Ivan Martos, retrato feito por Alexander Varnek

Ivan Petrovich Martos (em russo: Иван Петрович Мартос; em ucraniano: Іван Петрович Мартос; 1754 - 5 de abril 1835) foi um escultor e professor de arte russo de origem ucraniana que ajudou a despertar o interesse russo em escultura neoclássica.[1]

Martos nasceu perto de Poltava e matriculou-se na Academia Imperial de Artes entre 1764 e 1773. Ele foi então enviado para continuar a sua educação com Pompeo Batoni e Anton Raphael Mengs, em Roma, Itália. Após seu retorno ao Império Russo em 1779, Martos começou a propagar as ideias do neoclassicismo. Ele criou um grande número de túmulos de mármore, que são muitas vezes considerados como o melhor na história da arte russa.

Aproveitando o patrocínio da realeza russa, Martos realizou uma cátedra na Academia Imperial de Artes desde 1779 e tornou-se seu reitor em 1814. Sua principal reivindicação à fama é o monumento a Minin e Pozharsky na Praça Vermelha, concebido em 1804, mas inaugurado em 1818. Devido aos muitos anos que passou dedicado a um único trabalho, Martos não produziu muitas outras escultura no período. Ele morreu em São Petersburgo.

Ver tambémEditar

Referências

  1. www.rusartist.org (ed.). «Ivan Petrovich Martos». Consultado em 27 de maio de 2016 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um escultor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.