Imprensa Nacional-Casa da Moeda

Disambig grey.svg Nota: "Impressão Régia" redireciona a este artigo. Para a filial do Rio de Janeiro, criada em 1808, veja Impressão Régia (Rio de Janeiro).

A Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM) é uma sociedade anónima de capitais públicos que resulta da fusão, em 1972, da Imprensa Nacional e da Casa da Moeda portuguesas.

Logotipo da instituição
Edifício da Biblioteca, no Palácio de D. Fernando Soares de Noronha

HistóriaEditar

 
Alvará de criação da Imprensa Régia de Portugal em 1768.

A atual Imprensa Nacional tem origem na Impressão Régia, que foi criada por Alvará de 24 de dezembro de 1768, em seus primórdios também fora denominada de Régia Oficina Tipográfica, que fundiu com a antiga Fábrica dos caractéres, fundada no ano de 1732 por Jean de Villeneuve. Em 1833 teve a denominação reformada para Imprensa Nacional.[1]

A INCM tem a seu cargo a produção de bens e serviços fundamentais ao funcionamento do Estado português, como:

Em 2018, a Imprensa Nacional assinala os seu 250 anos. A exposição Imprimere na Casa do Design, com curadoria de Rúben Dias e Sofia Meira, é um dos primeiros eventos destas comemorações.[2]

Referências

  1. DESCENDENTE DA IMPRESSÃO RÉGIA. INCM. Página vista em 22 de novembro de 2020
  2. Vieira, André. «De Gutenberg ao digital, a Casa do Design ensina como se faz um livro». PÚBLICO 

Ligações externasEditar

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.