Igreja de São Sebastião (Manaus)

igreja brasileira em Manaus, Amazonas
Igreja de São Sebastião
Vista da igreja a partir do pátio do Teatro Amazonas.
Estilo dominante Eclético
Arquiteto Sebastião José Basílio Pyrrho
Engenheiro Gesualdo Marchetti de Lucas
Início da construção 1868 (153 anos)[1]
Inauguração 7 de setembro de 1888 (132 anos)[1]
Religião Catolicismo Romano
Diocese Arquidiocese de Manaus
Ano de consagração 8 de setembro de 1912 (108 anos)[1]
Sacerdote Luiz Soares Vieira
Website arquidiocesedemanaus.org.br
Património Nacional
Classificação Patrimônio Histórico do Amazonas
Data 1988
Geografia
País  Brasil
Cidade Manaus, AM
Endereço Rua 10 de Julho, Centro
Coordenadas 3° 7' 47.40" S 60° 1' 21.51" O

A Igreja de São Sebastião é um templo religioso da Arquidiocese de Manaus. Localiza-se na rua 10 de Julho, com sua frente voltada para o Largo de São Sebastião, no Centro do município de Manaus. Inaugurada em 1888 e elevada à categoria de paróquia em 1912, é uma das igrejas mais antigas da cidade. Foi tombada em 1988 como Patrimônio Histórico pelo Conselho Estadual de Defesa do Patrimônio Histórico e Artístico do Amazonas – CEDPHA.[2]

Com mais de 130 anos, destaca-se pela devoção de centenas de católicos, pela localização privilegiada e por seu estilo eclético, com alguns elementos de vários diferentes estilos, como o gótico e o neoclássico. Seu interior é marcado por painéis e vitrais europeus, bem ao estilo da época no começo do ciclo da borracha no estado.[3]

HistóriaEditar

PrimórdiosEditar

 
A Igreja de São Sebastião em 1909.

A primeira capela de São Sebastião erguida em Manaus data de 1859, ano em que aqui chegaram os missionários franciscanos, da Irmandade de São Sebastião. Era uma ermida em madeira, coberta de palha, instalada nos fundos do terreno onde esses religiosos residiam, na antiga rua Conde D’Eu, atual Monsenhor Coutinho, Centro.[1][4]

A referência mais antiga acerca do início da construção da igreja que existe atualmente é de 1868, quando o presidente provincial Leonardo Ferreira Marques, em seu Relatório de passagem de governo, de 26 de novembro daquele ano, diz que a obra da capela de São Sebastião, contratada junto a Leonardo Malcher, iria ser iniciada.[1]

Apesar da afirmativa daquele presidente, somente em 1870 – com a chegada do frei Jesualdo Macchetti de Lucca –, que as obras realmente começaram. Aliás, sobre esse missionário, vale ressaltar que ele faleceu em 11 de junho de 1902 e foi enterrado no cemitério São João Batista. Três décadas depois, em 27 de abril de 1933, os seus restos mortais foram trasladados para a igreja que ele ajudara a construir.[2]

ProjetoEditar

 
Artes na cúpula da igreja.
 
Interior da Igreja de São Sebastião.

A planta da nova igreja foi organizada por Sebastião José Basílio Pyrrho, o mesmo que projetou a atual Catedral Metropolitana de Manaus.[2]

Com o templo ainda em obras, em maio de 1877, o presidente da Província, Domingos Monteiro Peixoto, autorizou a utilização de materiais que sobraram das obras da atual Matriz para o erguimento da nova igreja de São Sebastião..[2]

Sete anos depois, em 24 de setembro de 1884, contratou-se Ambrósio Bruno Candis para a construção do teto, das cimalhas, do estuque, dos forros das abóbadas e dos altares.[2]

InauguraçãoEditar

Entretanto, em outubro de 1886, Candis retirou-se da Cidade e deixou a igreja inacabada. Seu contrato foi rescindido no ano seguinte, em 21 de janeiro de 1887, e a obra foi assumida pela Repartição de Obras Públicas.[2]

Superadas as dificuldades, no dia 7 de setembro de 1888, às 7:30, Frei Jesualdo Macchetti pôde benzer a nova e atual Igreja de São Sebastião contando com autoridades civis, militares, eclesiásticas e os fiéis. Por volta de 1890, ainda houve a tentativa de se construir a segunda, o que não chegou a acontecer.[1]

Em 15 de agosto de 1906, a igreja foi entregue aos padres Capuchinhos Lombardos, da Itália. Em 14 de setembro de 1909, com a saída destes para a missão do Pará, foram substituídos pelos também italianos Capuchinhos da Umbria.[2]

Elevação à categoria de paróquiaEditar

Em 8 de setembro de 1912 a Igreja de São Sebastião celebrou sua elevação à categoria de paróquia – antes era apenas uma capela – situada na rua 10 de Julho, no Centro Histórico de Manaus. A igreja foi o terceiro templo católico de Manaus a ganhar status mais importante da religião, após a Catedral de Manaus e a Igreja dos Remédios. Em 8 de setembro de 2012 a igreja celebrou o centenário de sua elevação à categoria de paróquia.[5]

CasamentosEditar

Com tanta tradição e admiração dos fiéis, a igreja de São Sebastião é uma das preferidas para a realização de casamentos em Manaus. A fila para casar na igreja dos padres capuchinhos chega a ter um ano de espera, mas, segundo os fiéis, vale muito a pena esperar para casar num templo de tamanha história.[5]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f Rodrigues, Carrie Carolinne Evans Ferreira (2016). «O Acervo Pictórico da Igreja de São Sebastião em Manaus» (PDF). Universidade do Estado do Amazonas – UEA. Consultado em 1 de outubro de 2019 
  2. a b c d e f g «Igreja São Sebastião - Manaus». Ipatrimônio. Consultado em 1 de outubro de 2019 
  3. Vieira, Patryck (3 de junho de 2019). «Estrutura de igreja centenária no AM está comprometida, diz laudo». Band News Difusora. Consultado em 1 de outubro de 2019 
  4. «São Sebastião, Mártir, São Francisco de Assis». Arquidiocese de Manaus. Consultado em 1 de outubro de 2019 
  5. a b Silva, Carolina (2 de setembro de 2012). «Igreja de São Sebastião celebra 100 anos de tradição em Manaus». Portal A Crítica. Consultado em 1 de outubro de 2019 

Ligações externasEditar