Ingibjörg H. Bjarnason

Ingibjörg H. Bjarnason (Þingeyri, 14 de dezembro de 186730 de outubro de 1941) foi uma política, sufragista, professora e ginasta islandesa. Ela foi a primeira mulher a tornar-se membro do Parlamento da Islândia.

Ingibjörg H. Bjarnason
Ingibjörg H. Bjarnason
Membro do Parlamento da Islândia
Período 1922–1927
Dados pessoais
Nascimento 14 de dezembro de 1867
Þingeyri, Islândia
Morte 30 de outubro de 1941 (73 anos)
Partido Independente (até 1924)
Conservador

Início de vida e educaçãoEditar

Ingibjörg nasceu em Þingeyri, Islândia, em 1867 e era uma das cinco crianças de Hakon Bjarnason e Johanna Kristin Þorleifsdóttir. Na adolescência, ela se mudou para Reiquiavique após a morte do seu pai e frequentou o Kvennaskólinn, colégio exclusivamente feminino.[1] Ela formou-se em 1882 e foi morar na Dinamarca para estudar ginástica, tornando-se a primeira islandesa a fazê-lo. Ela voltou a Reiquiavique em 1893 para dar aulas de ginástica em uma escola infantil, e em 1903 voltou ao Kvennaskólinn como professora. Bjarnason tornou-se diretora do colégio em 1906 e ficou no cargo por 35 anos até sua morte.[2]

CarreiraEditar

Bjarnason teve o primeiro contato com o movimento pelo sufrágio feminino na Islândia em 1894. Em 1915, quando as mulheres islandesas obtiveram o direito ao voto, Bjarnason foi escolhida por uma organização de mulheres para ir ao Parlamento e realizar um discurso comemorativo, e foi eleita chefe de um comitê que arrecadou fundos para a construção de um hospital em comemoração à vitória das sufragistas.[2] Ela liderou o que mais tarde seria o partido feminista Kvennalistinn (Aliança das Mulheres), e em 1922 foi eleita para o Parlamento da Islândia.[1][2] Assim, Bjarnason tornou-se a primeira mulher a conseguir um assento no Parlamento do país.[1][3] Ela inicialmente concorreu ao cargo como candidata independente, mas em 1924 Bjarnason juntou-se ao Partido Conservador até o final do seu mandato, em 1927. Na sua carreira política, ela promoveu os direitos das mulheres e crianças, embora nunca tenha tido filhos ou casado.[2]

AposentadoriaEditar

Após deixar a política, Bjarnason permaneceu ativa no movimento de libertação feminina da Islândia, e em 1930 ela tornou-se a presidente fundadora da organização feminina Kvenfélagasambands Íslands. No entanto, Bjarnason foi criticada por algumas mulheres pelo alinhamento com o Partido Conservador e por apoiar causas como o estabelecimento de uma escola de economia doméstica e por sugerir que as mulheres islandesas haviam alcançado a igualdade de gênero total quando receberam o direito de votar em 1915. Ela também atuou no comitê do banco Landsbanki entre 1928 e 1932, e fez parte do Conselho Islandês de Educação de 1928 a 1934. Bjarnason faleceu em outubro de 1941.[4]

LegadoEditar

Em novembro de 2011, setenta anos após a morte de Bjarnason, foi anunciado que uma proposta foi aprovada no Conselho da Cidade de Reiquiavique para a construção de um memorial permanente na cidade em sua homenagem.[1] Uma celebração aconteceu no Parlamento em julho de 2012 para comemorar o 90º aniversário da eleição de Bjarnason.[5]

Referências

  1. a b c d «Iceland's First Female MP Remembered». Iceland Review. 3 de novembro de 2011. Cópia arquivada em 16 de junho de 2018 
  2. a b c d «Ingibjörg H. Bjarnason». Kvennasögusafn Íslands (Women's History Archives Iceland). Consultado em 27 de julho de 2014. Cópia arquivada em 29 de julho de 2017 
  3. «Islandia, el primer país que roza la igualdad entre hombres y mujeres». abc (em espanhol). 7 de março de 2016. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  4. «Ingibjörg H. Bjarnason» (em islandês). Parlamento da Islândia. 10 de agosto de 2001. Consultado em 27 de julho de 2014 
  5. «Ingibjörg H. Bjarnason heiðruð» (em islandês). Morgunblaðið. 8 de julho de 2012. Consultado em 27 de julho de 2014