da UFRJ entre 1946 a 1950, na qual graduou-se em Ciências Jurídicas e Sociais e depois doutorou-se em Direito Público. Foi Técnico em Assuntos Educacionais do MEC e Procurador de Belo Horizonte.

Exerceu sete mandatos eletivos como deputado federal por Minas Gerais, da legislatura 1975-1979 à legislatura 2003-2007.

A 22 de Setembro de 1981 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo de Portugal.[1]

Em 2005, filiado ao Partido Progressista, foi nomeado relator da CPI do mensalão.

É pai do deputado federal Paulo Abi-Ackel (PSDB).

Referências

  1. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Ibrahim Abi Ackel". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 24 de março de 2016 

Ligações externasEditar