Igreja Presbiteriana Fundamentalista do Brasil

A Igreja Presbiteriana Fundamentalista do Brasil é uma denominação cristã reformada brasileira formada no ano de 1956, em Recife, Pernambuco pelo reverendo Israel Gueiros. Em 2019, tinha 5 presbitérios, 37 igrejas, 5 seminários e 1.639 membros, presentes em vários estados brasileiros.[1] É sétima maior denominação presbiteriana do Brasil.[2]

Igreja Presbiteriana Fundamentalista do Brasil
{{{imagealttext}}}
Classificação Protestante
Orientação Fundamentalista Calvinista
Área geográfica Brasil
Origem 1956 (66 anos)
Recife, Pernambuco
Separado de Igreja Presbiteriana do Brasil
Congregações 37 (2017)[1]
Membros 1.639 (2017)[1]
Site oficial www.ipfb.com.br

HistóriaEditar

Fundamentalismo presbiteriano nos Estados UnidosEditar

Nos Estados Unidos durante as década de 1920 e 1930 houve uma grande tensão no meio presbiteriano pela controvérsia fundamentalista-liberal,[3] o que ocasionou a criação de um conselho por John Gresham Machen para que, no envio de missões, fossem enviados apenas missionários fundamentalistas. Porém a Igreja Presbiteriana do país pediu a dissolução do conselho. A recusa de Machen e outros pastores resultou na suspensão de tais ministros e a criação da Igreja Presbiteriana Ortodoxa, e posteriormente a Igreja Presbiteriana Bíblica.[4]

Movimento no BrasilEditar

A Igreja Presbiteriana do Brasil foi fundada no país por missionários norte-americanos, e com o movimento fundamentalista norte-americano surgiu na igreja brasileira a ideia de combate ao liberalismo e modernismo.[5]

Em 1956 Israel Gueiros, um professor do Seminário Presbiteriano do Norte, acusou a igreja brasileira de ser controlada por missionários estrangeiros, de apoio da denominação ao Concílio Mundial de Igrejas e de tolerância à Teologia Liberal.[6]

Após desentendimentos entre professores, o reverendo Israel Gueiros foi deposto pelo Presbitério de Pernambuco no ano de 1956. No mesmo ano fundou outro seminário e uma nova denominação presbiteriana, a Igreja Presbiteriana Fundamentalista do Brasil. No seu início a igreja contava com 1.800 membros. Atualmente a igreja possui congregações na região Nordeste, Norte e Sudeste do Brasil.[2][7][8][9]

Em 1962, a Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) firmou entendimentos contra o Ecumenismo amplo. Consequentemente, na década de 1990, a maior parte das igrejas federadas à IPFB voltaram à IPB.[10] Em 1997, a IPFB reorganizou o seu Sínodo e neste ano firmou um acordo evangelístico com a Igreja Presbiteriana Coreana Betesda, de São Paulo.[1]

Nos anos seguintes, a igreja recebeu ajuda de missionários americanos e coreanos na evangelização e fundou 5 novos seminários.[11][12] O Presbitério de Rondônia era formado em 2010 por três igrejas e duas congregações, sendo uma das localizações da igreja na região norte com quase 100 membros.[13] Foram fundadas novas igrejas em Ipojuca (2000), João Pessoa (2004), Petrolina (2005), Tabira (2005), Jardim São Francisco - Limeira (2006), São José do Egito (2006), Castainho - Garanhuns (2006), Cambirimba- Garanhuns (2006), Jupi (2006), Parque Novo Mundo - Limeira (2006), Camaragibe (2007), Juazeiro (2008), Aldeia - Camaragibe (2008), Piracicaba (2009).[1]

Igualmente, foram fundados, entre 2000 e 2018, 5 seminários, o que possibilita aos 5 presbitérios enviar candidatos à ordenação ao seminário localizado na sua região.[1]

EstatísticasEditar

Ano Igrejas e congregações Membros
1956 27 1.800[7][9]
1997 25 1.790[1]
2005 17 1.256[1]
2008 17 1.325[1]
2017 37 1.639[1]

Na década de 1990, a denominação perdeu igrejas e membros, que decidiram retornar à Igreja Presbiteriana do Brasil. Após este declínio, a denominação voltou a crescer em 2005 e atingiu 1.639 membros em 2017. Nestes 12 anos, a denominação cresceu 30,5% no número de membros.[1] No mesmo período, a população brasileira cresceu 11,66%.[14][15]

Em 2019, a denominação tinha 5 presbitérios: Sertão, Rondônia, Garanhuns, Grande Recife e Paulista.[1]

