Abrir menu principal

Instituto Federal do Pará

instituto federal de educação ciência e tecnologia público federal em Belem, Pará
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará
IFPA
Fundação 29 de dezembro de 2008
Tipo de instituição pública federal
Localização , Pará
Reitor(a) Cláudio Alex Jorge da Rocha
Campus Belém
Abaetetuba
Altamira
Ananindeua
Bragança
Breves
Cametá
Castanhal
Conceição do Araguaia
Itaituba
Marabá
Óbidos
Paragominas
Parauapebas
Santarém
Tucuruí
Vigia
Página oficial http://www.ifpa.edu.br/

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará, mais conhecido como Instituto Federal do Pará (IFPA), é uma instituição pública federal brasileira, com sede em Belém, no estado do Pará, que compõe a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, vinculada diretamente ao Ministério da Educação.

Correspondendo-se como uma Universidade Federal, é uma instituição multicampi, especializada na oferta de educação nas diferentes modalidades de ensino, básico, superior e profissional, com base na conjugação de conhecimentos técnicos e tecnológicos às suas práticas pedagógicas. Seus muitos campi estão localizados em Belém (sede), Abaetetuba, Altamira, Ananindeua, Bragança, Breves, Cametá, Castanhal, Conceição do Araguaia, Itaituba, Marabá (industrial e rural), Óbidos, Paragominas, Parauapebas, Santarém, Tucuruí e Vigia

Foi oficialmente criado pela na Lei Federal que regulamenta a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, vinculada ao Ministério da Educação,[1] no seu artigo 5º, inciso XX, "mediante integração do Centro Federal de Educação Tecnológica do Pará e das Escolas Agrotécnicas Federais de Castanhal e de Marabá". Sua Reitoria está instalada em Belém e é subordinada ao Ministério da Educação.

HistóriaEditar

O Instituto Federal do Pará foi instituído em 23 de setembro de 1909 como Escola de Aprendizes Artífices do Pará, pelo então presidente da república, Nilo Peçanha. Compreendia o ensino primário, cursos de desenho e oficinas de marcenaria, funilaria, alfaiataria, sapataria e ferraria. Em 1930, a Escola de Aprendizes transforma-se em Liceu Industrial do Pará e, em 1942, em Escola Industrial de Belém.

Na década de 1960, é transformado em Autarquia Federal com autonomia didática, financeira, administrativa e técnica. Passa a oferecer a educação profissional de nível médio e cursos técnicos de edificações e estradas, passando a ser chamado de Escola Industrial Federal do Pará, quando foram criados os cursos de agrimensura e eletromecânica.

A escola técnica federal do Pará é fundada em (1968) com endereço na Av. Almirante Barroso, nº 1155, onde ministra o curso de eletromecânica, hoje denominado mecânica. A partir daí, vieram os cursos nas áreas de saneamento, telecomunicações e eletrônica.

Com a descoberta das jazidas minerais de Carajás e Trombetas, em 1975, a Escola Técnica criou os cursos de mineração e metalurgia. No final da década de 70, foi a vez do curso de processamento de dados para acompanhar o incremento da informatização na indústria. Em 1980, a Escola assina convênio com o Parque de Material Aeronáutico de Belém. Começa o curso Pós-Técnico de Manutenção de Aeronaves. Foi criada a primeira Escola de Mecânicos Civis de Aeronaves em parceria com o Departamento de Aviação Civil: os formandos em manutenção de aeronaves foram contratados pela aviação civil em 1991.

Em 1995, é a vez dos cursos pós-médios em edificações, eletrotécnica, mecânica, metalurgia e processamento de dados. Em 1996, o curso técnico em trânsito é criado em parceria com o Departamento Estadual de Trânsito do Pará.

Os cursos técnicos pós-médios nas áreas de química, radiologia médica, registro de saúde, pesca e turismo foram implantados em 1998 para atender a necessidade de formação de recursos humanos nas áreas tecnológicas e de desenvolvimento do Estado.

Consolidaram-se também as Unidades Descentralizadas de Ensino Técnico - UNED'S, a fim de atender às solicitações de Altamira, com o curso técnico de agrimensura para a demanda da agroindústria. Posteriormente foram implantadas as UNED'S de Marabá e Tucuruí.

Os cursos de Lapidação e Artesanato Mineral foram implantados em 1990, em decorrência da parceria firmada com a Paraminérios, empresa ligada ao governo do estado, para formar profissionais do pólo mineral na região.

Em 1997, foi instituída pelo Ministério da Educação, a verticalização da educação profissional, nos níveis básico, técnico e superior. Em 18 de janeiro de 1999, a Escola Técnica foi elevada à categoria de Centro Federal de Educação Tecnológica com a finalidade de atuar nos níveis e modalidades da educação profissional, ou seja, o básico, o técnico e o tecnológico equivalente à educação superior.

O IFPA oferece 17 cursos técnicos, 13 cursos de graduação e 1 curso de pós-graduação "Lato Sensu".

Sua Reitoria esta situada hoje na Avenida João Paulo II no Bairro Castanheira em Belém/PA.

DesmembramentoEditar

O IFPA encontra-se em processo de desmembramento com vistas a formar um novo instituto federal no interior do estado do Pará.[2] Esta proposta, de autoria da então deputada Bernadete Ten Caten, prevê a integração dos campi Tucuruí, Conceição do Araguaia, Industrial de Marabá, Rural de Marabá e Parauapebas[3] para formar o "Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul e Sudeste do Pará - IFESSPA", com sede e foro em Marabá. A proposta teve seu requerimento aprovado pelo Ministério da Educação em 2012, e encontra-se em fase de estudos.[4]

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre escolas ou colégios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


  1. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008
  2. Vereadores marabaenses são contrários ao fechamento da Escola Jonathas Athias - Jornal do Zedudu
  3. AGE em Conceição do Araguaia elege delegados sindicais e cobra o fim da intervenção no IFPA - SINASEFE
  4. CATEN, B. T.. Bernadete comemora aprovação de requerimento que pede a criação de Instituto Tecnológico no Sul e Sudeste do Pará. Bote Fé. Maio de 2012