Inspetor Faustão e o Mallandro

Primeiro (e último) sucesso cinematográfico de Faustão

Inspetor Faustão e o Mallandro é um filme brasileiro de comédia de 1991 dirigido por Mário Márcio Bandarra. Reunindo diversos nomes populares da TV Globo da época, o filme é estrelado pelo apresentador Fausto Silva (Faustão) e pelo humorista Sérgio Mallandro que, no filme, recebem a missão de salvar um casal de codornas do Pantanal, roubadas por um contrabandista. O filme recebeu críticas medianas e foi criticado pelo próprio Faustão.

Inspetor Faustão e o Mallandro
Pôster original de lançamento do filme.
Brasil Brasil
1991 •  cor •  85 min 
Direção Mário Márcio Bandarra
Produção Diler Trindade
Produção executiva Tininho Fonseca
Heraldo Born
Argumento Fausto Silva
Roteiro Nelson Nadotti
Elenco Fausto Silva
Sérgio Mallandro
Luiza Tomé
Chiquinho Brandão
Cláudio Mamberti
Costinha
Cláudia Alencar
Gênero comédia, aventura
Música Ary Sperling
Direção de fotografia Antônio Penido
Direção de arte Lia Renha
Figurino Madu Penido
Edição Zé Rubens
Companhia(s) produtora(s) Xuxa Produções
DreamVision
ART Films
Ponto Filmes
Distribuição Columbia Tristar
Idioma português

SinopseEditar

O Inspetor Faustão é um feirante que recebe de Deus a missão de salvar um casal de codornas do Pantanal, roubadas por um contrabandista de animais em extinção. Ele conta com a "ajuda" do desastrado Sérgio Mallandro, que sonha em ser cantor.[1]

ElencoEditar

Antecedentes e produçãoEditar

Inspetor Faustão foi dirigido por Mario Marcio Bandeira. O filme marcou a estreia de Adriana Esteves no cinema. O elenco também reuniu nomes famosos da Globo, como Luíza Tomé, Cláudia Alencar e Chiquinho Brandão, além do humorista Costinha. Também participaram os cantores Sidney Magal, Wando, Sandra de Sá, Patricia Marx e Sylvinho Blau-Blau. O filme foi uma tentativa de fisgar o público infantil para o cinema brasileiro, similarmente aos filmes dos Trapalhões e da Xuxa.[1]

Em 1990, Faustão já havia participado de um filme, Sonho de Verão (1990), que também tinha Mallandro no elenco. A diferença em Inspetor Faustão, no entanto, foi seu desempenho como cantor; os protagonistas gravaram "Rap do Ovo" ao lado das Paquitas. A música foi integrada à trilha sonora do filme.[1] Quando Faustão foi cantar a canção no Xou da Xuxa do Dia das Crianças de 1991, improvisou cantando: "Eu esqueci essa letra, não sei porque gravei essa música. Essa Marlene [Marlene Mattos, empresária da Xuxa] é uma doida, que me fez entrar nesse filme. Eu esqueci a letra e não sei mais coisa nenhuma".[2] Os nomes dos cachorros de Faustão, "Inflação" e "Salário Mínimo", são uma referência ao momento político do Brasil naquela época.[1] Em 2019, Sergio Mallandro recriou o clipe do Rap do ovo no programa da SBT The Noite com Danilo Gentilli.[3]

Lançamento e bilheteriaEditar

Inspetor Faustão foi lançado em 1991.[1]

No início dos anos 1990, o Governo Collor fechou a Embrafilme, acabando com as leis de incentivo. Isso fez com que o cinema brasileiro enfrentasse uma crise, diminuindo o número de produções brasileiras e afastando o público dos títulos nacionais. Segundo o Na Telinha, esse fato, somado à "produção de gosto, no mínimo, duvidoso", fez com que Inspetor Faustão e o Mallandro fracassasse nas bilheterias. O filme foi exibido na televisão em algumas ocasiões a partir de 1993, mas também não obteve sucesso. Segundo Faustão, o filme "vendeu mais de 100 mil cópias".[1]

RecepçãoEditar

A Turma do Fundão, publicado pela Superinteressante, colocou o filme em segundo lugar na sua lista dos três "melhores piores filmes" do Brasil, ao lado de Cinderela Baiana em primeiro e O Guerreiro Didi e a Ninja Lili em terceiro.[4] O próprio Faustão criticou o filme. Entrevistado por Serginho Groisman no Altas Horas, rebatendo a afirmação de que ele teria talento para ser humorista, ele disse: "Não [por Inspetor Faustão], né? A porra daquele filme, eu e o Sérgio Mallandro, coitado! Entramos nessa furada. Foi o único filme brasileiro que vinha com legenda, porque ninguém entendia porra nenhuma. Nem nós! [...] Não dá para esconder o que [a gente] fez no passado".[1]

Luiando Campiago, do site planocritico, apontou que "O fato é que a obra se leva a sério e é ruim em tudo o que deveria fazer para funcionar. Por outro lado, o caráter B e a tosquice de todas as situações nos arrancam gargalhadas e faz crescer em nós um senso enorme de vergonha alheia, colocando a película na lista de filmes bizarros essenciais para qualquer cinéfilo que se preze e valorize um tsunami de emoções inclassificáveis no cinema."[5]

Trilha sonoraEditar

Referências

  1. a b c d e f g «Em 1991, Faustão atacou como cantor e protagonizou filme com Sérgio Mallandro». NaTelinha. Consultado em 21 de abril de 2021 
  2. «O dia em que Faustão ficou "p da vida" ao ter que cantar na Xuxa». RD1. 14 de novembro de 2019. Consultado em 21 de abril de 2021 
  3. «Sérgio Mallandro recria clipe do "Rap do Ovo" no The Noite desta quinta». www.sbt.com.br. Consultado em 29 de maio de 2021 
  4. «Os 3 melhores piores filmes do cinema nacional». Superinteressante. Consultado em 21 de abril de 2021 
  5. CAMPIAGO, Luiando (22 de agosto de 2017). «Crítica | Inspetor Faustão e o Mallandro: A Missão (Primeira e Única)». Plano Crítico. Consultado em 29 de maio de 2021 
  Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.