Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para o município do Ceará, veja Ipueiras (Ceará). Para o município potiguar, veja Ipueira.

Ipueiras é um município brasileiro do estado do Ceará. Localizado na Mesorregião do Noroeste Cearense e na Microrregião de Ipu.

Município de Ipueiras
"Altiva, forte e magestosa! Soberana e gloriosa!"
Igreja Matriz de Ipueiras.JPG

Bandeira de Ipueiras
Brasão de Ipueiras
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 25 de outubro
Fundação 25 de outubro de 1883 (136 anos)
Gentílico ipueirense
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Conceição
CEP 62230-000
Prefeito(a) Raimundo Melo Sampaio (Neném do Cazuza) (PDT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Ipueiras
Localização de Ipueiras no Ceará
Ipueiras está localizado em: Brasil
Ipueiras
Localização de Ipueiras no Brasil
04° 32' 31" S 40° 43' 08" O04° 32' 31" S 40° 43' 08" O
Unidade federativa Ceará
Mesorregião Noroeste Cearense IBGE/2008[1]
Microrregião Ipu IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes (N): Ipu e Croatá

(S): Poranga Ararendá e Nova Russas (L): Hidrolândia (O): Estado do Piauí

Distância até a capital 298 km
Características geográficas
Área 1 474,108 km² [2]
População 37 874 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 25,69 hab./km²
Altitude 231 m
Clima Tropical Semiárido brando
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,617 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 125 897,345 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 210,03 IBGE/2008[5]

EtimologiaEditar

O topônimo Ipueiras vem do tupi-guarani y(água), puera (que já foi e não é mais) e significa lugar raso onde se acumula água. Silveira Bueno, confirma esta versão: rio que corria e já não corre. Assim é o rio Jatobá, o rio de Ipueiras, seco na maior parte do ano, mas na época das chuvas, quando enche, vira um espetáculo.

Sua denominação original era Fazenda Ipueiras e, desde 1883, Ipueiras.[6]

HistóriaEditar

 
Arco em honra pela passagem, em 1953, da imagem peregrina milagrosa de Maria

O atual território de Ipueiras, localizado no lado sul da Chapada da Ibiapaba na divisa com as terras do Sertão de Crateús, era habitados por nações indígenas como os Tupi (Tabajara, Tupinambá) e Tapuia (Calabaça, Carariju, Kariri, Inhamun, Karati, Jaburu, Javanbé),.[7][8]

Com a expansão da pecuária no ciclo da carne de charque, surge nesta região fazendas de gado, com diversos conflitos entres indígenas e fazendeiros; e entre fazendeiros da região dos sertões do Sertão de Crateús. Deste núcleo agropecuário surge Ipueiras como centro urbano.

GeografiaEditar

ClimaEditar

Tropical quente semi-árido brando com pluviometria média de 993 mm[9] com chuvas concentradas de janeiro a abril.[10]Em média de 33 a 39º C.

Hidrografia e recursos hídricosEditar

As principais fontes de água são os rios Diamante e Jatobá; os riachos do Mel, da Tapera do Pequizeiro e do Góes.

O açude de maior porte é o açude Jatobá.

Relevo e solosEditar

Localizado no lado sul da Chapada da Ibiapaba na divisa com os sertões dos Sertão de Crateús, as principais elevações situam-se na Serra da Ibiapaba. qual tipo de rocha predominante na área geológica

VegetaçãoEditar

A vegetação da região faz parte da flora da Chapada da Ibiapaba, que possui a caatinga como predominante, a floresta atlântica, a floresta subcaducifólia amazônica e o cerrado. A caatinga é constituída basicamente de árvores a arbustos espinhentos, que perdem as folhas na estação seca, de plantas suculentas espinhosas e de plantas herbáceas que desenvolvem-se depois das chuvas.

FaunaEditar

A fauna possui animais como o mocó, o macaco-prego, o mico-estrela, o tamanduá-mirim, a cotia.

