Abrir menu principal
József Bajza
Bajza József
József Bajza
Nascimento 31 de janeiro de 1804
Szűcsi, condado de Heves
Morte 3 de março de 1858 (54 anos)
Peste
Nacionalidade Flag of the Habsburg Monarchy.svg Império Austríaco
Ocupação Escritor, crítico
Gênero literário Poema

József Bajza (Szűcsi, condado de Heves, 31 de janeiro de 1804 — Peste, 3 de março de 1858) foi um poeta e crítico húngaro.

Índice

VidaEditar

As primeiras contribuições literárias de Bajza foram publicadas na Aurora de Károly Kisfaludy, uma revista literária, onde foi editor de 1830 a 1837. Contribuiu também substancialmente para o Kritikai Lapok, o Athenaeum e o Figyelmező. Suas críticas sobre a arte dramática foram consideradas as melhores desses textos variados. Em 1830 publicou traduções de alguns dramas estrangeiros, e em 1835 uma coletânea de seus próprios poemas.[1]

Em 1837 foi nomeado diretor do recém-criado teatro nacional em Peste. Bajza então, durante alguns anos, dedicou-se à escrita histórica e publicou sucessivamente a Biblioteca Histórica (Történeti Könyvtár), 6 volumes, 1843-1845; o Plutarco Moderno (Uj Plutarch), 1845-1847 e a História Universal (Világtörténet), 1847. Estas obras são, em certa medida, traduções de autores alemães. Em 1847 Bajza editou o jornal da oposição, Ellenőr, em Leipzig e em março de 1848 Lajos Kossuth o nomeou editor de seu jornal, Kossuth Hírlapja. Em 1850 Bajza teve uma doença cerebral e morreu em 1858.[1]

Notas

  1. a b Chisholm, Hugh;. «Bajza, Joseph». Encyclopædia Britannica (em inglês). 3 1911 ed. Cambridge: Cambridge University Press. 226 páginas 

Referências

Ligações externasEditar