Abrir menu principal

Imigração russa no Brasil

Russo-brasileiro (em russo: Русские бразильцы) é um brasileiro com total, parcial ou predominante ascendência russa. Também são consideradas russa-brasileiras as pessoas nascidas na Rússia mas radicadas permanente ou temporariamente no Brasil, especialmente pessoas que gozaram ou que ainda hoje usufruem certa notoriedade. Durante a Guerra Fria, houve intolerância com os russos no Brasil.

Русские бразильцы
Rússia Russo-brasileiros Brasil
Mário SchenbergAron SimisAbraham Palatnik
Angélica KsyvickisDanielle WinitsEliana Michaelichen
Raquel DodgeMarianne SteinbrecherArmando Babaioff
Max Kablukow FercondiniLudmila FerberEmerson Fittipaldi
Notáveis russo-brasileiros:
Mário Schenberg  • Aron Simis  • Abraham Palatnik
Angélica Ksyvickis  • Danielle Winits  • Eliana Michaelichen
Raquel Dodge  • Marianne Steinbrecher  • Armando Babaioff
Max Fercondini  • Ludmila Ferber  • Emerson Fittipaldi
População total
Regiões com população significativa
São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro,
Rio Grande do Sul, Pernambuco e Goiás[carece de fontes?]
Línguas
Português e russo
Religiões
Cristianismo (Igreja Ortodoxa Russa) e Judaísmo
Grupos étnicos relacionados
Brasileiros brancos, Russos

O Paraná é um estado que recebeu um grande número de imigrantes russos.[1] O grande movimento migratório oficial, contudo, verificou-se na década de 1870, quando vieram em grande número os russos-alemães (alemães do Volga que habitavam a Rússia). Entre 1877 e 1878 chegaram em Ponta Grossa 2.381 russos-alemães que se estabeleceram na Colônia Octávio, subdividida em 17 núcleos na área rural, afastados do centro urbano.[1]

A região dos Campos Gerais do Paraná foi contemplada por três principais grandes núcleos de colônias de russos-alemães do Volga. Em Ponta Grossa “Otavia”, em Palmeira “Sinimbú” e na Lapa as colônias de “Marienthal”, “Johannesdorf” e “Virmond”.[2]

As colônias estabelecidas no Paraná, em sua grande maioria, não prosperaram devido a muitos problemas.[2] Pode ser destacado fatores como a baixa fertilidade do solo, o que consequentemente gerava o insucesso nas lavouras de trigo, principal plantação cultivada pelos imigrantes. Vale lembrar também a não adaptação aos costumes brasileiros, e o fato de que muitos imigrantes rumaram para as cidades em busca de novas oportunidades de trabalho, contribuindo para o enfraquecimento dos núcleos coloniais.[2]

Referências

  1. a b Pollianna Milan (28 de dezembro de 2012). «Uma longa viagem dos alemães até o Paraná». Gazeta do Povo. Consultado em 26 de junho de 2017 
  2. a b c Departamento de História da UEPG. «Russos-Alemães do Volga». Dicionário Histórico e Geográfico dos Campos Gerais. Consultado em 26 de junho de 2017 
  Este artigo sobre o Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.