Subdivisão municipalEditar

O município é dividido em 13 distritos:

Ipueiras (sede), São José, Alazans, América, Balseiros, Gázea, Engenheiro João Tomé (Charito), Livramento, Matriz de São Gonçalo, Nova Fátima, São José de Lontras, Barrocas e Nova Graça

EconomiaEditar

 
Mercado da Farinha

A economia é baseada na agricultura: algodão arbóreo e herbáceo, banana, mamona, milho e feijão; e na pecuária: bovinos, suínos e avícola. O comércio das frutas ou a feira das frutas, acontece principalmente no sábado, mas todo dia há feira, o que o município não produz como hortaliças vem da serra da Ibiapaba.

A economia no centro da cidade, se baseia no comércio e a prestação de serviços. Como por exemplo; mercantil, farmácias, lojas de roupas, lojas de calçados, açougues, salões de beleza,lojas de informática e bem como sua prestação de serviços. Existem três bancos: banco do Brasil,Bradesco e a Caixa Econômica federal e a casa lotérica.

Há o mercado da Carne, onde aglomera muitos estabelecimentos , como: açougues e restaurantes.

CulturaEditar

O principais eventos culturais são:

  1. Dia do Evangelho - 23 de julho. Comemorado pelas igrejas evangélicas da cidade.
  2. Festa da padroeira Nossa Senhora da Conceição (Dezembro)
  3. Aniversário de emancipação da cidade (25 de Outubro)
  4. Festival de quadrilhas Ipueiras Junina (julho).
  5. Réveillon Municipal (Dezembro).

PolíticaEditar

A administração municipal localiza-se na sede, especificamente no Parque da Cidade:

Vereadores Municipais: (Mandato 2017-2020)

1°. Raimundinho do Charito (PSD) - Situação Presidente da Câmara Municipal 2019/2020

2°. Sérgio Alves (PRP) - Oposição

3°. Egberto Morais (PDT) - Situação

4°. Antônio Dandão (PDT) - Situação

5°. Enaldo Araújo (PDT) - Situação

6°. Carlito (PDT) - Situação

7°. Zezão do Banco (MDB) - Oposição

8°. Indira Pereira (PROS) - Oposição

9°. Gonçalinho do Livramento (PDT) - Situação

10°. Marcelo Mourão (PSB) - Situação

11°. Zezinho da América (MDB) - Situação

12°. Danilo Germano (PSD) - Situação

13° Oneide Aragão (PSD) - Situação

Ipueiras.

Prefeitos de Ipueiras:

Joaquim Rodrigues Moreira (1914 a 1920.)

Gregório Euclides Martins (1921 a 1922.)

Francisco Das Chagas Fales (1932.)

Hermogenes Rodrigues Moreira (1935.)

Juarez Pompeu de Sousa Catunda (1935 a 1936.)

Raimundo Soares Mourão (1936.)

José Bento de Oliveira Fontenele (1937 a 1939.)

Raul Catunda Fontenele (1939 a 1945.)

Olavo Moreira Catunda (1947.)

Edmundo Bezerra de Medeiros (1947 a 1948.)

Pedro Martins Aragão (1948 a 1950.)

Raimundo Mourão e Melo (1950 a 1951.)

Sebastião Gomes de Matos (1951 a 1955.)

Alexandre Neton Mourão (1955 a 1957.)

Pe. Francisco Correia Lima (1957 a 1958.)

Francisco Soares Mourão (1959 a 1960.)

Antônio Moacir Mourão e Melo (1961 a 1962.)

Pedro Martins Aragão (1963 a 1964.)

Manoel Cavalcante Dias (1967 a 1970.)

Pedro Lopes Soares (1971 a 1972.)

Gonçalo Rodrigues de Pinho (1973 a 1976.)

Gonçalo Erasmo de Medeiros (1977 a 1982.)

Manoel Cavalcante Dias (1983 a 1988.)

Apolônio Camelo Lima (1989 a 1992.)

José Flávio Morais Mourão (1993 a 1996.)

Francisco Souto Vasconcelos (1997 a 2004.)  Prefeito Reeleito.

Raimundo Melo Sampaio (2005 a 2012.)  Prefeito Reeleito.

Raimundo Nonato de oliveira (2013-2016.)

Raimundo Melo Sampaio  (2017- Atualidade.)

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE; IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. [1]
  7. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ott
  8. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimos indígenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  9. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME.
  10. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.

Ligações externasEditar