Júlio Brandão

escritor português
Júlio Brandão
Nome completo Júlio de Sousa Brandão
Nascimento 9 de agosto de 1869
Porto
Morte 9 de abril de 1947 (77 anos)
Porto
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Escritor
Movimento estético Movimento nefelibata

Júlio de Sousa Brandão (Famalicão, 9 de Agosto de 1869 - Porto, 9 de Abril de 1947) foi um escritor português.

BiografiaEditar

Em 1874, a sua família mudou-se para o Porto onde viveria o resto da vida. Arqueólogo, foi também professor na Escola Infante D. Henrique, director do Museu Municipal do Porto e sócio da Academia Nacional de Belas Artes. Enquanto escritor deixou uma vasta obra como poeta, ficcionista e publicista, marcada pela simplicidade e imaginação. Colaborou no semanário Branco e Negro [1] (1896-1898) e em diversas revistas portuenses, com destaque para A Águia; também se conhece colaboração da sua autoria nas revistas Arte e vida [2] (1904-1906) e Serões[3] (1901-1911), e ainda nas revistas luso-brasileiras Brasil-Portugal[4] (1899-1914) e Atlantida[5] (1915-1920). Entre 1929 e 1933, dirigiu a revista Soneto Neo-Latino, de Vila Nova de Famalicão. Fez parte do grupo dos nefelibatas e participou na corrente simbolista.

ObrasEditar

  • O Livro de Aglais
  • Saudades
  • O Jardim da Morte
  • Mistério da Rosa Branca
  • Nuvem de Ouro
  • Cantares
  • Perfis Suaves
  • Figuras de Barro

Referências

  1. Rita Correia (01 de Fevereiro de 2012). «Ficha histórica: Branco e Negro : semanario illustrado (1896-1898)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 21 de Janeiro de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. Daniel Pires (1996). «Ficha histórica: Arte e Vida: Revista d'arte, crítica e ciência (1904-1906)» (pdf). Dicionário da Imprensa Periódica Literária Portuguesa do Século XX (1900-1940). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 18 deSetembro de 2014  Texto " Lisboa, Grifo, 1996 " ignorado (ajuda); Texto " pp. 71-72 " ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. Rita Correia (24 de Abril de 2012). «Ficha histórica: Serões, Revista Mensal Ilustrada (1901-1911).» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 23 de Setembro de 2014 
  4. Rita Correia (29 de Abril de 2009). «Ficha histórica: Brasil-Portugal : revista quinzenal illustrada (1899-1914).» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 26 de Junho de 2014 
  5. Rita Correia (19 de Fevereiro de 2008). «Ficha histórica: Atlantida: mensário artístico, literário e social para Portugal e Brasil (1915-1920)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 17 de Junho de 2014 
  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.