Abrir menu principal

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Instituto Federal Marca 2015.svg

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, no Brasil, é uma instituição de educação superior, básica e profissional, pluricurricular e multicampi, especializada na oferta de educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino, com base na conjugação de conhecimentos técnicos e tecnológicos às suas práticas pedagógicas. Os institutos federais compõem a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

O projeto foi aprovado pela Câmara dos Deputados, pelo Senado Federal e sancionado pela presidência da República em 29 de dezembro de 2008, sendo publicada no Diário Oficial da União em 30 de dezembro de 2008.

CriaçãoEditar

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou dia 16 de julho de 2008 o Projeto de Lei 3775/2008 que cria 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia no país. A matéria seguiu para aprovação no Congresso Nacional e em 29 de dezembro de 2008 foi sancionada pelo presidente.[1] Os institutos deverão ter forte inserção na área de pesquisa e extensão, visando estimular o desenvolvimento de soluções técnicas e tecnológicas e estendendo seus benefícios à comunidade. Metade das vagas será destinada à oferta de cursos técnicos de nível médio, em especial cursos de currículo integrado.

Na educação superior, o destaque fica para os cursos superiores de tecnologia de engenharias e de licenciaturas em ciências física, química, matemática e biologia. Ainda serão incentivadas as licenciaturas de conteúdos específicos da educação profissional e tecnológica, como a formação de professores de mecânica, eletricidade e informática.

Os institutos federais terão autonomia, nos limites de sua área de atuação territorial, para criar e extinguir cursos, bem como para registrar diplomas dos cursos por ele oferecidos, mediante autorização do seu Conselho Superior. Ainda exercerão o papel de instituições acreditadoras e certificadoras de competências profissionais. Cada instituto federal é organizado em estrutura com vários campi, com proposta orçamentária anual identificada para cada campus e reitoria, equiparando-se com as universidades federais.[1]

Institutos federaisEditar

AcreEditar

AlagoasEditar

AmapáEditar

AmazonasEditar

BahiaEditar

Distrito FederalEditar

CearáEditar

Espírito SantoEditar

GoiásEditar

MaranhãoEditar

Minas GeraisEditar

Mato GrossoEditar

Mato Grosso do SulEditar

ParáEditar

ParaíbaEditar

PernambucoEditar

PiauíEditar

ParanáEditar

Rio de JaneiroEditar

Rio Grande do NorteEditar

Rio Grande do SulEditar

RondôniaEditar

RoraimaEditar

Santa CatarinaEditar

São PauloEditar

SergipeEditar

TocantinsEditar

Ver tambémEditar

Referências

BibliografiaEditar

  • Eliezer Pacheco (Org.), "Os Institutos Federais: Uma Revolução na Educação Profissional e Tecnológica", Brasília, São Paulo, 2011, Editora Moderna, ISBN 978-85-16-07375-6, 120 pp. [1]
  • Eliezer Pacheco, "Os Institutos Federais: Uma Revolução na Educação Profissional e Tecnológica", Cartilha do Ministério da Educação, Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica, Brasília, 24 pp. [2]

Ligações externasEditar