Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa

igreja brasileira em Florianópolis, Santa Catarina

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Lagoa, dedicada a Nossa Senhora da Imaculada Conceição, é a igreja matriz da Paróquia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Lagoa, desde sua criação, em 1780.[2]

Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Lagoa
Estilo dominante colonial
Início da construção 20 de junho de 1750
Fim da construção 1780 (241 anos)
Religião catolicismo
Diocese Arquidiocese de Florianópolis
Sacerdote Pe. Celso Antunes Duarte
Website www.paroquiadalagoa.com.br
Património
Classificação nacional 1273-T-1988[1]
Geografia
País  Brasil
Cidade Florianópolis
Localidade Lagoa da Conceição
Coordenadas 27° 35' 53.88" S 48° 28' 3.4" O
Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Lagoa está localizado em: Santa Catarina
Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Lagoa
Geolocalização no mapa: Santa Catarina
Localização da Igreja no mapa dinâmico

HistóriaEditar

Localizada junto ao Morro da Lagoa, num dos lugares mais estratégicos da Lagoa da Conceição, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição foi concluída em 1780, 29 anos depois que o governador Manuel Escudeiro Ferreira de Sousa encaminhou a planta do templo para Portugal. O projeto foi aprovado pela Corte portuguesa para ser construído numa das sesmarias do fundador de Nossa Senhora do Desterro (antiga Florianópolis), Francisco Dias Velho. Esta área de sesmaria se tornou a conhecida Freguesia de Nossa Senhora da Conceição.

A Igreja sofreu muitas modificações e reparos ao longo do tempo. Em 1847, com a visita do Imperador D. Pedro II, a freguesia da Lagoa e sua Igreja receberam a quantia de 800 mil réis para pagar a custódia de prata anteriormente encomendada. Quando o Imperador voltou do Rio Grande já encontrou a custódia comprada e ficou "plenamente satisfeito com a obra e com o desenho", conforme ofício do então vigário ao Presidente da Província. Uma nova visita do Imperador aconteceu em 1861, desta vez presenteando o templo com dois sinos, que ainda hoje encontram-se por lá.[2]

Apesar de todas as transformações sofridas por dentro, das sucessivas repinturas, a Igreja da Lagoa ainda constitui um bom exemplo da arquitetura trazida pelos portugueses para terras catarinenses.

Tanto que em 1974, o então prefeito de Florianópolis, Esperidião Amin, assinou decreto tombando cinco igrejas que representavam a arquitetura portuguesa na Ilha: a Igreja de São Francisco de Assis, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, ambas no centro da cidade, a Igreja de Nossa Senhora das Necessidades, em Santo António de Lisboa, a Igreja de Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão da Ilha e a "igrejinha da Lagoa", como é conhecida a Igreja de Nossa da Conceição. O ato de tombamento não dá nenhuma garantia de perpetuação, mas reconhece o valor artístico, cultural e histórico do monumento.[2] A Igreja, bem como seu entorno, estão protegidos pela Lei Municipal nº 2.193, de 1985.[3]

Em 8 de dezembro de 1999, a Igreja Nossa Senhora da Conceição foi elevada à categoria de Santuário, pelo Arcebispo de Florianópolis Dom Eusébio Oscar Scheid.[2][4]

Referências

  1. «Florianópolis – Ribeirão da Ilha, Lagoa da Conceição, Santo Antônio de Lisboa | infopatrimônio». www.infopatrimonio.org. Consultado em 5 de outubro de 2018 
  2. a b c d «Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Lagoa Arquidiocese de Florianópolis/SC». arquifln.org.br. Consultado em 5 de outubro de 2018 
  3. Petroski, José Maria (5 de dezembro de 2011). «Família Petroski: Santuário Nossa Senhora da Imaculada Conceição - Florianópolis». Família Petroski. Consultado em 5 de outubro de 2018 
  4. Integrada, Dominus Comunicação. «Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição». www.paroquiadalagoa.com.br. Consultado em 5 de outubro de 2018