Invasão das Ilhas Curilas

A invasão das Ilhas Curilas, (Курильская десантная операция em russo) foi a operação militar da Segunda Guerra Mundial para capturar as Ilhas Curilas ao Japão em 1945. A operação fazia parte da ofensiva Operação Tempestade de Agosto, e foi decidida quando os planos para chegar a Hokkaido foram abandonados. O sucesso das operações militares do Exército Soviético na Manchúria e Invasão do Sul da Sacalina criaram os pré-requisitos necessários para a invasão das Ilhas Curilas.

Invasão das Ilhas Curilas
Operação Tempestade de Agosto
Sakhalin Kuril Operation.svg
A operação ans Ilhas Curilas
Data 16 de agosto de 194501 de setembro de 1945
Local Ilhas Curilas
Desfecho Vitória Soviética
Mudanças territoriais Ilhas Curilas anexedo pela União Soviética (depois Rússia em 1991)
Beligerantes
 União Soviética  Império do Japão
Comandantes
União Soviética A.S. Ksenofontov Império do Japão Tsutsumi Fusaki
Forças
15.000 80.000
Baixas
~1.567 mortos e feridos 1.018 mortos
50.422 feridos

BatalhaEditar

A operação teve lugar entre 18 de Agosto e 1 de Setembro.

A 23 de Agosto, a rendição das guarnições japonesas com uma força de vinte mil homens estacionadas nas ilhas foi ordenada, como parte da rendição do Japão. No entanto, algumas das forças das guarnições ignoraram esta ordem, e continuaram a resistir à ocupação soviética.[1]

De 22 a 28 de Agosto, tropas da Área de Defesa de Kamchatka ocuparam as Ilhas Curilas desde o norte de Urup.

Após 4 de setembro, as forças soviéticas ocuparam o resto das Ilhas Curilas sem mais resistência.

As ilhas permaneceram parte da Rússia após a dissolução da União Soviética.

Referências

  1. Glantz, David. August Storm: The Soviet 1945 Strategic Offensive in Manchuria. Portland, Oregon: FRANK CASS PUBLISHERS. pp. 299–300