Abrir menu principal

Wikipédia β

Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
  • Não tem fontes.
  • Texto necessita de revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa.

O Império Nanda foi um antigo estado indiano efémero, mas poderoso e extenso, governado pela dinastia homônima, com origem em Mágada, que existiu entre 345 a.C. e 321 a.C.. Na sua maior extensão os seus territórios estendiam-se desde a região do Panjabe, a ocidente, até Bengala, a oriente, ocupando toda a planície indo-gangética. Na parte central do subcontinente indiano, estendia-se até à cordilheira de Víndia.

Império Nanda

Dinastia Nanda

Blank.png
Blank.png
345 a.C.321 a.C. 
Blank.png
Nanda Empire, c.325 BCE.png
Mapa do Império Nanda na época da sua maior extensão, c.325 a.C., durante o reinado de Dana Nanda
Coordenadas de Pataliputra 25° 36' 40" N 85° 8' 38" E
Continente Ásia
Região Subcontinente indianoplanície indo-gangética
Capital Pataliputra
Países atuais  Bangladesh
 Índia
Flag of Nepal.svg Nepal

Línguas línguas índicas antigas, como o magádi e outros prácritos;
sânscrito
Religiões hinduísmo (bramanismo)
budismo
jainismo

Forma de governo monarquia
Rei
•  345–329 a.C.   Maapadma Nanda
•  c. 329–321 a.C.   Dana Nanda

Período histórico Antiguidade
•  345 a.C.   Fundação
•  321 a.C.   conquista por Chandragupta Máuria

Estabelecimento da dinastiaEditar

A dinastia Nanda foi fundada por Maapadma Nanda, um filho ilegítimo do rei Mahanandin, o último da dinastia de Sisunaga de Mágada.

Alguns autores aceitam que Maapadma teria sido filho de uma mãe sudra e alguns acreditam até que nem mesmo seu pai teria pertencido à realeza, enquanto outros dizem que estas alegações não são mais que a difamações dos xátrias posteriores. De qualquer forma é certo que esta dinastia foi a primeira de origem não xátria no norte da Índia.

Maapadma morreu aos 88 anos e portanto governou a maior parte do período dinástico que, segundo os Puranas durou apenas 100 anos[carece de fontes?] e foi sucedida pelo Império Máuria.

O Império NandaEditar

Se atribui ao primeiro rei Nanda a destruição dos xátrias que era o povo imperial, além da conquista dos Ikshvakus, Panchalas, Kasis, Harhayas, Kalingas, Asmakas, Kurus, Maithilas, Surasenas, Vitihotras, entre outros, na ampliação de seus domínios até o do Decão.

Mercê de um sistema tributário rígido e uma administração organizada, o tezouro do Império Nanda cresceu continuamente e alguns grandes projetos de interesses geral foram executados como, por exemplo, a construção de canais de irrigação constituindo-se no primeiro grande império baseado numa economia essencialmente agrária.

Alguns autores também referem-se à dinastia Nanda como a construtora do império antigo da Índia baseando-se no fato da grande ampliação dos domínios do Reino de Mágada que, no seu apogeu, contava com uma notável força bélica composta por cerca de 3 000 elefantes, 2 000 arqueiros, 20 000 cavaleiros e 200 000 infantes.

Esta força, entretanto, jamais se deparou com Alexandre Magno que na mesma época cessou no Panjabe a sua invasão do norte da Índia. Aliás, alguns autores apontam justamente o reconhecimento da força bélica de Mágada como fator da decisão de Alexandre dar por finda sua campanha.

QuedaEditar

A dinastia terminou com o reinado de Dana Nanda, mencionado nas fontes gregas com o nome de Agrames ou Xandrames. Plutarco nos relata que este rei era extremamente cruel e perverso com o seu povo, que teria sido este o fator que possibilitou sua derrota pelo imperador maúria Chandragupta.


  Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
     Este artigo sobre história da Índia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.