DoutrinaEditar

A igreja subscreve os símbolos de fé de Westminster, que são a Confissão de Fé de Westminster, Catecismo Maior de Westminster e Breve Catecismo de Westminster.[16]

Além disso, como sugere o nome, a igreja considera-se fundamentalista, ou seja, afirma a inerrância bíblica, nascimento virginal, morte vicária e ressurreição de Jesus, além de afirmar que ocorrerá a segunda vinda de Cristo.[17][18][19]

Relações inter-eclesiásticasEditar

Igreja Presbiteriana do BrasilEditar

Atualmente a Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) também é considerada fundamentalista,[20][21] ou seja, afirma as mesmas doutrinas descritas acima.[18] Sendo assim, a igreja de Recife, que foi a igreja mãe da Igreja Presbiteriana Fundamentalista voltou a integrar a IPB, na década de 1990.[7][22]

Na década de 1990, várias igrejas federadas a IPFB voltaram à IPB, inclusive a Primeira Igreja Presbiteriana de Recife.[10]. Desde então, embora não haja relação oficial entre as denominações, existe uma relação cordial entre os pastores e membros das duas denominações.[1]

Igreja Presbiteriana BíblicaEditar

A Igreja Presbiteriana Bíblica dos Estados Unidos é uma de suas principais parceiras, enviando missionários e mantendo relações fraternais desde sua fundação.[23]

Igreja Presbiteriana Coreana BetesdaEditar

Desde 1997, a denominação tem parceria especial com a Igreja Presbiteriana Coreana Betesda, de São Paulo, que auxilia na fundação de igrejas e seminários.[1]

SemináriosEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s Souza, José Roberto de, Ontem Simonton, hoje McIntire (PDF), O surgimento e desenvolvimento da Igreja Presbiteriana Fundamentalista do Brasil (em pr), Universidade Católica de Permabuco, p. 191-193, consultado em 12 de julho de 2021 .
  2. a b História (PDF), Igreja presbiteriana fundamentalista do Brasil, consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada (PDF) em 29 de maio de 2015  .
  3. «A controvérsia fundamentalista-modernista na igreja presbiteriana dos Estados Unidos, parte 2», História da igreja, 4 de agosto de 2014 .
  4. Fighting [Lutando] (em inglês), Orthodox Presbyterian Church, consultado em 19 de fevereiro de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015  .
  5. «2», História da Igreja Presbiteriana Fundamentalista, Igreja presbiteriana fundamentalista do Brasil 
  6. «3», História da Igreja Presbiteriana Fundamentalista Parte 3, Igreja presbiteriana fundamentalista do Brasil, consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015  .
  7. a b c Universidade presbiteriana Mackenzie, consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015 .
  8. «Igreja presbiteriana fundamentalista», Word press, Jornal em linha MPFP, consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015 .
  9. a b Holland, Clifton L. (2018), Enciclopédia de grupos religiosos da América Latina e Caribe (PDF), Religião no Brasil, PROLADES, p. 98-99, consultado em 12 de julho de 2021 .
  10. a b Augustus Nicodemus Lopes, Fundamentalismo e Fundamentalistas, Seminário Charles Spurgeon, consultado em 2 de junho de 2021 .
  11. Seminário presbiteriano fundamentalista conclui nova turma de bacharéis em Teologia, Boas novas PB, consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015 .
  12. Ministering for the Lord in Brazil [Ministrando para o Senhor no Brasil] (em inglês), Pray, send, go, dezembro de 2014, consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015  .
  13. «Resoluções da XXX reunião ordinária» (PDF). Presbitério RO. IPFB. [S.l.: s.n.] .
  14. «Estatística da população do Brasil em 2005». Consultado em 12 de julho de 2021 
  15. «Estatística da população do Brasil em 2017». Consultado em 12 de julho de 2021 
  16. Adresses (em inglês), Reformiert online, consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015 .
  17. Geo cities, Web citation, consultado em 12 de maio de 2019, cópia arquivada em 12 de maio de 2019 .
  18. a b Fundamentalista é isso (artigo), IP Santo Amaro, consultado em 29 de maio de 2015, arquivado do original em 29 de maio de 2015 .
  19. Teologia brasileira, consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015 .
  20. «Discursos & práticas fundamentalistas» (PDF), Religião, UEM .
  21. «The threat of Fundamentalism», Theology, One man’s Web .
  22. Boletim (PDF), Primeira igreja, 6 de agosto de 2012, consultado em 29 de maio de 2015, arquivado do original (PDF) em 29 de maio de 2015 .
  23. Biblical Presbyterian Church [Igreja presbiteriana bíblica] (em inglês), consultado em 29 de maio de 2015, cópia arquivada em 29 de maio de 2015 .

Ligações ExternasEditar