Abrir menu principal

Inês de Medeiros

actriz, realizadora e política portuguesa
Inês de Medeiros
Inês de Medeiros em 2016
Nome completo Inês de Saint-Maurice Esteves de Medeiros Victorino de Almeida
Outros nomes Inês de Medeiros
Apelido(s) Saint-Maurice Esteves de Medeiros Victorino de Almeida
Nascimento 15 de abril de 1968 (51 anos)
Viena,  Áustria
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Educação Frequência de Licenciatura em Literatura Portuguesa na Universidade Nova de Lisboa e Estudos Teatrais na Universidade Sorbonne de Paris
Residência Lisboa
Ocupação Atriz, realizadora, ex-deputada, Presidente da Câmara Municipal de Almada
Atividade 1981–presente
Cônjuge Fabrice Jérôme Denis Dubois de La Patellière
Globos de Ouro
Melhor Atriz de Cinema em Portugal em 1997
IMDb: (inglês)

Inês de Saint-Maurice Esteves de Medeiros Victorino de Almeida (Viena, 15 de Abril de 1968) é uma actriz, realizadora e política portuguesa. Foi a vencedora do Globo de Ouro de Melhor Atriz de Cinema em Portugal em 1997. No presente, é a Presidente da Câmara Municipal de Almada, pelo Partido Socialista, na sequência das eleições autárquicas portuguesas de 2017.

Índice

BiografiaEditar

Nascida em Viena, passou a infância na Áustria com os pais, o maestro António Victorino de Almeida e a jornalista Maria Armanda de Saint-Maurice Ferreira Esteves, e a irmã, Maria de Medeiros, radicando-se na cidade de Lisboa em 1975.

Frequentou o Liceu Francês (Lyceé Français Charles Lepierre), até 1986, e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, estudando Literatura Portuguesa e Filosofia, cursos que nunca terminou para se dedicar à representação.

Atriz profissional, Inês de Medeiros tinha apenas dez anos quando se estreou no cinema numa longa-metragem dirigida pelo seu próprio pai A Culpa (1981); o filme foi uma experiência ocasional do maestro como realizador de cinema. Somaria, depois, uma filmografia com cerca de 30 películas, sendo dirigida por cineastas como José Fonseca e Costa, João Botelho ou Pedro Costa. Entre a sua filmografia encontram-se:

Depois de ter sido assistente de realização de Joaquim Pinto, em Onde Bate o Sol (1992) e Uma Pedra No Bolso, e de João César Monteiro, no filme Recordações da Casa Amarela (1989), viria a assinar duas curtas-metragens como realizadora — Senhor Jerónimo (1998) e O Fato Completo ou à Procura de Alberto (2002) — e um documentário — Cartas a uma Ditadura (2006).

Atividade políticaEditar

Além do seu percurso profissional como atriz, Inês de Medeiros envolveu-se na política ligada ao Partido Socialista. Foi mandatária da campanha de Jorge Sampaio à Presidência da República (1996) e da candidatura do PS (encabeçada por Vital Moreira) às eleições europeias de 2009. Nas legislativas de 2009, foi eleita Deputada à Assembleia da República, pelo Partido Socialista, no Círculo de Lisboa.

Em 2010, o pagamento da viagem aérea semanal em classe executiva a Paris (onde tem residência) pelo Parlamento Português, gerou polémica com os partidos da direita, em especial o Partido Social Democrata, que votou mesmo contra o referido pagamento. Aquele partido considerou aquele pagamento como sendo um gasto supérfluo que poderia ser um precedente para o futuro. Inês, cansada das críticas acabou por dispensar aquela verba para não alimentar aquilo que ela considerou de pura demagogia.

Nas eleições autárquicas portuguesas de 2017 foi eleita Presidente da Câmara Municipal de Almada pelo Partido Socialista.[1]

FamíliaEditar

É filha de António Victorino de Almeida, maestro, e de Maria Armanda de Saint-Maurice Ferreira Esteves, jornalista, e irmã de Maria de Medeiros, actriz e cineasta. A sua avó materna, Odette de Saint-Maurice, foi autora infantojuvenil e locutora de rádio.

Casou com Fabrice Jérôme Denis Dubois de La Patellière (Paris, 23 de fevereiro de 1968), filho de Denis Marie Joseph Dubois de La Patellière (Nantes, 8 de março de 1921) e de sua segunda mulher Florence Renard, de quem tem um filho e uma filha:

  • Pedro Victorino de Almeida Dubois de La Patellière (Paris, 13 de julho de 1997)
  • Oriana Victorino de Almeida Dubois de La Patellière (Paris, 9 de novembro de 2001)

Referências

  1. «Comunistas perdem Almada para o PS. E o Barreiro está em aberto». Observador. 2 de outubro de 2017. Consultado em 2 de outubro de 2017 

Ligações externasEditar