Abrir menu principal

Israel Soares de Paiva (Pelotas, 14 de dezembro de 1830 — Pelotas, 21 de março de 1859) foi um político brasileiro.

Construiu a edificação que ficaria conhecida como o Solar do Conde de Porto Alegre, entre 1820 e 1830. Era irmão e foi tutor da condessa de Porto Alegre, Bernadina Soares de Paiva, segunda consorte do conde de Porto Alegre, tenente-general Manuel Marques de Sousa, tendo deixado o solar como herança para a sua irmã. Era também neto do 1.º visconde de Jaguari e primo-irmão do barão de Tramandaí. Casou-se com Belmira de Souza Lobo.

Sua esposa foi madrinha de batismo da órfã Luciana de Abreu, tendo a família a incentivado na carreira literária.[1]

Foi eleito suplente a deputado provincial na 1ª Legislatura da Assembleia Legislativa Provincial do Rio Grande do Sul, em 1835.

Em 1842, entrou em conflito com Joaquim Antônio Pinheiro, do Rio de Janeiro, por causa de uma série de dívidas acumuladas de 1825 a 1833.[2]

Era proprietário de uma chácara em Porto Alegre entre a rua Sarmento Leite e a avenida João Pessoa.[3]

Foi agraciado comendador.

Referências

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.