Igreja Paroquial de Vilas Boas

igreja em Ferreira do Alentejo, Portugal

A Igreja Paroquial de Vilas Boas, igualmente conhecida como Igreja de Nossa Senhora da Luz, Antiga Igreja de Nossa Senhora da Natividade, Antiga Igreja de Nossa Senhora da Assunção ou Igreja de Santa Maria de Vilas Boas, é um edifício religioso em ruínas, situado perto da vila de Ferreira do Alentejo, em Portugal.

Igreja Paroquial de Vilas Boas
Tipo Igreja
Construção Século XIV
Religião Igreja Católica Romana
Diocese Diocese de Beja
Ano de consagração Nossa Senhora da Natividade
Património Nacional
DGPC 6290826
SIPA 4331
Geografia
País Portugal Portugal
Localidade Ferreira do Alentejo
Coordenadas 38° 3' 51.2" N 8° 5' 4.22" O
Mapa
Localização do edifício em mapa dinâmico

Descrição

editar

A Igreja Paroquial de Vilas Boas é um exemplo de um edifício com uma parte em forma cúbica, rematada por uma cúpula, normalmente denominados de Kubba, e que foram um legado cultural do domínio muçulmano.[1]

Está situada nas imediações da Estrada Nacional 121, a cerca de 2,5 Km da vila de Ferreira do Alentejo.[2]

No seu interior, foi encontrada uma estela do período medieval, sendo um dos poucos exemplos de vestígios deste tipo encontrados em pequenas igrejas rurais no Alentejo, já que foram normalmente encontradas em templos urbanos.[3]

História

editar

O ano de fundação da igreja é desconhecido, sendo os mais antigos registos da sua presença de 1320.[4] Era o santuário da paróquia rural de Vilas Boas, que foi depois integrada na freguesia de Ferreira do Alentejo.[5]

Durante a sua história teve várias denominações, incluindo Nossa Senhora da Natividade, Nossa Senhora da Assunção e Nossa Senhora da Luz.[4] Foi reconstruída pelo menos duas dezes, levando ao desaparecimento do santuário medieval, e depois do edifício que o substituiu, que foi mencionado em 1534 pelo Infante D. Afonso, Bispo de Évora.[5] Esta visitação foi feita em conjunto com o prior da igreja, Manuel Nunes Farelães, tendo sido descrita como estando apenas parcialmente ladrilhada e com cobertura incompleta, chovendo no seu interior.[5] Tinha então três altares e uma pia baptismal, e contava com várias sepulturas a nivel térreo.[5] É igualmente referida a presença de um adro, onde também se faziam inumações.[5] As últimas obras de reconstrução foram feitas nos finais do século XVI ou nos princípios do XVII,[5] uma vez que apresenta vários elementos típicos deste período de transição.[4] A igreja ficou muito danificada pelo Sismo de 1755, tendo ficado em ruínas desde então.[4] Em 1758, sendo o prior Diogo Lourenço Sanches, as imagens da igreja retratavam Santo António, São Marcos Evangelista e Nossa Senhora da Luz, sendo esta última a padroeira.[5] Parte do recheio perdeu-se, incluindo as imagens, mas algumas peças foram transferidas para outros santuários, tendo a pia baptismal sido colocada na capelinha particular da Quinta de São Vicente, duas tábuas retratando São Francisco recebendo os estigmas e São Luís foram para a Igreja Paroquial de Ferreira do Alentejo.[5]

Foi classificada como Imóvel de Interesse Municipal por deliberação camarária de 11 de Dezembro de 2002, decisão que foi publicada no Aviso n.º 7515/2003, de 1 de Setembro.[2] No entanto, o Instituto Português do Património Arquitectónico reverteu esta classificação, uma vez que considerou que a autarquia não possuía as competências necessárias.[5]

Ver também

editar

Referências

  1. BASTOS et al, 2004: 50-53
  2. a b PORTUGAL. Aviso n.º 7515/2003, de 1 de Setembro. Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo. Publicado no Diário da República n.º 225/2003, Apêndice 147/2003, Série II de 2 de Setembro de 2003
  3. MALVEIRO, José Daniel. «Estelas funerárias medievais, do distrito de Beja – formas, suportes e iconografia» (PDF). Repositório da Universidade Nova de Lisboa. p. 982. Consultado em 12 de Maio de 2019 
  4. a b c d QUARENTA, Maria João (19 de Fevereiro de 2013). «Igrejas, Capelas e Ermidas». Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo. Consultado em 12 de Maio de 2019. Arquivado do original em 25 de Abril de 2017 
  5. a b c d e f g h i «Igreja Paroquial de Vilas Boas». Pesquisa de Património Imóvel. Direcção-Geral do Património Cultural. Consultado em 26 de Junho de 2023 

Bibliografia

editar
  • BASTOS, Hélder; FREITAS, Marta; et al. (2004). História das Freguesias e Concelhos de Portugal. Col: História das Freguesias e Concelhos de Portugal. Volume 7 de 18. Matosinhos: Quidnovi - Edição e Conteúdos, S.A. 143 páginas. ISBN 989-554-155-4 

Leitura recomendada

editar
  • ESPANCA, Túlio (1992). Inventário artístico de Portugal: Concelhos de Alvito, Beja, Cuba, Ferreira do Alentejo e Vidigueira. Volume XII. Lisboa: Academia Nacional de Belas-Artes 

Ligações externas

editar


  Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.