Incêndio no hospital de Miryang em 2018

artigo do Wikinotícias

O incêndio de Miryang em 2018 refere-se ao desastre ocorrido em 26 de janeiro de 2018 no hospital de Miryang, Coreia do Sul. O incêndio começou no primeiro andar e as fumaças se espalharam para os níveis superiores, resultando em 37 mortos.

O incidente resultou em novas críticas para as atuais leis que regem os dispositivos de seguranças a incêndios. Já o presidente sul-coreano Moon Jae-in e outros membros de vários partidos políticos expressaram suas condolências.

Descrição dos eventosEditar

Construído pela Fundação Medicinal Hyoseong em 2018, o Hospital Sejong é considerado um hospital geral e possuí uma casa de repouso adjacente ao estabelecimento. O hospital e o lar de repouso possuem 95 e 98 leitos, respectivamente, com 27 equipes médicas cada.[1]

O incêndio iniciou no primeiro andar do hospital,[2] por volta das 7 horas e 35 minutos. Naquele momento, havia por volta de duzentos pacientes nos dois estabelecimentos: cem no hospital e 94 na casa de repouso.[3] Duas enfermeiras afirmaram ter visto um incêndio subitamente irromper na sala de emergência, desencadeando imediatamente um processo de evacuação nos estabelecimentos. Quando o fogo começou a se espalhar no primeiro andar do hospital, um alto volume de fumaça se espalhou pelos andares superiores.[3]

Quando os bombeiros chegaram, 25 pessoas já estavam mortas.[4] Eles trabalharam com fumaça espessa para salvar pacientes, incluindo quinze pacientes da unidade de terapia intensiva do terceiro andar, sob a supervisão da equipe do hospital.[5]

VítimasEditar

Os números de vítimas fatais e de feridos foram especulados pelos meios de comunicação e as autoridades do país: os primeiros relatos indicavam 41 mortos e 153 feridos.[6][7][8][9] Posteriormente, o governo do país reduziu o número de vítimas fatais para 37, baseada em uma informação do chefe do Corpo de Bombeiros.[10] Dentre os falecidos estava um médico, um enfermeiro e um técnico de enfermagem. Mais da metade das vítimas fatais tinha mais de setenta anos de idade.[11][12] Já o The New York Times estimou que mais de cem pessoas estavam feridas, sendo dez em estado crítico.[3]

RepercussãoEditar

Logo após o incêndio, o presidente sul-coreano Moon Jae-in convocou uma reunião de emergência, ordenando que as equipes de emergência dentro e ao redor da área continuassem concentrando o suporte de salva vidas nos pacientes evacuados.[13]

O incidente também resultou repercussão por parte de vários partidos políticos, a porta-voz do partido Democrático, Kim Hyun, pediu às autoridades "que mobilizem todo o pessoal e equipamentos disponíveis para lidar com as consequências", enquanto o porta-voz do partido Coreia Liberdade, Choung Tae-ok, não exigiu negligência nas operações de resgate. Referenciando o desastre do incêndio em Jecheon no mês anterior, a porta-voz do Partido Popular, Lee Heang-Ja, afirmou que os membros se sentiam "profundamente tristes por um incêndio ter ocorrido novamente quando a tristeza dos cidadãos pelo incêndio em Jecheon ainda perdura".[14]

Ausência de dispositivos de segurançaEditar

O incidente reforçou uma gama de críticas que o país recebia por causa de acidentes recentes causados por padrões de segurança inadequados. Sobre o tópico, o diretor do hospital, Song Byeong-cheol, comentou que o estabelecimento não era grande suficiente para que a lei obrigasse a presença dos dispositivos; contudo, uma nova lei mudaria o cenário, no qual os hospitais deveriam instalar os dispositivos até o final de junho daquele ano.[10] Um dos funcionários do corpo de bombeiros declarou à Reuters que não tinha conhecimento se o hospital estaria planejando a instalação dos equipamentos, mas afirmou que a unidade passava frequentemente por inspeções.[10]

No mês anterior, um incêndio no centro esportivo resultou no falecimento de 29 pessoas, na cidade de Jecheon. Há quatro anos um sinistro alastrou por um hospital rural, vitimizando 21 pessoas. Em 2008, quarenta pessoas morreram durante um incêndio em um armazém situado ao redor de Seul.[15]

Referências

  1. «밀양 세종병원은 어떤 곳… 요양병원 붙어있고 193병상 갖춰». JoongAng Ilbo (em coreano). 26 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2019 
  2. «South Korea hospital fire kills at least 37 in Miryang» (em inglês). bbc.com. 26 de janeiro de 2018. Consultado em 14 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 10 de setembro de 2019 
  3. a b c Choe, Sang-Hun (25 de janeiro de 2018). «Fire Kills at least 33 People at South Korea Hospital». The New York Times (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 19 de outubro de 2019 
  4. «밀양 세종병원서 불 37명 사망 143명 다쳐…최악 참사(종합)». Yonhap News (em coreano). 26 de janeiro de 2018. Consultado em 29 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 10 de julho de 2018 
  5. «More than 30 killed in South Korea hospital blaze» (em inglês). France24. 26 de janeiro de 2018. Consultado em 25 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  6. Jo, Un (27 de janeiro de 2018). «사망자 계속 증가 밀양 세종병원 화재‥ 대책은?». MediaPana (em coreano). Consultado em 27 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2018 
  7. Jo, Yong-hoon (26 de janeiro de 2018). «밀양 세종병원 화재 사망 39명·부상 131명». News Tomato (em coreano). Consultado em 27 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2018 
  8. «밀양 세종병원 화재 참사 사망자 1명 더 늘어…총 41명» (em coreano). asiae.co.kr. 3 de fevereiro de 2018. Consultado em 3 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 4 de fevereiro de 2018 
  9. «1월 27일 오늘의 안전 상황». Fire Prevention News (em coreano). 27 de janeiro de 2018. Consultado em 27 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2019 
  10. a b c «Hospital que pegou fogo na Coreia do Sul não tinha sprinklers». oglobo.globo.com. 26 de janeiro de 2018. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2019 
  11. «밀양 세종병원 화재사고 인명피해 188명으로 늘어» (em coreano). The Hankyoreh. 27 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2018 
  12. «'밀양 화재' 사망자 37명 중 30명, 81%가 70세 이상이었다» (em inglês). Chosun.com. 26 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2019 
  13. Kim, Christine (26 de janeiro de 2018). «Blaze in South Korean hospital kills 31, injures more than 70». Reuters. Consultado em 25 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 24 de dezembro de 2018 
  14. «Parties call for all-out efforts to handle aftermath of hospital fire». The Korea Herald (em inglês). Yonhap. 26 de janeiro de 2018. Consultado em 25 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2018 
  15. «Fire at South Korean hospital with no sprinklers kills 37» (em inglês). irishtimes.com/. 26 de janeiro de 2018. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2018