Abrir menu principal

Ipiranga de Goiás

Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades contendo este nome, veja Ipiranga.
Ipiranga de Goiás
  Município do Brasil  
Hino
Apelido(s) "Quiabo Assado"
Gentílico ipiranguense
Localização
Localização de Ipiranga de Goiás em Goiás
Localização de Ipiranga de Goiás em Goiás
Ipiranga de Goiás está localizado em: Brasil
Ipiranga de Goiás
Localização de Ipiranga de Goiás no Brasil
Mapa de Ipiranga de Goiás
Coordenadas 15° 10' 12" S 49° 40' 15" O
País Brasil
Unidade federativa Goiás
Municípios limítrofes Rubiataba, Ceres, Nova Glória e Itapaci
Distância até a capital 240 km
História
Fundação 2000 (19 anos)
Aniversário 21 de julho
Administração
Prefeito(a) Alex de Queiroz (PSD, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 241,464 km²
População total (Censo IBGE/2010[2]) 2 844 hab.
Densidade 11,78 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
PIB (IBGE/2008[3]) R$ 23 672,196 mil
PIB per capita (IBGE/2008[3]) R$ 8 162,83

Ipiranga de Goiás é um município da região do Vale do São Patrício, no estado de Goiás, no Brasil. Sua população estimada em 2009 segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística era de 2 906 habitantes.

EtimologiaEditar

"Ipiranga" é uma palavra de origem tupi que significa "rio vermelho", através da junção dos termos 'y (rio) e pyrang (vermelho)[4].

HistóriaEditar

Antes da chegada dos europeus ao continente americano, a porção central do Brasil era ocupada por indígenas do tronco linguístico macro-jê, como os acroás, os xacriabás, os xavantes, os caiapós, os javaés etc.[5]

A origem e formação do município de Ipiranga de Goiás, como os municípios vizinhos Ceres e Nova Glória, são oriundas do decreto-lei 6 882, de 19 de fevereiro de 1941, pelo então presidente da república Getúlio Vargas, que criava a Colônia Agrícola Nacional de Goiás, administrada pelo engenheiro agrônomo Bernardo Sayão Carvalho de Araújo, que tinha, como objetivo, fixar o homem à terra, expandindo a fronteira agrícola, fortalecendo o mercado e estabelecendo uma conexão com o norte do país. Em 1949, houve o afastamento de Bernardo Sayão, assumindo, como novo administrador, o também engenheiro agrônomo Datis Lima de Oliva, responsável pela emancipação da colônia.

O Sr. Raimundo Alves de Souza juntamente com o senhor Francisco Amâncio de Oliveira conhecido como Chiquinho da farmácia recebeu sua porção de gleba e resolveu lote-a-la, criando assim, o povoado do Ipiranga. Na década de 50/60 foi uma pequena cidade, com comercio visando a atender as necessidades dos colonos que se instavam na região. Teve, e tem, o apelido até os dias de hoje de Quiabo-Assado. Certamente a pessoa mais importante para Ipiranga foi seu fundador Raimundo Alves de Souza. Outros que passaram por ali foram:Soraia da frutaria, Chiquinho da farmácia, Orlando Ortega, Joaquim Ferreira, José Pereira, Julieta Ferreira, família Gurgel, Antonio Machado, Augustinho, Ladislau Jose de Oliveira, Divina Leopoldina de Jesus e outros que não lembro o nome.

Em 21 de julho de 1997, o povoado de Ipiranga consolidou sua emancipação através da Lei 13 137, sancionada pelo então governador do estado de Goiás Maguito Vilela, criando o município de Ipiranga de Goiás.

Em 1º de janeiro de 2001, instala-se o município de Ipiranga de Goiás, tendo, como prefeito, Geraldo Ferreira de Oliveira, vice-prefeito Damásio Bertino de Souza, e presidente da câmara Rubens José Barbosa, que permaneceram durante quatro anos. Afirma-se, também, que, durante esses quatro anos, a Prefeitura Municipal de Ipiranga de Goiás ficou distribuídas em seis secretarias, tendo, à frente, os seguintes secretários: – Magno José de Oliveira (administração), Ildeo Donizette (Transportes), Divino Luiz Gonzaga (saúde), Maria Helena Ferreira (assistência social), Djanira Alves (educação) e o Sebastião Paulo da Silva (controle interno) - sendo esta última implantada na Prefeitura de Ipiranga de Goiás no dia 5 de abril de 2002. E, no dia 3 de outubro de 2004, foi reeleito o prefeito municipal de Ipiranga de Goiás, Geraldo Ferreira de Oliveira, mantendo a mesma estrutura da organização, alterando apenas a secretaria de agricultura, que foi criada no dia 1º de fevereiro de 2005.

No ano de 2009, toma posse João Batista da Silva, popularmente conhecido como "João Albino", que governou a cidade por 4 anos. No ano de 2013, toma posse Jose Enilton de Sousa. No ano de 2017 toma posse como prefeito Alex de Queiroz derrotando o então prefeito nas eleições de 2016 com 251 votos de frente.

A população do município de Ipiranga de Goiás está distribuída em sua maioria na zona rural do município e povoados sendo que de acordo com o censo 2010 dos 2844 habitantes do município 1272 habitantes (44,7%) viviam na área urbana e 1572 habitantes (55,3%) viviam fora da sede do município (área rural e distritos).

GeografiaEditar

O Munícipio de Ipiranga de Goiás se localiza no Centro Norte do Estado de Goiás, e possui vegetação numa faixa de floresta tropical, sendo composta tipicamente de árvores de médio porte e de mata fechada. Atualmente, o município conta com poucas áreas de vegetação em sua área total, pois já foi praticamente todo desmatado: anteriormente, para a criação de gado leiteiro; atualmente, para plantação de cana-de-áçucar.

O município é banhado pelo Rio das Almas a leste, pelo Córrego Grande na parte central, onde está localizada a sede do município, e pelo rio São Patrício ao Norte, fazendo a divisa com o município de Itapaci, onde estão localizados os dois povoados do município Quebra-Coco e Bom Jesus, que fica a 3 quilômetros do rio.

O relevo do município é, na maior parte de sua área, plana, sendo que, ao sul, está localizada a Serra da União. Entre a sede do município e povoado do Bom Jesus, está localizada a Serra do Cristal.

TurismoEditar

Durante os meses mais secos e quentes do ano (agosto, setembro e outubro) o município recebe vários visitantes das cidades vizinhas e até mesmo da capital para curtir as belezas naturais do município: Como acampar, pescar e curtir as praias dos Rios São Patrício e Rio das Almas. Além disso muitas pessoas da Capital de Goiás e do Brasil durante o período de férias visitam o município para visitar os familiares e descansar da correria da cidade grande, visto que o município é pacato e sossegado.

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  4. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. p. 42.
  5. CHAIM, M.M. Aldeamentos Indígenas (Goiás 1749–1811). Segunda edição. São Paulo: Nobel, 1983. p. 48

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar