Ivan Pavlov

Disambig grey.svg Nota: Se procura por por outra acepções do nome Pavlov, veja Pavlov (desambiguação).
Ivan Pavlov
Nascimento 14 de setembro de 1849
Riazan
Morte 27 de fevereiro de 1936 (86 anos)
São Petersburgo
Sepultamento Literatorskie mostki
Cidadania União Soviética
Alma mater Universidade Estatal de São Petersburgo, Universidade Imperial de São Petersburgo
Ocupação química(o), médico, fisiologista
Prêmios Nobel de Fisiologia ou Medicina, Medalha Copley, Ordem de Santa Ana, 1ª classe, Ordem de Santa Ana, 2.ª classe, Ordem de Santo Estanislau, 1ª classe, Ordem de Santo Estanislau, 2.ª classe, Ordem de São Vladimir, 4.ª classe, Ordem de São Vladimir, 3.ª classe, Medalha Cothenius, Legião de Honra, Croonian Lecture, Membro Estrangeiro da Royal Society, Medalha Baly
Empregador Universidade Estatal de São Petersburgo
Religião ateísmo

Ivan Petrovich Pavlov (Riazan, 26 de setembro de 1849 - Leningrado, 27 de fevereiro de 1936) foi um fisiologista russo conhecido principalmente pelo seu trabalho no condicionamento clássico.[1]

Foi premiado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1904, por suas descobertas sobre os processos digestivos de animais. Ivan Pavlov veio no entanto a entrar para a história por sua pesquisa em um campo que se apresentou a ele quase que por acaso: o papel do condicionamento na psicologia do comportamento (reflexo condicionado).[2]

Casa de Ivan Pavlov em Riazan

Na década de 1920, ao estudar a produção de saliva em cães expostos a diversos tipos de estímulos palatares, Pavlov percebeu que com o tempo a salivação passava a ocorrer diante de situações e estímulos que anteriormente não causavam tal comportamento (como por exemplo o som dos passos de seu assistente ou a apresentação da tigela de alimento). Curioso, realizou experimentos em situações controladas de laboratório e, com base nessas observações, teorizou e enunciou o mecanismo do condicionamento clássico.

Um dos muitos cães usados por Pavlov nas suas experiências, Museu Pavlov, Rússia. Note-se que o recipiente utilizado para o armazenamento da saliva está cirurgicamente implantado no maxilar do animal.

A ideia básica do condicionamento clássico consiste em que algumas respostas comportamentais são reflexos incondicionados, ou seja, são inatas em vez de aprendidas, enquanto que outras são reflexos condicionados, aprendidos através do emparelhamento com situações agradáveis ou aversivas simultâneas ou imediatamente posteriores. Através da repetição consistente desses emparelhamentos é possível criar ou remover respostas fisiológicas e psicológicas em seres humanos e animais. Essa descoberta abriu caminho para o desenvolvimento da reflexologia e psicologia comportamental e mostrou ter ampla aplicação prática, inclusive no tratamento de fobias e nos anúncios publicitários entre outras aplicações da medicina e ciências cognitivas.

Foi sepultado no Cemitério de Volkovo em São Petersburgo.


Pesquisa sobre o sistema nervosoEditar

Pesquisa sobre tipos e propriedades de sistemas nervosos


Pavlov sempre se interessou por biomarcadores de tipos de temperamento descritos por Hipócrates e Galeno. Ele chamou esses biomarcadores de "propriedades dos sistemas nervosos" e identificou três propriedades principais: (1) força, (2) mobilidade dos processos nervosos e (3) um equilíbrio entre excitação e inibição e derivou quatro tipos com base nessas três propriedades. Ele estendeu as definições dos quatro tipos de temperamentos em estudo na época: fleumático, colérico, sanguíneo e melancólico, atualizando os nomes para "o tipo forte e impetuoso, o tipo forte equilibrado e calmo, o tipo forte equilibrado e animado" e o tipo fraco ".


Pavlov e seus pesquisadores observaram e começaram o estudo da inibição transmarginal (TMI), a resposta natural do corpo ao desligar quando exposto a um estresse ou dor esmagadores por choque elétrico[3]. Esta pesquisa mostrou como todos os tipos de temperamento reagiram aos estímulos da mesma maneira, mas diferentes temperamentos se movem através das respostas em momentos diferentes. Ele comentou "que a diferença herdada mais básica (...) foi a rapidez com que atingiram esse ponto de parada e que o rápido para desligar tem um tipo fundamentalmente diferente de sistema nervoso"[4].

Pavlov na educaçãoEditar

Os princípios básicos do condicionamento clássico de Pavlov servem como pano de fundo histórico das atuais teorias da aprendizagem[5]. No entanto, o interesse inicial do fisiologista russo no condicionamento clássico ocorreu quase por acidente durante um de seus experimentos sobre digestão em cães[6]. Considerando que Pavlov trabalhou em estreita colaboração com os animais ao longo de muitas de suas experiências, suas primeiras contribuições foram principalmente sobre o aprendizado de animais. No entanto, os fundamentos do condicionamento clássico foram examinados em muitos organismos diferentes, incluindo seres humanos[6]. Os princípios básicos subjacentes ao condicionamento clássico de Pavlov se estenderam a uma variedade de configurações, como salas de aula e ambientes de aprendizado. O condicionamento clássico se concentra no uso das condições anteriores para alterar as reações comportamentais. Os princípios subjacentes ao condicionamento clássico influenciaram as estratégias preventivas de controle antecedente usadas na sala de aula[7]. O condicionamento clássico estabeleceu as bases para as práticas atuais de modificação de comportamento, como controle antecedente. Eventos e condições anteriores são definidos como aquelas que ocorrem antes do comportamento[8]. As primeiras experiências de Pavlov usaram a manipulação de eventos ou estímulos que precedem o comportamento (isto é, um tom) para produzir salivação em cães, assim como os professores manipulam ambientes de instrução e aprendizado para produzir comportamentos positivos ou diminuir comportamentos desadaptativos. Embora ele não tenha se referido ao tom como antecedente, Pavlov foi um dos primeiros cientistas a demonstrar a relação entre estímulos ambientais e respostas comportamentais. Pavlov sistematicamente apresentou e retirou estímulos para determinar os antecedentes que provocavam respostas, o que é semelhante ao modo como os profissionais da educação realizam avaliações de comportamento funcional[9]. Estratégias anteriores são apoiadas por evidências empíricas para operar implicitamente em ambientes de sala de aula. As intervenções baseadas em antecedentes são apoiadas por pesquisas para serem preventivas e produzir reduções imediatas nos comportamentos problemáticos[7].

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Este artigo sobre um médico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. «Iván Pávlov: biografía de este referente del conductismo». psicologiaymente.com (em espanhol). 10 de abril de 2017. Consultado em 27 de fevereiro de 2020 
  2. «The Nobel Prize in Physiology or Medicine 1904». NobelPrize.org (em inglês). Consultado em 27 de fevereiro de 2020 
  3. Mazlish, Bruce, 1923-2016. (1993). The fourth discontinuity : the co-evolution of humans and machines. New Haven: Yale University Press. ISBN 0-300-05411-4. OCLC 27034823 
  4. Oswald, Ian (1963-01). «Psychopathology and Psychiatry. I. P. Pavlov. Foreign Languages Publishing House, Moscow. 1962. Pp. 543. Price 21s. - Studies in Higher Neurodynamics as Related to Problems of Psychology. By E. I. Boiko. Israel Program for Scientific Translations, Ltd. 1961. Pp. 256. Price 63s.». British Journal of Psychiatry. 109 (458): 161–162. ISSN 0007-1250. doi:10.1192/bjp.109.458.161-a  line feed character character in |titulo= at position 33 (ajuda); Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. Moore, John William, 1928-; Smith, Wendell Irving, (1978). Conditioning and instrumental learning : a program for self-instruction 2d ed ed. New York: McGraw-Hill. ISBN 0-07-042902-2. OCLC 3120940 
  6. a b Digaetani, J. L. (1 de outubro de 1979). «Book Reviews : Organizational Behavior Modification. Fred Luthans and Robert Kreitner. Glenview, IL: Scott, Foresman and Company, 1975. 214 pages». Journal of Business Communication. 17 (1): 69–69. ISSN 0021-9436. doi:10.1177/002194367901700113 
  7. a b Kern, Lee; Clemens, Nathan H. (2007-01). «Antecedent strategies to promote appropriate classroom behavior». Psychology in the Schools (em inglês). 44 (1): 65–75. doi:10.1002/pits.20206  Verifique data em: |data= (ajuda)
  8. Coleman, J. Michael (1984-03). «Applied Behavior Analysis for Teachers: Influencing Student Performance by Paul A. Alberto & Anne C. Troutman. Columbus, Ohio». Remedial and Special Education. 5 (2): 59–60. ISSN 0741-9325. doi:10.1177/074193258400500211  Verifique data em: |data= (ajuda)
  9. Stichter, Janine P.; Randolph, Jena K.; Kay, Denise; Gage, Nicholas (4 de fevereiro de 2009). «The Use of Structural Analysis to Develop Antecedent-based Interventions for Students with Autism». Journal of Autism and Developmental Disorders. 39 (6): 883–896. ISSN 0162-3257. doi:10.1007/s10803-009-0693-8 

Ligações externasEditar

Precedido por
Niels Finsen
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1904
Sucedido por
Robert Koch
Precedido por
Joseph John Thomson
Medalha Copley
1915
Sucedido por
James Dewar