Abrir menu principal
Irene Cruz
Nome completo Irene Gameiro da Cruz Lourenço
Nascimento 6 de setembro de 1943 (76 anos)
Sacavém
Nacionalidade portuguesa
Ocupação Atriz, Dobradora
Atividade 1960 - atualidade
Cônjuge João Lourenço (divórcio)
Outros prêmios
Globo de Ouro (2002)

Irene Gameiro da Cruz Lourenço (Sacavém, 6 de setembro de 1943) é uma atriz e dobradora portuguesa.

Índice

CarreiraEditar

O seu pai era um barbeiro de Sacavém que fazia espetáculos de ilusionismo[1].

Estreou-se no teatro em 1960, interpretando uma peça do suíço Friedrich Dürrenmatt, A Visita da Velha Senhora, no Teatro Nacional D. Maria II (Companhia Amélia Rey Colaço - Robles Monteiro). Por volta de 1960 colabora na Companhia de Teatro Infantil O Gerifalto, interpretando variadíssimas peças sob a direcção de A. Manuel Couto Viana, nos teatros Monumental e Trindade. Conclui em 1961 o Curso de Teatro do Conservatório Nacional, após o que interpreta na Companhia Nacional de Teatro O Príncipe de Honburgo, de Heinrich von Kleist, e O Pai, de August Strindberg.

Passou pelo teatro popular no Parque Mayer até 1963, trabalhando junto de Eugénio Salvador, Ribeirinho ou Aida Baptista. Foi a primeira atriz portuguesa a participar numa novela brasileira, em Os Deuses Estão Mortos (1971), na TV Record.

Foi uma das fundadoras do Teatro Aberto em 1974, tendo aí interpretado, na peça inaugural, o papel de Grucha Vashnadze em O Círculo de Giz Caucasiano de Bertolt Brecht. Na mesma companhia consagrou-se em Oiçam como eu respiro (1982) de Dario Fo, pelo qual recebeu o Sete de Ouro e o Prémio da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro, na categoria de Melhor Atriz. Voltou ao Teatro Nacional D. Maria II, para interpretar a figura de Kattrin no grande êxito Mãe Coragem e os Seus Filhos, de Brecht, em 1986.

Depois de várias peças de teatro para televisão, tem tido uma participação regular em novelas, como Todo o Tempo do Mundo (1998), Jardins Proibidos (2000), Filha do Mar (2001), Tudo por Amor (2002), Baía das Mulheres (2004), Os Serranos (2005), e Olhos nos Olhos (2008). Integrou o elenco do telefilme da SIC, Aniversário, de Mário Barroso (2000).

No cinema particpou em filmes de Jorge Brum do Canto (Retalhos da Vida de Um Médico - 1962 e Fado Corrido - 1964) e Augusto Fraga (Raça - 1961).

Foi agraciada pelo Presidente da República Jorge Sampaio com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, em 8 de março de 2002, Dia Internacional da Mulher. É irmã da também atriz Henriqueta Maya.

TelevisãoEditar

TeatroEditar

  Esta lista está incompleta. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-a.

DobragensEditar

Anos 70Editar

Anos 80Editar

Anos 90Editar

Anos 2000Editar

Referências

Ligações externasEditar